PUBLICIDADE
Topo

App e até licenciamento: como saber se seu carro precisa fazer um recall

Recalls pendentes são informados por aplicativo e até no documento do carro - Murilo Góes/UOL
Recalls pendentes são informados por aplicativo e até no documento do carro
Imagem: Murilo Góes/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Aplicativo informa recalls pendentes e oferece até agendamento em concessionária
  • Chamados também são informados em documentação do carro desde final de 2019
  • Realização de recalls, porém, não é obrigatória e nem impede licenciamento do veículo

Comprar um carro seminovo demanda uma série de cuidados para não ser enganado. Um dos mais importantes é o histórico de manutenções, inclusive a realização (ou não) de eventuais recalls.

Até alguns anos atrás, o novo proprietário precisaria consultar base de dados da própria montadora para descobrir se o veículo havia passado por recall. Hoje, porém, existem outras maneiras de identificar a necessidade de realização de reparo.

Uma delas é o uso de aplicativos feitos exclusivamente para isso, como o Papa Recall. Disponível para download gratuito, ele informa se um veículo já teve algum recall convocado pela montadora.

"O usuário cadastra quantos carros quiser e fica sabendo na hora os recalls realizados em cada carro. Nossa base tem mais de 735 recalls dos últimos quinze anos. A maior vantagem do aplicativo são os alertas de recall, que informa o usuário assim que um novo recall é comunicado", afirma Vinícius Melo, CEO do Papa Recall.

Essa base de dados se torna útil em tempos de quarentena, já que, embora oficinas estejam autorizadas a funcionar, as concessionárias e showrooms estão fechadas por decreto em vários Estados do Brasil. Assim, o proprietário pode agendar o reparo por meio do próprio aplicativo (que oferece uma base de aproximadamente 4 mil concessionárias) e levar seu carro para realizar o recall.

No entanto, o usuário nem precisa recorrer a aplicativos para descobrir se um veículo precisa passar por recall. Desde outubro de 2019, todo recall convocado pela montadora consta no CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) pelo prazo de um ano. Caso o proprietário não atenda o chamamento dentro de 12 meses, o recall passa a ser informado no próximo licenciamento.

Do lado das montadoras, existe um prazo de 15 dias para atualização no Sistema Renavam. Findado o prazo, a pendência será removida do CRLV no próximo licenciamento. Durante este período, o motorista pode solicitar uma segunda via do documento atualizada mediante pagamento. Na versão digital da CRLV, basta atualizar o aplicativo que o documento incluirá os novos dados.

Como as montadoras só têm acesso aos dados do primeiro proprietário do veículo, cabe ao Denatran a tarefa de comunicar o recall ao atual proprietário. Ele será contatado por e-mail e mensagem de texto (SMS). Caso não seja localizado em nenhum dos meios, uma correspondência é enviada pelo correio.

Porém, é bom esclarecer que a não realização do recall não impede o licenciamento do veículo. A obrigatoriedade chegou a ser estudada em projetos de lei que tramitavam no congresso, mas o governo decidiu apenas alertar o proprietário e o futuro comprador da necessidade de realizar o recall.