PUBLICIDADE
Topo

4 em 1? Mercedes já juntou sedã, perua, picape e conversível em um só carro

Do UOL

Em São Paulo (SP)

31/05/2020 04h00

Que tal um carro que atenda todas as necessidades? Foi o que a Mercedes-Benz pensou ao desenvolver este conceito em 1995. Mostrado no Salão de Genebra, o VRC (sigla para Vario Research Car) Concept permitia ser configurado em quatro tipos de carroceria. Elas eram: sedã, picape (de dimensões modestas, é claro), conversível e perua.

O veículo base era um compacto de duas portas que aceitava diferentes estruturas de plástico reforçado com fibra de carbono na parte superior. A troca das estruturas, segundo a Mercedes, levava apenas 15 minutos.

Obviamente não era esperado que o veículo armazenasse internamente todas as estruturas. A solução visava mais o compartilhamento do carro, com a carroceria podendo ser convertida ao gosto do proprietário. Essa era a visão de futuro que a Mercedes tinha do mercado automotivo em 1995.

Um comunicado dizia: "... as pessoas terão mais tempo de lazer à sua disposição e passarão esse tempo se dedicando a atividades muito diferentes. E elas desejarão selecionar seus carros com atividades de lazer e uso diário em mente. Manter uma frota própria, no entanto, não é econômico. E é aqui que o Vario Research Car da Mercedes-Benz entra em cena."

A ideia é mais ou menos como a do serviço de carro por mensalidade, já disponível no exterior em marcas como Cadillac, BMW e Volvo. A diferença é que em vez de trocar de carro, você trocaria apenas de teto.

O conceito também foi o primeiro Mercedes com a tecnologia drive-by-wire - sem conexões mecânicas nos sistemas de freio e direção - e suspensão adaptativa.

Entretanto, 25 anos depois podemos dizer que o conceito central do carro não foi para frente, ainda que a ideia seja bastante útil. Vejamos se alguém - ou a própria Mercedes - se aventura a fazer algo parecido em breve.