Topo

Cultura do carro


Toyota é mais uma marca a investir no automobilismo; veja outros exemplos

Novo Corolla estará nas pistas da Stock Car com equipe Gazoo Racing - Murilo Góes/UOL
Novo Corolla estará nas pistas da Stock Car com equipe Gazoo Racing
Imagem: Murilo Góes/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

16/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Empresa japonesa se junta à Chevrolet no grid da Stock Car em 2020
  • Fabricante também vai investir nas categorias de base
  • Montadoras costumam investir no automobilismo como ferramenta de marketing

A Toyota confirmou nesta semana que participará da Stock Car a partir da temporada 2020. Além de rivalizar com a Chevrolet, a empresa também vai patrocinar um programa de incentivo a jovens talentos, que poderão migrar do kart diretamente para a Stock Light, porta de entrada para a categoria principal.

A entrada da fabricante vem em um momento interessante para a principal categoria do automobilismo nacional. O antigo modelo de veículo de chassi tubular com uma bolha simulando as formas da carroceria será aposentado.

Em vez dele, os carros terão chassi monobloco para se aproximar mais dos automóveis de passeio. Os motores V8 também passam a ser projetados pelas próprias fabricantes - antes eles eram fornecidos por uma mesma empresa.

Geração anterior do Corolla foi utilizada no Brasileiro de Marcas - Duda Bairros/Vicar
Geração anterior do Corolla foi utilizada no Brasileiro de Marcas
Imagem: Duda Bairros/Vicar

Por trás da entrada da fabricante japonesa (que já disputou o Campeonato Brasileiro de Marcas) está uma estratégia para divulgar a linha Toyota Gazoo Racing. A divisão esportiva tem presença forte em diversos mercados (como a Argentina) e, além de participar de várias modalidades do automobilismo, empresta seu nome para versões mais potentes dos automóveis da Toyota.

Esta não será a primeira vez (e tampouco a última) que uma montadora investe no automobilismo como forma de vender carros. UOL Carros separou a seguir alguns bons exemplos de empreitadas bem sucedidas (e outras nem tanto) nas pistas do Brasil.

Hyundai - Copa HB20

Copa HB20 é categoria monomarca mais recente do país - Rodrigo Ruiz/Divulgação
Copa HB20 é categoria monomarca mais recente do país
Imagem: Rodrigo Ruiz/Divulgação

O investimento mais recente nas pistas partiu da Hyundai, que iniciou em março deste ano a Copa HB20. Os carros ainda são da antiga geração e baseados na versão R-Spec, equipada com motor 1.6 16V e câmbio manual. As unidades foram produzidas na fábrica de Piracicaba (SP) em lote único e preparadas pela equipe H Racing. A potência original de 128 cv foi elevada para 160 cv.

A meta da Hyundai é oferecer uma alternativa mais acessível para os pilotos que desejam participar de um campeonato oficial. O calendário deste ano previa 16 corridas disputadas em oito circuitos e o custo para participar da temporada inteira é de R$ 180 mil. Neste valor está incluso a locação e preparação do veículo, suporte de pista com engenheiros, mecânicos e telemetristas, um jogo de pneus, combustível, logística do veículo e estrutura de pista.

Porsche - GT3 Cup Challenge

Porsche GT3 Cup é hoje o campeonato monomarca mais importante do país - Divulgação
Porsche GT3 Cup é hoje o campeonato monomarca mais importante do país
Imagem: Divulgação

A Porsche realiza campeonatos monomarca em vários mercados onde atua, mas poucos são tão organizados quanto a categoria brasileira. A primeira edição ocorreu em 2005 com apenas 12 carros na primeira etapa, número este que dobrou menos de um ano depois. Logo vieram etapas internacionais a partir de 2010 e o reconhecimento da FIA como categoria internacional em 2013.

Todos os carros ficam sob os cuidados da Dener Motorsport, equipe única que cuida também de toda a estrutura necessária para realização das provas.

Honda - Brasileiro de Marcas

Passagem da Honda pelo Brasileiro de Marcas teve três títulos - Divulgação
Passagem da Honda pelo Brasileiro de Marcas teve três títulos
Imagem: Divulgação

A fabricante japonesa ingressou no Campeonato Brasileiro de Marcas (não confundir com o antigo Campeonato Brasileiro de Marcas e Pilotos) em 2011, quando a categoria começou a ser organizada pela Vicar, a mesma empresa que cuidava da Stock Car. A passagem da Honda durou até 2017 e foi vitoriosa em títulos, já que a empresa arrebatou três títulos de construtores.

Peugeot - Stock Car

Peugeot participou da Stock Car com os modelos 307 Sedan e 408 (acima) - Divulgação
Peugeot participou da Stock Car com os modelos 307 Sedan e 408 (acima)
Imagem: Divulgação

A Peugeot estreou na Stock Car em 2007, quando a categoria vivia uma boa fase. A marca inicialmente optou por reproduzir as formas do 307 Sedan e trocou a carroceria pelo 408 Sedan em 2011. A fabricante teve bons momentos, como o título conquistado por Felipe Fraga em 2015, mas decidiu deixar a categoria no ano seguinte.

Mitsubishi - Stock Car

Lancer foi campeão nas mãos de Cacá Bueno - Duda Bairros/Stock Car
Lancer foi campeão nas mãos de Cacá Bueno
Imagem: Duda Bairros/Stock Car

A Mitsubishi entrou na Stock Car apenas um ano antes da Peugeot. E estreou em grande estilo com o título conquistado por Cacá Bueno em 2006 a bordo de uma bolha do sedã Lancer. A marca, porém, ficou pouco tempo na categoria e deixou as pistas em 2009 por conta da crise econômica mundial. Três anos depois, porém, a empresa lançou a Lancer Cup, que resistiu até 2016.

Volkswagen - Stock Car

Bora foi o único representante na curta passagem da VW pela Stock Car - Duda Bairros/Stock Car
Bora foi o único representante na curta passagem da VW pela Stock Car
Imagem: Duda Bairros/Stock Car

O Bora foi o modelo escolhido para representar a Volkswagen na Stock Car a partir da temporada 2006. A marca teve bons momentos de exposição, especialmente quando Hoover Orsi lutou pelo título. A passagem da VW pela categoria, porém, foi ainda mais breve do que a Mitsubishi, já que os alemães deixaram as pistas em 2008.

Mini Challenge

Mini Challenge substituiu a antiga Stock Jr., mas só teve 3 temporadas - Divulgação
Mini Challenge substituiu a antiga Stock Jr., mas só teve 3 temporadas
Imagem: Divulgação

A Mini Challenge nasceu em 2010 como substituta da antiga Stock Jr., que utilizava veículos descaracterizados. Na época, a categoria tentava atrair pilotos por conta do baixo custo. Quem desembolsasse pouco mais de R$ 200 mil precisava apenas viajar até os locais das provas e pilotar o carro, já que o valor cobria todos os custos de transporte e equipe. As peças, no entanto, deveriam ser compradas pelo proprietário do veículo. A categoria foi descontinuada em 2013.

Fiat - Trofeo Linea e Fórmula Futuro

Linea de competição tinha 230 cv - bem mais do que os 152 cv originais - Divulgação
Linea de competição tinha 230 cv - bem mais do que os 152 cv originais
Imagem: Divulgação

O Racing Festival foi um evento idealizado pela Fiat em 2010 e que tinha Felipe Massa (então na Ferrari) como padrinho. Eram duas categorias: a Trofeo Linea utilizava versões adaptadas do Linea para as pistas, com o mesmo motor 1.4 turbo do modelo de rua.

A potência, no entanto, subia dos 152 cv originais para 230 cv e o câmbio manual era trocado por um sequencial de seis marchas. Já a Fórmula Futuro investia nos monopostos com o objetivo de formar futuros talentos. O evento até foi rebatizado como Copa Fiat, mas não teve vida longa e acabou em 2012.

Renault - Copa Clio

Copa Clio chegou a ter 30 carros no grid e provas transmitidas na TV - Fernanda Freixosa/Renault
Copa Clio chegou a ter 30 carros no grid e provas transmitidas na TV
Imagem: Fernanda Freixosa/Renault

Foi em 2002 que a Renault decidiu realizar um grande evento de automobilismo chamado Renault Speed Show. Além da Fórmula Renault, tradicional categoria disputada em várias partes do mundo que já formou vários talentos do esporte, a marca também promovia a Copa Clio.

O grid chegou a ter 30 carros e as provas foram transmitidas na televisão, mas o evento terminou em 2006. A categoria foi disputada por mais três anos graças a um acordo entre equipes, pilotos e preparadores, mas deixou de existir de vez em 2009.

Chevrolet - Stock Car

Chevrolet é parceira "das antigas" da Stock Car - Divulgação
Chevrolet é parceira "das antigas" da Stock Car
Imagem: Divulgação

Chevrolet e Stock Car formam uma das parcerias mais duradouras do automobilismo nacional. A marca estava presente na categoria na sua fundação em 1977 e se afastou da categoria em 1987, mas voltou com tudo nos anos 90 e permanece como uma das montadoras oficiais até hoje.

Ao longo de todos estes anos, a fabricante já correu com Opala e Omega e utilizou bolhas inspiradas nos modelos Vectra, Astra, Sonic e Cruze.

Cultura do carro