PUBLICIDADE
Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

Baterias de carros elétricos perdem 2,3% de capacidade por ano, diz estudo

Tesla Model S - Divulgação
Tesla Model S Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo (SP)

17/12/2019 10h29

Segundo estudo da empresa canadense de rastreamento e telemática Geotab, as baterias dos carros elétricos perdem em média cerca de 2,3% de capacidade por ano. Para esta conclusão, foram utilizados dados de 6.300 automóveis em todo o mundo.

Assim, segundo a empresa, as baterias durarão mais que os próprios carros que abastecem. Entretanto, o estudo da Geotab foi mais fundo e mostrou que a maneira como a bateria é resfriada ou aquecida pode influir em sua longevidade.

Um Tesla Model S de 2015 - que utiliza um sistema de refrigeração líquida - teve a sua bateria perdendo cerca de 2,3% de capacidade por ano, enquanto que um Nissan Leaf - com um sistema de refrigeração passiva a ar - viu sua bateria perdendo capacidade de 4,2% no mesmo período. O sistema de carregamento rápido também pode contribuir para a degradação de uma bateria.

Ainda assim, a Geotab pontua que a queda de uma bateria pode não ser linear, com um lento declínio podendo ser seguido por um bastante acentuado. Outro fator que pode influenciar na queda de uma bateria são as atualizações de sistema para proteger o veículo de possíveis problemas, como já feito pela Tesla.

Outro ponto interessante revelado pelo estudo é de que veículos utilizados de maneira recorrente não desgastam mais sua bateria do que os que são raramente usados. Ainda assim, a localização geográfica pode afetar a duração de uma bateria, com lugares de clima quente podendo aumentar o desgaste.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Seu Automóvel