Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

Projeto prevê multa de trânsito 14 vezes mais cara para motoristas ricos

Fiscal de trânsito aplica multa para veículos no aeroporto de Congonhas, na capital paulista - Rivaldo Gomes/Folhapress
Fiscal de trânsito aplica multa para veículos no aeroporto de Congonhas, na capital paulista
Imagem: Rivaldo Gomes/Folhapress

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/09/2019 15h15

Resumo da notícia

  • Projeto prevê cobrança adicional de multa a depender da renda mensal do infrator
  • Proposta passou pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara e vai para CCJS
  • Deputado Israel Batista diz que intenção é corrigir desigualdade em relação a multas

Projeto de lei de autoria do deputado federal Israel Batista (PV-DF) prevê cobrança adicional de multa a depender da renda mensal do motorista infrator. A proposta prevê um fator multiplicador a ser acrescido, organizado por faixa de renda e seguindo critérios estabelecidos pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De acordo com o projeto, cidadãos com renda na faixa A, a maior, terão de pagar a multa com acréscimo correspondente a 14 vezes o valor original; na faixa B, multiplica-se por cinco; e na faixa C, por três. Nas demais faixas de renda, a multa não tem cobrança extra.

A proposta já recebeu parecer favorável do relator Aliel Machado (PSB-PR) na CVT (Comissão de Viação e Transportes) da Câmara dos Deputados, na qual aguarda apreciação conclusiva pelos demais integrantes. Também vai ser avaliada por parlamentares da CCJC (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania).

Segundo as alegações do autor do projeto, a intenção é corrigir uma desigualdade em relação a infrações de trânsito. "Estudos apontam que há correlação inversa entre o poder aquisitivo e a inclinação do indivíduo a acatar leis e se comportar de maneira socialmente ética, especialmente no trânsito", diz o texto, sem mencionar quais seriam esses estudos.

O deputado Israel Batista também afirma que hoje um motorista que recebe salário mínimo tem de comprometer 29% da sua remuneração mensal para pagar multa por infração gravíssima, enquanto a mesma penalidade tem impacto de apenas 1% sobre os rendimentos da chamada classe A, com renda média de R$ 27 mil - esse número é atribuído ao IBGE.

O projeto de lei alega, ainda, que países como Suíça e Finlândia, adotam prática parecida, com multa de trânsito calculada com base na renda diária informada pelo infrator.

No entanto, o autor não explica como seria feita a aferição da renda do infrator nem o método de cobrança.

Mais Seu Automóvel