PUBLICIDADE
Topo

Ferrari como viatura? Conheça o carrão que perseguia gangues na Itália

Ferrari 250GTE 1962 viatura policial - Divulgação
Ferrari 250GTE 1962 viatura policial Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo (SP)

25/05/2020 04h00

Um modelo para lá de especial da Ferrari 250GTE está sendo vendido na Itália. O carro foi utilizado nos anos 1960 para perseguir gangues da região de Roma que possuíam carros mais potentes que as viaturas policiais da época. Assim, a Ferrari à venda data de 1962 possui a cor preta, uma inscrição com o número da polícia na porta e uma sirene azul.

A empresa responsável pela venda é a Girardo & Co, em Milão. A história do carro vem de uma reunião do chefe de polícia local com a equipe que comandava suas viaturas. Ele perguntou o que era necessário para derrotar os criminosos e um dos oficiais superiores presentes respondeu: "seria necessário uma Ferrari".

Assim, o presidente italiano à época, Giovanni Gronchi, comprou duas Ferrari 250GTEs para o trabalho policial. O plano teve um início ruim, quando um carro, com o chassi número 3363, foi destruído durante os testes antes de entrar em serviço. O modelo que está à venda foi o segundo chassi (número 3999) entregue à "Squadra Mobile" de Roma em 1963.

As histórias de perseguição do modelo ficaram famosas e geraram até um filme de baixo orçamento chamado Poliziotto Sprint, que possui uma cena da Ferrari descendo a escadaria ao lado da Igreja da Santíssima Trindade dos Montes, em Roma - algo que segundo relatos ocorreu de verdade.

Em 1968, o carro passou a fazer entregas de sangue emergenciais na cidade de Nápoles e fez isso até ser vendido em 1972 a um empresário que o manteve por 40 anos.

Depois disso, o carro fez aparições em museus e desfiles e agora está sendo vendido mais uma vez. Os interessados podem saber o preço perguntando diretamente ao revendedor.