PUBLICIDADE
Topo

Nissan Ariya: versão definitiva de SUV elétrico chegará às ruas em 2021

Ariya lembra muito o conceito exibido no Salão de Tóquio de 2019 - Divulgação
Ariya lembra muito o conceito exibido no Salão de Tóquio de 2019
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/07/2020 07h11

Resumo da notícia

  • SUV tem linhas muito parecidas com as do carro-conceito de mesmo nome
  • Ariya terá baterias de 63 kWh ou 87 kWh; autonomia chega a 482 km
  • Carro estreia no Japão em meados de 2021 e chega aos EUA no fim do ano que vem

A Nissan revelou na madrugada de hoje (15) a versão final do Ariya.

Como esperado, o SUV elétrico traz muito do estilo futurista do carro-conceito exibido no Salão de Tóquio de 2019. As linhas ousadas incluem uma enorme grade frontal (cuja função é meramente estética em um veículo movido a eletricidade), os faróis afilados e a bela assinatura em LEDs.

Com 4,64 metros de comprimento e distância entre-eixos de 2,77 metros, o Ariya é maior até do que SUVs médios como o Jeep Compass. As rodas de liga leve (que foram desenhadas para melhorar a aerodinâmica) podem ser de 19 ou 20 polegadas.

Opção de tração integral

Ariya 1 - Divulgação - Divulgação
Interior tem aspecto futurista e duas telas de 12,3 polegadas
Imagem: Divulgação

O Ariya será feito sobre a plataforma CMF-EV, desenvolvida pela aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

A Nissan disponibilizará duas variações para o sistema de propulsão: motor elétrico dianteiro com 217 cv e torque de 30,5 kgfm ou dois motores elétricos com potência combinada de 394 cv e 61,2 kgfm, este equipado com tração integral.

Ariya 2 - Divulgação - Divulgação
SUV será lançado no Japão em meados de 2021
Imagem: Divulgação

Serão oferecidas configurações com baterias de 63 kWh ou 87 kWh. Nesta segunda versão, a autonomia declarada pela Nissan é de 482 quilômetros.

O lançamento do Ariya acontecerá no Japão até meados de 2021. Nos Estados Unidos, onde deve custar US$ 40 mil (ou aproximadamente R$ 214 mil), o SUV deve estrear apenas no fim do ano que vem. Outros mercados, como a Europa, receberão o carro a partir de 2022.