PUBLICIDADE
Topo

Como destravar funções escondidas no T-Cross e outros carros da VW

Painel digital de Polo e T-Cross pode receber opções de configuração e recursos disponíveis em modelos mais caros ou vendidos em outros países - Reprodução
Painel digital de Polo e T-Cross pode receber opções de configuração e recursos disponíveis em modelos mais caros ou vendidos em outros países Imagem: Reprodução

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/06/2020 04h00

Cada vez mais tecnológicos e parecidos com smartphones, os carros podem ser comparados com computadores ambulantes, considerando a quantidade de sistemas eletrônicos que eles trazem - necessários para viabilizar uma série de funções, das mais simples às mais sofisticadas.

Talvez você não saiba, mas seu carro pode trazer vários recursos já programados de fábrica, mas que estão "escondidos". Eles podem ser habilitados ou incrementados por meio de um serviço chamado "coding".

Uma rápida pesquisa do termo demonstra que o serviço hoje contempla predominantemente veículos da Volkswagen, da Audi e da BMW. No entanto, também pode ser realizado em carros de outras marcas, inclusive modelos de entrada.

De acordo com Nelson de Oliveira Junior, proprietário da VAG Coding BR, o coding consiste em "codificar" a programação de fábrica para "destravar" funções escondidas - disponíveis apenas em outros mercados ou em versões mais equipadas ou recentes de determinado veículo.

Tudo é feito por meio da porta OBD, a mesma utilizada em concessionárias para diagnosticar eventuais falhas. Conecta-se um computador a essa porta, por meio de um cabo específico, que varia de acordo com a marca do automóvel.

"Caso o cliente tenha acesso ao respectivo cabo e a um laptop, posso realizar o coding remotamente, em qualquer lugar do mundo. Entro na rede CAN [que conecta todos os módulos eletrônicos] para ativar funções previamente programadas de fábrica, mas que não estavam habilitadas", explica Junior.

Ele esclarece que os recursos liberados não envolvem a performance do veículo. Dependendo do modelo e das funções, o serviço custa de R$ 200 a R$ 1.000, informa.

No caso do SUV compacto, em unidades equipadas com o motor 1.4 TSI, é possível ativar na central multimídia os mostradores do Modo Sport, que exibem força G, pressão do turbo e temperatura do óleo - disponíveis de fábrica no Polo e Virtus GTS e no Jetta GLI.

Considerando versões equipadas com painel digital, independentemente do modelo, há outras modificações disponíveis, diz Junior.

"No caso do T-Cross, o marcador de velocidade vai até 260 km/h. É possível aumentar para 320 km/h. Também dá para mudar a escala do velocímetro para que exiba intervalos de 10 km/h", relata.

Outra modificação popular em veículos da VW, independentemente do modelo, é alterar o indicador de autonomia no painel, seja analógico ou digital: em vez de mostrar apenas a quilometragem restante, dá para exibir a quantidade de litros que falta para encher o tanque, explica.

Também é possível, em modelos dotados de painel digital, destravar o menu que permite escolher diferentes cores, em veículos nos quais a opção não é oferecida.

Sem as mãos

No caso do Volkswagen Tiguan Allspace R-Line e do Passat, que no Brasil trazem controle de velocidade de cruzeiro adaptativo de fábrica, o coding libera até a condução semiautônoma - que faz curvas por conta própria em rodovias, por meio da leitura das faixas, e agrega a identificação automática de placas de trânsito, mas não foi habilitada pela montadora para o mercado brasileiro.

Isso inclui a função de piloto automático adaptativo em congestionamentos.

"Esses carros vêm equipados com uma câmera no para-brisa, capaz de detectar pedestres e identificar placas. Consigo liberar a funcionalidade total dessa câmera, bem como um menu que permite escolher o tempo do alerta para que o motorista ponha novamente as mãos no volante".

O coding não está restrito aos veículos mais caros e sofisticados. Até o VW Up permite realizar personalizações.

"Uma das funcionalidades mais pedidas no Up é habilitar ou desabilitar a confirmação sonora da ativação do alarme. Também é possível liberar as 'cornering lights', que acendem o farol auxiliar no mesmo lado para o qual você vira o volante. Outra mudança bastante requisitada é deixar a assistência de direção mais leve".

Nelson de Oliveira Junior destaca que já estuda a implementação do coding para marcas como Porsche, Mercedes-Benz e até Ford.

"Ford Ka equipado com retrovisores elétricos, por exemplo, pode incorporar a função 'tilt-down', em que o espelho no lado do passageiro abaixa automaticamente ao engatar a ré, para não ralar a roda na guia. Também é viável instalar uma central multimídia Sync 3 em modelos antigos", exemplifica.

Dario Paes, da Bravus Performance, também executa o serviço e seu foco é maior em carros da BMW.

"É possível alterar a configuração dos faróis de LED, ativar o controle de largada em modelos mais antigos, colocar central multimídia mais moderna e desbloquear o tocador de DVD com o carro em movimento".

Como fica a garantia?

Coding Golg TSI 2014 - Reprodução - Reprodução
Golf 2014 pode ganhar multimídia mais recente 100% funcional graças ao coding
Imagem: Reprodução

UOL Carros questionou a Volkswagen se o coding compromete a garantia de fábrica, porém a marca não respondeu. Junior, por outro lado, diz que a cobertura não é comprometida.

"Tenho parceria com oficinas e, inclusive, concessionárias, que oferecem o serviço como item 'opcional'. Clientes meus tiveram de recorrer à garantia, por conta de problemas alheios ao coding, e não houve qualquer problema. Você passa no scanner e não acusa nada, porque o coding só libera recursos originais de fábrica. Eu mesmo tenho VW e acionei a garantia tranquilamente".

Ainda assim, vale destacar que existem riscos.

"Se não souber como fazer, pode danificar o módulo. Os carros da Volkswagen, por exemplo, têm configurações diferentes para os Estados Unidos, a Europa, o Reino Unido e o resto do mundo. Se fizer coding em um carro para o mercado brasileiro usando os parâmetros norte-americanos, pode estragar o veículo e a VW não vai cobrir o reparo em garantia".