Topo

Cultura do carro


Dia das Crianças: como os carros ajudaram a salvar a Lego da falência

Bugatti Chiron ganhou até uma reprodução em tamanho real feita de Lego (à direita) - Divulgação
Bugatti Chiron ganhou até uma reprodução em tamanho real feita de Lego (à direita)
Imagem: Divulgação

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Empresa quase quebrou, mas se reergueu e virou até marca mais poderosa do mundo
  • Linha Creator reproduz clássicos da indústria automotiva, como a VW Kombi
  • Kit do Bugatti Chiron ganhou até versão em escala real - com motor e tudo

É difícil achar alguém que não tenha boas lembranças com brinquedos da Lego.

A empresa dinamarquesa fez parte da infância de muita gente, mas hoje estaria apenas em nossas memórias se tivesse falido em meados dos anos 2000.

Isso só não aconteceu por conta de uma série de decisões que tirou a empresa do buraco, e os carros tiveram papel importante nesta recuperação.

Saindo do buraco

As crianças já estavam cansadas dos tijolinhos sem graça e os antigos fãs da marca já se interessavam por outros tipos de brinquedos - e passatempos.

Diante da ameaça de fechar as portas, o neto do fundador da Lego e então presidente da empresa, Kjeld Kristiansen, determinou que era hora de agir.

Cidade feita com tijolinhos de Lego: empresa quase faliu nos anos 2000 - Alessandro Rampazzo/AFP
Cidade feita com tijolinhos de Lego: empresa quase faliu nos anos 2000
Imagem: Alessandro Rampazzo/AFP

Fez uma estratégia de inovação de seus produtos em 2001, mas não surtiu resultado: dois anos depois a empresa se encontrava em uma situação ainda pior: apenas 6% de seus produtos eram rentáveis. E pior: a Lego amargava um prejuízo de aproximadamente US$ 800 milhões.

Como sair desse buraco aparentemente sem fim? Ex-consultor de mercado, Jorgen Knudstorp assumiu o comando da Lego em 2004 e ordenou uma volta às origens. Reduziu o número de peças fabricadas praticamente pela metade e concentrou esforços nas linhas de produtos principais.

James Bond de Lego

Daí veio a cartada de mestre: por que não atrair justamente os adultos que um dia foram viciados em Lego?

Assim nasciam os kits mais detalhados e complexos, como a linha Technic, que trazia conceitos de robótica para as criações de tijolinhos.

Kombi feita de Lego impressiona pela riqueza de detalhes - Divulgação
Kombi feita de Lego impressiona pela riqueza de detalhes
Imagem: Divulgação

A linha Creator surgiu em 2001 para expandir ainda mais o leque de atuação da empresa, oferecendo kits baseados em construções, veículos e animais. Ao fugir dos tradicionais tijolinhos, a empresa descobriu um novo nicho entre crianças e colecionadores, e logo abriu os cofres para adquirir licenças de séries, filmes e até carros.

O primeiro kit baseado em um automóvel de verdade reproduzia a icônica Volkswagen Kombi dos anos 50. Lançado em 2011, ele tem 1.332 peças e impressiona pelo nível de detalhismo ao trazer vasos, cortinas e até partes do motor Boxer refrigerado a ar.

Reprodução do Aston Martin DB5 de Bond tem até assento ejetor - Divulgação
Reprodução do Aston Martin DB5 de Bond tem até assento ejetor
Imagem: Divulgação

A linha cresceu com kits de Ferrari F40 (2015), Mini Cooper (2016) e o clássico Aston Martin DB5 de James Bond (2018), que tinha metralhadoras escondidas no capô, placa traseira giratória e até o famoso assento ejetor.

Tem até carro de verdade

Kit do 911 GT3 RS possui várias partes funcionais, como a transmissão - Divulgação
Kit do 911 GT3 RS possui várias partes funcionais, como a transmissão
Imagem: Divulgação

Foi com o Porsche 911 GT3 RS que a marca atingiu um novo patamar de qualidade em 2016.

Produto da linha Technic em escala 1:8, ele tem 2.704 peças e uma riqueza de detalhes que impressiona até quem já estava acostumado com os demais produtos.

Embora não tivesse motor, o kit tinha diversas partes funcionais, como spoilers, volante e até transmissão. Ele até foi submetido a um hilário crash-test frontal a 46 km/h - e claro que foi totalmente destruído.

Bugatti Chiron de Lego deu origem a um modelo em tamanho real - Divulgação
Bugatti Chiron de Lego deu origem a um modelo em tamanho real
Imagem: Divulgação

A partir daí a Lego lançou um grande kit a cada ano, com BMW R1200 GS (2017) e o badalado Bugatti Chiron em 2018. O superesportivo, aliás, deu origem até a um veículo em tamanho real feito inteiramente de peças de Lego.

E a melhor parte: ele pode ser dirigido com a ajuda de vários motores elétricos. Nem de longe é tão rápido quanto os 1.200 cv do Chiron de verdade, mas está bom demais para um carro feito inteiramente com tijolinhos.

Assim como o 911 GT3 RS, várias partes do Chiron são funcionais - Reprodução
Assim como o 911 GT3 RS, várias partes do Chiron são funcionais
Imagem: Reprodução

Em 2015, o lançamento da linha Speed Champions abriu mais espaço para os automóveis. Menores e mais baratos, os kits são inspirados no universo do automobilismo e trazem reproduções fiéis de carros de corrida e superesportivos. Diversos modelos de Ferrari, Porsche e McLaren já ganharam suas versões em miniatura.

Com as vendas cada vez maiores e um novo império construído juntamente a antigas e novas gerações, a Lego tem motivos de sobra para celebrar. Em 2015, por exemplo, a empresa obteve lucros na casa dos US$ 600 milhões e virou a marca mais poderosa do planeta. E parece que as coisas não vão parar por aí.

Cultura do carro