PUBLICIDADE
Topo

Chefão da Porsche diz que 911 poderia ser menor, mas elogia geração atual

Executivo crê que 911 poderia ser menor, mas diz que geração atual está aprovada - Marcos Camargo/UOL
Executivo crê que 911 poderia ser menor, mas diz que geração atual está aprovada
Imagem: Marcos Camargo/UOL

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/05/2020 10h52

Resumo da notícia

  • Executivo gostaria que 911 fosse um pouco menor
  • Porsche pode dar continuidade à motorização 3.0 boxer
  • Novas normas de poluentes podem reabrir espaço para motores maiores

O vice-presidente das linhas 911 e 718, Frank-Steffen Walliser, afirmou que gostaria de ver um 911 menor do que o modelo atual.

Em entrevista à "Go Auto" durante as apresentações dos novos 911 Targa, o executivo afirmou que o icônico esportivo poderia, sim, ser mais esportivo e mais compacto do que a geração atual.

"Talvez eu faria (o carro) um pouco mais esportivo do que o 992 (codinome da atual geração) no geral, mas não há queixas sobre este modelo. Se eu tivesse um desejo, gostaria que ele fosse menor, mas não passa de um desejo", afirmou.

Mesmo assim, são praticamente nulas as chances de vermos um 911 menor no futuro, até porque isso poderia atrapalhar as vendas dos modelos mais compactos da marca, como o Cayman e o Boxster.

Além disso (e mais importante), o 911 possui uma clientela fiel que não abre mão das características que fazem dele o modelo mais amado e icônico da Porsche - e qualquer alteração nessa fórmula seria arriscada demais.

Novos rumos

Questionado sobre o futuro do modelo mais famoso da marca, Walliser afirmou que as novas normas de emissões de poluentes na Europa (que entram em vigor a partir de 2026) poderão aumentar a capacidade volumétrica de seus motores.

Frank acredita que isso representaria uma "ameaça" à tendência de downsizing - na qual os motores tem menor cilindrada. Em contrapartida, motorizações como a atual 3.0 de seis cilindros do 911 poderia resistir por um bom tempo na linha.

"A Euro 7 (novas normas de poluentes) pode causar uma mudança ainda maior do que antes porque pode resultar na volta de motores com maior capacidade volumétrica. Várias fabricantes vão 'pular' de quatro para seis (cilindros) e de seis para oito novamente. E isso significa novas motorizações, inclusive para o 911. Claro que queremos manter o (motor) seis cilindros em linha, mas vamos ter que fazer uma nova motorização", concluiu.