PUBLICIDADE
Topo

Tracker x T-Cross: por que rivalidade vai muito além de gafes e provocações

Chevrolet Tracker 2021  (foto) estreia nova plataforma e visual totalmente atualizado; seu rival natural é o VW T-Cross em porte, faixa de preço e tecnologia a bordo - Divulgação
Chevrolet Tracker 2021 (foto) estreia nova plataforma e visual totalmente atualizado; seu rival natural é o VW T-Cross em porte, faixa de preço e tecnologia a bordo
Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Marcas têm se alfinetado nas redes sociais para defender as qualidades dos seus SUVs compactos
  • VW ironizou GM após tampa do porta-malas do Tracker não abrir durante apresentação à imprensa
  • Chevrolet Tracker chega às concessionárias custando entre R$ 82 mil a R$ 112 mil
  • VW T-Cross parte de R$ 85.990 e chega a R$ 114.990, sem contar opcionais
  • Modelo da VW tem entre-eixos maior, mas perde nas demais medidas
  • Modelo da GM de diferencia por trazer 4G dedicado; VW tem motores mais potentes

Na semana passada, General Motors e Volkswagen trocaram provocações nas redes sociais, destacando as alegadas virtudes das respectivas linhas de SUVs.
Tudo começou por causa de uma gafe da GM na apresentação do novo Chevrolet Tracker, durante a qual executivos não conseguiram abrir a tampa do porta-malas do veículo porque a alavanca do câmbio estava em neutro.

Alfinetadas à parte, as duas marcas têm produtos que irão rivalizar diretamente na disputa por clientes, por conta das características semelhantes.

O Tracker 2021 chega às concessionárias com nova plataforma, fabricação nacional, ênfase nos recursos de segurança, muita tecnologia embarcada e oferta de motor turbo flex em todas as versões.

Qualquer semelhança com o VW T-Cross não é coincidência.

O novo Tracker é um projeto global, lançado inicialmente na China, e os profissionais de marketing e de engenharia da General Motors usaram o concorrente da Volkswagen como referência.

Tanto que executivos da Chevrolet fizeram comparações com o T-Cross em mais de uma oportunidade durante o lançamento, embora não tenham citado o nome do rival da marca alemã diretamente.

"Clientes criticam muito um concorrente pela qualidade do acabamento. Rivais pecam bastante no uso extensivo de plásticos rígidos", disse na apresentação Rodrigo Fioco, diretor de marketing de produto da GM na América do Sul, para exaltar o suposto maior refinamento do Tracker na cabine.

Lançado há cerca de um ano, o T-Cross também é um carro mundial, comercializado na Europa - embora tenha caraterísticas específicas para nosso mercado, da mesma forma que o concorrente.

A GM acredita que a novidade tem potencial para chegar à liderança da categoria, apostando em preços competitivos e oferta de itens valorizados pelos clientes.
Confira abaixo as armas de Tracker e T-Cross nessa briga, que tem tudo para ser bem disputada.

Preços

Volkswagen T-Cross 200 TSI Comfortline dianteira chapada - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Modelo da VW tem gama mais enxuta e compensa com pacotes opcionais; Tracker traz pacotes fechados
Imagem: Murilo Góes/UOL

Sem opcionais, o Tracker 2021 chega com preços sugeridos de R$ 82 mil a R$ 112 mil, distribuídos nas cinco versões padrão, enquanto a configuração para clientes PCD sai por R$ 56.877, incluídas as isenções de IPI e ICMS previstas para esse público.

Já o T-Cross teve a tabela das versões de entrada e de topo reajustada em R$ 1.000 na semana passada e suas três versões partem de R$ 85.990 e chegam a R$ 114.990. A gama é menor, porém todas as configurações contam com pacotes opcionais.

Completa, a versão de topo Highline do VW chega a custar R$ 129.770, preço que inclui os pacotes de pintura bicolor (R$ 1.920), indisponível no modelo da Chevrolet; teto solar panorâmico (R$ 4.850), equipamento de série no Tracker Premier, o mais completo; e kit que traz assistente de estacionamento, faróis full-LED, luz alta automática e som da Beats por R$ 6,1 mil.

Dos últimos itens, o Tracker "completão" sai da fábrica com o estacionamento semiautônomo e os LEDs nos faróis, mas não oferece luz alta automática nem som premium.

Já a opção PCD do VW custa R$ 57.630 com todos os descontos.

Os valores informados não incluem eventual gasto extra por conta da opção de pintura da carroceria.

Equipamentos e conectividade

Chevrolet Tracker Premier 2020 - Divulgação - Divulgação
Tracker é o único da dupla a contar com internet 4G dedicada e roteador Wi-Fi; pacote de dados tem mensalidade
Imagem: Divulgação

Além dos recursos mencionados das configurações mais caras, ambos saem de fábrica nas versões mais simples com rodas de liga leve de 16 polegadas, volante com regulagem de altura e profundidade, banco do motorista ajustável em altura e console central com descansa-braço.

Porém, com câmbio manual, disponível somente na versão de entrada dos SUVs, só o Tracker 1.0 tem duas portas USB para o banco traseiro - disponíveis no T-Cross apenas a partir da versão 200 TSI automática, que agrega, nessa configuração, saídas do ar-condicionado para quem viaja atrás.

Nenhuma versão do SUV da Chevrolet oferece esse item.

Porém, no que se refere à conectividade, o utilitário da GM traz desde a opção de entrada a central multimídia MyLink com tela tátil de oito polegadas, compatível com Android Auto e Apple CarPlay e, principalmente, com Wi-Fi integrado, mais internet 4G dedicada - disponível mediante pagamento de mensalidade.

Tem operação intuitiva e é muito rápida ao toque.

Nas versões Confortline (R$ 106.790 iniciais) e Highline, o T-Cross também traz central multimídia de oito polegadas com Android Auto e CarPlay, mas não oferece a conexão à internet nem a função de roteador Wi-Fi.

Na 200 TSI manual, de entrada, vem apenas com rádio dotado de Bluetooth, mais entradas USB e SD. Já a 200 TSI automática (R$ 94.490) vem com tela tátil, porém mais simples e com 6,5 polegadas.

Essa central multimídia também pode equipar o T-Cross de entrada em pacote de R$ 1.735 tanto com câmbio manual quanto automático, que agrega sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, mais dois alto-falantes adicionais, totalizando seis.

O Tracker tem seis alto-falantes em todas as configurações.

Especialmente na opção mais sofisticada, a central do T-Cross também traz interface caprichada e operação rápida, porém não tanto quanto no Chevrolet.

Nas configurações intermediária e de topo, o SUV da General Motors traz, ainda carregamento de celular por indução, sem fio, outra exclusividade.

Por sua vez, o Volkswagen contra-ataca com painel de instrumentos 100% digital e configurável em tela de alta resolução de 12,3 polegadas desde a versão Comfortline. O Tracker 2021 não tem à disposição esse recurso.

O VW tem sensor de chave e partida do motor por botão a partir da opção Comfortline. O Tracker conta com esses recursos na configuracão para PCD e, nas demais, os itens são oferecidos desde a variante LTZ 1.2 (R$ 99,9 mil), a segunda mais completa.

Segurança

Chevrolet Tracker Premier 2020 segurança - Divulgação - Divulgação
Tracker traz sistema de estacionamento semiautônomo de série na versão Premier; no T-Cross, é opcional
Imagem: Divulgação

Quanto à segurança, o novo Chevrolet Tracker e o T-Cross vêm equipados, desde a configuração mais barata, com seis airbags, controles de tração e estabilidade e tração, cintos de segurança de três pontos e encosto de cabeça em todos os assentos - sendo que os cintos dianteiros contam com pré-tensionador.

A dupla também conta com Isofix.

O representante da Volkswagen traz, em todas as configurações, bloqueio eletrônico de diferencial, que freia a roda interna individualmente para manter o veículo na trajetória. O Chevrolet também conta com esse recurso.

Na versão Premier, o Chevrolet vira o jogo: vem com alerta de colisão frontal e frenagem automática de emergência, itens inéditos no segmento, enquanto o T-Cross mais equipado conta com frenagem automática pós-colisão, que freia o veículo após uma batida para minimizar os danos e o risco de lesões aos ocupantes.

O representante da GM conta também com alerta de ponto cego desde a configuração LTZ, enquanto o utilitário esportivo da VW não dispõe desse item.

O VW já foi submetido ao teste de impacto do Latin NCAP, no qual foi avaliado com nota máxima (5 estrelas) tanto na proteção de adultos quanto de crianças. O Chevrolet ainda não foi avaliado pelo instituto de segurança, porém o novo Onix, no qual ele é baseado, passou pelo crase-test e também levou cinco estrelas.

Desempenho

VW T-Cross Comfortline lateral movimento - Marcos Camargo/UOL - Marcos Camargo/UOL
VW T-Cross tem motores 1.0 e 1.4 turbo mais fortes do que o 1.0 e o 1.2 turbinados da GM, mas é mais pesado
Imagem: Marcos Camargo/UOL

Além do Caoa Chery Tiggo 5x, Tracker e T-Cross são os únicos SUVs compactos nacionais a contar com motor turbo bicombustível em todas as versões.

Nas configurações de entrada Turbo 1.0 com transmissão manual de seis marchas e LT 1.0 (R$ 89,9 mil), automática, também de seis velocidades, o SUV da Chevrolet traz o mesmo propulsor turbo flex do novo Onix, com 1 litro de cilindrada, três cilindros, injeção indireta e que entrega 116 cv a 5.500 rpm e 16,3/16,8 kgfm a 2.000 rotações - porém, com calibragem específica.

Por sua vez, as configurações 200 TSI e Comfortline 200 TSI do T-Cross vêm com o motor 1.0 turbo, igualmente bicombustível, porém dotado de injeção direta, com 116/128 cv a 5.500 giros e 20,4 kgfm a partir de 2.000 rotações.

Já as versões mais caras do Tracker vêm com o inédito propulsor 1.2 turbo flex, também com injeção indireta de combustível e construído com três cilindros, que rende até 132/133 cv e 21,4/19,4 kgfm a 2.000 rpm.

O T-Cross tem pesos em ordem de marcha entre 1.305 kg e 1.335 kg, ao passo que o Tracker é mais leve, partindo de 1.196 kg e chegando a 1.271 kg, o que tem de ser considerado quanto à performance.

Tamanho

Chevrolet Tracker Premier 2020 lateral - Reprodução - Reprodução
Nova geração do Tracker mede 4,27 m, considerando a especificação chinesa; T-Cross ganha no entre-eixos
Imagem: Reprodução

Quanto ao tamanho, o novo Tracker é maior do que o T-Cross em quase todas as dimensões, exceto uma que é decisiva quanto ao espaço interno: a distância entre-eixos - que é de 2,57 m no Chevrolet e de 2,65 m no VW.

Quanto às demais, o Tracker tem 4,27 m de comprimento (+ 8 cm), 1,79 m de largura (+ 3 cm), 1,62 m de altura (+ 5 cm) e 393 litros de porta-malas (+ 20 litros). Vale ressaltar que o utilitário da Volkswagen tem um sistema que altera a posição do banco traseiro e amplia a capacidade para 420 litros de bagagens.

Viu um carro camuflado ou em fase de testes? Mande para o nosso Instagram e veja sua foto ou vídeo publicados por UOL Carros! Você também pode ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito participando do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no resumo da notícia, o VW T-Cross tem um entre-eixos maior que o do Chevrolet Tracker. A informação foi corrigida.