PUBLICIDADE
Topo

Lava-rápido: 5 coisas que fazem errado e destroem pintura do seu carro

Alguns cuidados simples proporcionam a limpeza sem deixar manchas nem arranhões; veja erros comuns capazes de deixar estragos na pintura - Reprodução
Alguns cuidados simples proporcionam a limpeza sem deixar manchas nem arranhões; veja erros comuns capazes de deixar estragos na pintura Imagem: Reprodução

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

31/08/2020 04h00Atualizada em 31/08/2020 12h16

Quem gosta de carro faz questão de mantê-lo sempre limpo. Porém, é preciso fazer do jeito certo, já que algumas práticas podem até acelerar a degradação da pintura.

Isso pode acontecer inclusive em lava-rápidos, devido à falta de atenção a detalhes que fazem diferença no resultado final.

Uma limpeza caprichada depende de produtos e técnicas que não agridam o acabamento da pintura.

Com a orientação de especialistas, UOL Carros aponta cinco hábitos comuns relacionados à higiene do carro que devem ser evitados.

1 - Usar produtos inadequados

A limpeza da carroceria do automóvel demanda o uso de xampus, esponjas e panos específicos para este fim, com o objetivo de evitar riscos e manchas.

De acordo com Antonio Fiola, presidente do Sindirepa (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo), a escolha de produtos "genéricos" devido ao preço mais em conta pode fazer o barato ficar caro.

"Uma lavagem muito barata não é sinônimo de serviço ruim. Porém, as chances de utilização de produtos de má qualidade são maiores. Esse é um ripo de economia que não vale a pena", alerta o especialista.

Esponjas comuns, por exemplo, podem não remover totalmente a sujeira e até riscar o verniz da tinta e os vidros.

O uso de toalhas de banho para secar a superfície é outro vilão, novamente devido à possibilidade de arranhões. Prefira utilizar panos de microfibra.

2 - Lavar o carro sob o sol

Especialmente sob o sol forte, como no meio-dia, os raios solares fazem a água e os produtos de limpeza secarem mais rapidamente, o que aumenta a incidência de manchas na lataria - dependendo do produto utilizado, o calor pode causar marcas permanentes.

Recomenda-se também evitar a limpeza do automóvel com a carroceria ainda quente, pela mesma razão.

A DryWash, empresa especializada em conservação automotiva, recomenda executar o serviço de preferência no fim da tarde ou no início da manhã - ou em local coberto, abrigado dos raios solares.

3 - Esfregar a lataria ainda seca

Passar um pano na carroceria ainda seca para remover o excesso de sujeita é uma má ideia.

Antonio Fiola destaca que a prática significa esfregar material abrasivo sobre a superfície da carroceria, causando riscos.

Isso também não é recomendado por outro motivo: é muito mais difícil remover impurezas como poeira, barro e crostas sem água e sabão.

O correto é, antes de mais nada, aplicar um jato de água sobre a lataria para depois passar xampu e então esfregar a superfície.

4 - Secar o carro de uma só vez

lavagem carrro - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Após o enxágue, o recomendado é secar a superfície imediatamente.

Com isso, evita-se que as gotas sobre a carroceria sequem ao natural, o que pode deixar manchas.

A DryWash dá uma dica: em vez de lavar a lataria de uma só vez, o correto e fazê-lo por setores, enxaguando e secando cada parte em seguida. Assim, o serviço fica muito melhor.

5 - Usar apenas um balde

Para o serviço ficar pronto mais rapidamente, muitos usam apenas um balde para realizar a limpeza.

Isso não é indicado por uma razão simples: durante o processo, a água naturalmente fica turva e o resultado é reaplicar sujeira no veículo.

O ideal é usar dois baldes: um exclusivo para a lavagem, contendo água e xampu, e outro com água apenas para realizar o enxágue.