PUBLICIDADE
Topo

Agência dos EUA investiga Tesla por problemas na central multimídia

Central de entretenimento da Tesla - Divulgação
Central de entretenimento da Tesla Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo (SP)

25/06/2020 13h18

Agência do Departamento de Transportes dos Estados Unidos, a NHTSA abriu uma investigação contra a Tesla. De acordo com a entidade, as telas sensíveis ao toque de unidades do Model S feitas entre 2012 e 2015 têm apresentado problemas com alta frequência.

No momento, a NHTSA estuda se a questão se trata de apenas problemas técnicos separados, ou se de fato é um defeito que mereça um recall. Um total estimado de 63 mil carros podem ser atingidos com o chamado.

Com muitas das características do carro hospedadas na Unidade de Controle de Mídia (MCU), o que preocupa mesmo a entidade é a visão traseira do carro, fornecida por uma câmera através da central. A NHTSA afirma: "a falha na tela sensível ao toque resulta na perda da exibição da imagem da câmera traseira quando a marcha ré é selecionada, resultando em menor visibilidade na traseira em uma manobra".

Outro problema famoso desta geração de carros é o dispositivo que alimenta a tela da MCU no processador. A memória possui apenas uma quantidade finita de vezes que pode ser programada e apagada, mas o sistema de Tesla grava arquivos nessa memória todos os dias.

Podem surgir problemas como tempo de carregamento mais lento na inicialização, perda intermitente de conectividade com celular, perda de navegação e, eventualmente, a chance de uma falha do MCU - o que desabilita Autopilot e controles climáticos do veículo.

Além dos Model S citados, este processador também se encontra em unidades do Model X feitas de 2016 a 2018, o faz o número de carros envolvidos em possível recall aumentar para cerca de 160 mil.