PUBLICIDADE
Topo

VW Play: central do Nivus virou 'smartphone sem internet' após 6 mil testes

Nivus será revelado oficialmente na próxima quinta-feira - Renato Aspromonte/Overboost BR
Nivus será revelado oficialmente na próxima quinta-feira
Imagem: Renato Aspromonte/Overboost BR

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/05/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Central multimídia VW Play começou a ser desenvolvida em 2017
  • Fabricante fez testes de vibração e de resistência a diversos tipos de poeira
  • Marca estuda oferecer modem USB para suprir falta de internet a bordo

A conectividade será um dos principais destaques do Volkswagen Nivus. O SUV cupê será revelado oficialmente na próxima quinta-feira (28) com o VW Play, nova central multimídia que também equipará outros modelos da marca.

Desenvolvido inteiramente no Brasil por uma equipe de aproximadamente 50 pessoas, o sistema levou três anos para ser finalizado, sob a liderança de Matheus Arantes, gerente de engenharia elétrica e eletrônica da VW Brasil.

"Foi em 2017 que começamos a planejar a próxima geração de elétrica e eletrônica baseada na plataforma MQB e vimos uma tendência forte na conectividade. Fizemos várias clínicas em mais de 20 cidades do Brasil e conversamos com amigos da América do Sul para entender como as pessoas usam a tecnologia e o que elas esperam do carro. Nossa intenção era reinventar a maneira como as pessoas usam a tecnologia e o que esperam dela dentro do veículo", afirmou Matheus, em entrevista exclusiva a UOL Carros.

Painel do VW Nivus - Reprodução - Reprodução
Central multimídia terá tela de 10 polegadas com vidro à prova de riscos
Imagem: Reprodução

Durante as clínicas (reuniões com clientes em potencial nas quais são apresentadas propostas de design e outras características de um veículo ainda não lançado) é que a VW mapeou as preferências do consumidor.

"Começamos a desenhar as interfaces e as funcionalidades e realizamos testes comparativos chamados de 'AB', nos quais mostramos duas centrais multimídias diferentes para verificar qual delas agrada mais os clientes. A partir dessas informações começamos a realizar a integração com a plataforma MQB para adequar tecnologias e funções".

Testes sem fim

Flagra do novo SUV cupê da Volkswagen - Vitor Matsubara/UOL - Vitor Matsubara/UOL
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

A partir daí foi iniciada a fase de validação do projeto, na qual a fabricante estima ter realizado 6 mil testes em 12 meses, alguns deles bem severos.

"Durante esse estágio desenvolvemos peças para garantir que elas vão funcionar em condições extremas. Realizamos testes em temperaturas de -30º C até 85º C, além de um teste chamado shaker no qual a peça fica vibrando por aproximadamente 2.700 horas. É possível simular até o funcionamento em um teste que reproduz diferentes tipos de poeiras", conta Matheus.

Os laboratórios da empresa também simulam situações que acontecerão com frequência no dia-a-dia do motorista, como analisar o funcionamento da câmera traseira com a marcha a ré engatada e o limpador traseiro acionado. Feitas todas as análises é que os protótipos saem às ruas para realizar os testes finais antes da produção.

Tem apps, mas não internet

VW Nivus Central multimídia - Divulgação - Divulgação
Central multimídia VW Play foi desenvolvida inteiramente no Brasil
Imagem: Divulgação

Além da interface mais amigável e a boa ergonomia, a central multimídia traz uma tela tátil com vidro temperado à prova de riscos e que não estilhaça em impactos mais fortes, como em uma eventual colisão.

Porém, uma das novidades mais interessantes do VW Play é a oferta de uma loja de aplicativos com serviços exclusivos para clientes da marca.

"Percebemos que os proprietários gostariam de ter dentro do carro os aplicativos que já utilizam no dia-a-dia. Fizemos uma curadoria para descobrir quais serviços o cliente desejava e chegamos a alguns apps, como o iFood e a Porto Seguro"
.
Matheus também explicou porque a Volkswagen decidiu não oferecer internet nativa no VW Play, a exemplo do que fez a Chevrolet com o MyLink dos novos Onix, Onix Plus e Tracker.

"Foi uma decisão baseada no fato de que a maioria dos brasileiros tem um celular com internet no bolso. Além disso, nossas pesquisas identificaram que o consumidor não gostaria de ter mais um boleto para pagar todo mês. Mas estamos antenados com as tendências do mercado e estamos pensando em oferecer um modem que pode ser conectado na entrada USB", concluiu.