PUBLICIDADE
Topo

Tesla bloqueia tela de Model 3 com atualização de performance paralela

Aviso de detecção de módulo em Tesla Model 3 - Reprodução
Aviso de detecção de módulo em Tesla Model 3 Imagem: Reprodução

Do UOL

Em São Paulo (SP)

08/09/2020 10h07

Após adicionar um equipamento que permitiria a seu Tesla Model 3 ir de 0 a 100 km/h mais rápido, o proprietário acabou tento uma surpresa desagradável depois de fazer sua mais recente atualização remota de sistema da fabricante. Um aviso de modificação incompatível veio para a tela de entretenimento, e apesar de o carro ainda andar normalmente, é impossível fechar o alerta.

Muitos dos proprietários acabam decidindo utilizar o mercado paralelo para fazer modificações em seus carros. No caso do Model 3, o "boost de aceleração" oficial da Tesla custa US$ 2 mil. Já a atualização utilizada pelo homem, da empresa canadense Ingenext, custa por volta de US$ 1.458.

Com este módulo, o proprietário ainda tem acesso a modo Drift (que desativa o controle de tração), iluminação ambiente, assentos traseiros aquecidos, aquecimento de bateria personalizado e a abertura da porta do motorista quando o proprietário se aproxima do carro.

Não se sabe ainda o que acontece quando um carro detecta uma modificação e mostra esse aviso ao motorista. Não se sabe se fica registrado no histórico do veículo ou se é enviado de volta como um alerta para a Tesla. Apenas a Tesla realmente sabe isso.

Com isso, a Ingenext iniciou um trabalho para evitar que seu módulo fosse pego, e desenvolveu outro pequeno módulo de hardware para combater a detecção. Ele já começou a ser enviado para os clientes, e se chama Nice Try (na tradução, "boa tentativa").

nice - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

No entanto, o dono da Ingenext - Guillaume André - diz que este é apenas o começo de uma luta que prevê ser uma batalha difícil para todas as empresas de reposição que desenvolvem módulos de desempenho para Teslas.

"Antecipamos que a Tesla continuará tentando nos bloquear, porque acredito que eles querem provar que estão no controle e que têm a última palavra", André disse ao site The Drive. "Como dizem alguns clientes, você não está de posse realmente de um Tesla, porque a empresa o controla remotamente e pode fazer o que quiser."