PUBLICIDADE
Topo

Peugeot 2008 turbo: como é andar no SUV que tem jeito de perua

Peugeot 2008 passou por reestilização em maio, porém motor turbo com câmbio automático só chegaram no fim de outubro - Divulgação
Peugeot 2008 passou por reestilização em maio, porém motor turbo com câmbio automático só chegaram no fim de outubro
Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Finalmente modelo ganhou combinação de motor turbo e câmbio automático
  • Dupla é exclusividade da versão topo de linha Griffe THP, por R$ 100 mil
  • Desempenho e porte mais compacto agradam ao volante
  • Suspensão poderia, no entanto, trazer ajuste mais esportivo

O Peugeot 2008 é um SUV diferente. Traz dimensões mais compactas e carroceria mais baixa do que a média dos utilitários esportivos, medindo 4,16 m de comprimento e 1,58 m de altura.

A título de comparação, o Chevrolet Tracker, que não é dos maiores da categoria, mede 4,26 m e 1,68 m, respectivamente,

Para os saudosos das peruas, cada vez mais escassas no mercado brasileiro, o 2008 é uma opção que se aproxima do que elas propõem: oferece posição mais baixa de dirigir, ainda mais com o volante pequeno e o painel de instrumentos bem elevado, para manter os olhos sempre na pista. E é mais espaçoso do que o hatch 208.

Além disso, quem gosta de um carro ágil, bom de acelerar, vai gostar do desempenho do motor 1.6 THP turbo flex, disponível hoje em boa parte da gama da PSA, nas versões mais caras.

No caso do 2008, a Peugeot finalmente passou a oferecer, desde o fim de outubro, essa motorização acompanhada de câmbio automático de seis marchas. Com isso, atendeu a uma antiga reivindicação dos clientes: desde abril de 2015, quando o 2008 estreou no mercado brasileiro, o motor THP só era disponibilizado no utilitário esportivo com transmissão manual de seis velocidades - opção descontinuada.

Tampa traseira não traz nenhuma inscrição remetendo ao motor 1.6 turbo; rodas de 16 polegadas são de série - Divulgação
Tampa traseira não traz nenhuma inscrição remetendo ao motor 1.6 turbo; rodas de 16 polegadas são de série
Imagem: Divulgação

UOL Carros testou durante uma semana o SUV (ou seria um crossover?) justamente com a nova combinação de motor e câmbio, disponível apenas na versão topo de linha Griffe THP. O preço sugerido é de R$ 99.990, válido apenas para a cor vermelha Rubi da unidade testada. As demais alternativas de pintura demandam um gasto extra de R$ 1.290.

Com esse preço, o 2008 turbinado custa R$ 10 mil a mais do que a configuração Griffe com motor 1.6 aspirado de 118 cv e 16,1 kgfm, gerenciado pela mesma transmissão automática. O valor extra paga a motorização mais potente, que é consideravelmente mais forte: entrega 173 cv e 24,5 kgfm.

Cabine traz bom acabamento, volante pequeno e painel de instrumentos elevado; multimídia tem 7 polegadas - Divulgação
Cabine traz bom acabamento, volante pequeno e painel de instrumentos elevado; multimídia tem 7 polegadas
Imagem: Divulgação

Também acrescenta controles de tração e estabilidade e o Grip Control, seletor que ajusta esses sistemas eletrônicos para melhor tração em diferentes tipos de terreno, que na prática não será muito acionado. Vale a pena o gasto extra?

Se você está de olho no 2008 e faz questão de mais performance e segurança, a resposta é sim. O preço de R$ 100 mil, pela quantidade de equipamentos de série, também é convidativo na comparação com a concorrência.

Com turbo, outro carro

Teto panorâmico fixo é item de série; aceleração de zero a 100 km/h acontece em menos de 9 segundos - Divulgação
Teto panorâmico fixo é item de série; aceleração de zero a 100 km/h acontece em menos de 9 segundos
Imagem: Divulgação

Com o motor turbo, o SUV se transforma em outro carro. A motorização empolga a cada acelerada e conversa muito bem com o câmbio de seis marchas, que traz trocas suaves e no tempo certo - além de contar com modos esportivo e econômico, acionados por botões junto à alavanca. Poucas marcas, fora as de luxo, trazem um trem de força tão equilibrado e competente.

A esportividade, no entanto, só não é maior por conta do ajuste das suspensões. A calibragem, que privilegia o conforto, ajuda a encarar os buracos, as lombadas e as valetas no dia a dia, mas faz a carroceria balançar mais do que o desejável - nada que comprometa a segurança, longe disso. Mas reduz aquela sensação de carro sempre "na mão".

Tapa no visual

208 ganhou atualização na dianteira enquanto nova geração não vem; comprimento é de 4,16 m - Divulgação
208 ganhou atualização na dianteira enquanto nova geração não vem; comprimento é de 4,16 m
Imagem: Divulgação

Por fora, o 2008 ganhou uma atualização visual em maio passado, concentrada na dianteira, que recebeu novos para-choque e grade, com acabamento preto brilhante e efeito "tridimensional". A frente ficou parecida com a dos "irmãos maiores" 3008 e 5008.

Por dentro e na parte traseira não houve alterações. Isso significa que o 2008 mantém bancos confortáveis e acabamento interno de qualidade, trazendo, na versão de topo, detalhes em metal e bancos com revestimento de material sintético, imitando couro, e tecido. Não há partes emborrachadas, mas o Peugeot manda muito bem quanto à aparência da cabine. Atrás, duas pessoas de estatura média não vão passar aperto.

Teto solar não abre, mas agrega um toque de sofisticação ao SUV compacto da Peugeot - Divulgação
Teto solar não abre, mas agrega um toque de sofisticação ao SUV compacto da Peugeot
Imagem: Divulgação

O porta-malas, por sua vez, não chega a empolgar. Porém, com capacidade para 402 litros de bagagens, é maior do que o de alguns rivais diretos.

A lista de equipamentos de série inclui teto solar panorâmico fixo, dotado de uma cortina elétrica para os dias mais quentes; rodas de liga leve diamantadas de 16 polegadas; ar-condicionado digital de duas zonas; sensores de chuva e dos faróis; central multimídia de sete polegadas com Apple CarPlay e Android Auto; seis airbags; e freios a disco nas quatro rodas.

Freio de estacionamento em forma de manche é estiloso, mas rouba espaço para apoio de braço - Divulgação
Freio de estacionamento em forma de manche é estiloso, mas rouba espaço para apoio de braço
Imagem: Divulgação

Recursos como sensor de chave e partida do motor por botão não estão disponíveis - e são oferecidos no C4 Cactus, da co-irmã Citroën, que briga no mesmo segmento, porém é mais caro com tudo a que tem direito.

Multimídia traz tela tátil de 7 polegadas e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay - Divulgação
Multimídia traz tela tátil de 7 polegadas e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay
Imagem: Divulgação

Alguns detalhes da cabine não agradaram. O freio de estacionamento em forma de manche até combina com o arrojo do painel alto e do volante diminuto, porém fica em uma posição que impediu a instalação de um apoio de braço efetivo. Além disso, a alavanca do câmbio fica muito perto do painel, dificultando o acesso aos porta-copos.

A multimídia, embora proporcione operação rápida e fluida, traz porta USB ao lado da tela e não no console central, onde seria mais conveniente.

Segunda geração estreia em 2021

São aspectos que na sua maioria serão corrigidos com a chegada da segunda geração do 2008, recentemente apresentada na Europa e que vai estrear no Brasil em 2021. Terá produção na Argentina juntamente com o novo 208, que chega primeiro, já no ano que vem.

Quando estrear aqui, o novo 2008 deverá trazer, como o europeu, freio de estacionamento elétrico, opção de painel digital e mais espaço interno. Ao mesmo tempo, ficará mais alto e com dimensões típicas de SUV - portanto, perderá o charme de ser uma opção intermediária entre SUV e perua.

Pelo menos, a Peugeot deverá manter por algum tempo as duas gerações na rede de concessionárias.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

FICHA TÉCNICA

Motor: 1.6, turbo, quatro cilindros, injeção direta, flex
Potência: 173/165 cv a 6.000 rpm
Torque: 24,5 kgfm a 1.750 rpm
Câmbio: automático de seis marchas; tração dianteira
Velocidade máxima: 209 km/h
0-100 km/h: 8,8 s
Dimensões: 4,16 m (comprimento), 2,54 m (entre-eixos)
Porta-malas: 402 litros
Preço: R$ 99.990

lançamentos e mercado