PUBLICIDADE
Topo

Youtuber russo não é 1º a detonar carrão à toa; veja outros casos

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/10/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Youtuber Mikhail Litvin incendiou seu Mercedes-AMG GT Coupé
  • 'Apressadinho' nos EUA afundou Porsche 911 em cimento fresco
  • Problemas com pós-venda fizeram chineses detonarem carrões de luxo

Um caso bizarro ganhou as manchetes na Rússia nos últimos dias.

O youtuber Mikhail Litvin decidiu incendiar seu Mercedes-AMG GT 63 S Coupé após ter problemas com a concessionária local. Aparentemente, o carro do russo apresentou vários defeitos que não foram solucionados pela revenda.

Depois de tentar uma solução por diversas vezes, Mikhail perdeu a paciência e resolveu o problema da forma mais simples (e inusitada) possível: destruindo seu veículo.

Mercedes AMG GT incendiada - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Vídeo de Mercedes tem 10 milhões de visualizações em 48h
Imagem: Reprodução/YouTube

Por trás da atitude um tanto quanto incompreensível (afinal de contas, quem destruiria seu próprio carro por conta de problemas com o pós-venda?) estaria uma jogada de marketing para alavancar seu canal.

Se isso for verdade, parece que a medida surtiu efeito: o vídeo já tem 10 milhões de visualizações em 48 horas no ar.

Apressadinho

Ficar preso em um congestionamento é um tormento para qualquer motorista. Só que o dono de um Porsche 911 achou que podia furar a fila para não perder tempo. E fez isso da maneira mais absurda possível.

Porsche 911 - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Dono de 911 quis fugir do trânsito e ficou preso no cimento
Imagem: Reprodução/YouTube

Ele invadiu uma área em obras com seu carro em São Francisco (EUA), só que acabou afundando em uma parte cheia de concreto fresco. Azar dos pobres funcionários, que precisaram gastar um bom tempo tentando remover o carro do infeliz.

Pelo menos ele teve o que merecia: além de um baita prejuízo, ele ainda pagou mico nas redes sociais.

Sem saída

Em 2011, Han Nan, um chinês de Qingdao, comprou um Lamborghini Gallardo. Mal sabia o empresário que a realização do sonho também era o começo de um calvário quase sem fim.

O carro apresentou um problema apenas seis meses depois da compra e, após voltar da concessionária, o dono constatou que nada havia sido feito para resolver a falha. E pior: o Gallardo foi devolvido com avarias no para-choque e no chassis, possivelmente causadas durante o transporte do carro até a oficina.

Lamborghini - Reprodução - Reprodução
Empresário contratou funcionários para destruir Gallardo
Imagem: Reprodução

Depois de ser ignorado pelo gerente da concessionária e também pelo CEO da Lamborghini, o chinês resolveu tomar uma atitude. Contratou uma empresa de funcionários de construção civil para destruir o Gallardo no Dia Mundial de Defesa aos Direitos do Consumidor.

Na frente do povo

Um caso semelhante ao azarado dono da Gallardo também aconteceu na China - e novamente em Qindao.

Em 2013, o proprietário de um Maserati Quattroporte contratou três pessoas para acabarem com seu carro.

Maserati destruída - Reprodução - Reprodução
Quattroporte foi detonada por suposto conserto mal feito
Imagem: Reprodução

O pobre Quattroporte foi destruído em frente ao local onde acontecia o Salão do Automóvel da cidade, e atraiu muita atenção da imprensa e dos visitantes da feira.

Perguntado sobre o motivo da atitude incomum, o empresário identificado apenas como Wang alegou que a concessionária havia realizado o conserto de seu carro com peças usadas em vez de novas.