Topo

Salão de Frankfurt


Lamborghini Sián indica futuro dos superesportivos eletrificados; entenda

Sián terá apenas 63 unidades produzidas - e todas já estão vendidas - Vitor Matsubara/UOL
Sián terá apenas 63 unidades produzidas - e todas já estão vendidas
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em Frankfurt (Alemanha)*

10/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Sián é primeiro modelo da história da marca a utilizar propulsão híbrida
  • Novo superesportivo combina V12 de 795 cv com motor elétrico de 34 cv
  • Velocidade máxima passa dos 350 km/h

A Lamborghini finalmente se rendeu à onda da eletrificação no Salão de Frankfurt. Prova disso é a estreia do Sián, primeiro superesportivo híbrido fabricado pela empresa italiana em sua história.

Serão fabricadas apenas 63 unidades do Sián, sendo que todas já foram vendidas e contam com um alto nível de personalização por meio do programa Ad Personam.

O modelo combina o 6.5 V12 aspirado da Aventador SVJ, recalibrado para entregar 795 cv, com um motor elétrico de 48 volts que entrega 34 cv. A potência combinada é estimada em 830 cv. Esse motor elétrico é conectado à transmissão para auxiliar em manobras em baixa velocidade e marcha a ré.

Assim, o Sián precisa de apenas 2,8 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e passa dos 350 km/h de velocidade máxima. A potência não é armazenada em uma bateria de íon-lítio convencional, e sim em um supercapacitor três vezes mais poderoso do que as células e três vezes mais leve do que uma bateria com a mesma voltagem.

Linhas ousadas são típicas dos superesportivos da Lamborghini - Vitor Matsubara/UOL
Linhas ousadas são típicas dos superesportivos da Lamborghini
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

A peça é montada à frente do motor para melhorar a distribuição de peso e é uma evolução daquela encontrada para alimentar o motor de arranque do Aventador. Um sistema de frenagem regenerativa, desenvolvido pela própria Lamborghini, envia potência ao supercapacitor enquanto o veículo está desacelerando. Essa energia é disponibilizada na forma de um overboost sob o comando do motorista a uma velocidade a partir de 130 km/h.

O motor elétrico também permite uma curva de aceleração mais suave, ativada durante as trocas de marcha para compensar o efeito da desaceleração. Como resultado, o tempo da aceleração de 70 a 120 km/h é 1,2 segundo mais rápido do que o registrado pela SVJ. De acordo com a fabricante, a tração em baixas velocidades também melhorou sensivelmente, fazendo o Sián ser até 10% mais rápido do que um carro sem este sistema.

Clube dos híbridos

O Sián é apenas mais um superesportivo a se render ao poder dos híbridos. O seleto grupo já tem nomes de peso como Ferrari LaFerrari (com 963 cv, sendo 800 cv de um 6.3 V12 e um motor elétrico de 163 cv)., McLaren P1 (916 cv vindos de um 3.8 V8 biturbo de 737 cv e 179 cv de um motor elétrico capaz até de movimentar o carro).e Porsche 918 Spyder (com 889 cv, combinando 616 cv de um 4.6 V8 central-traseiro com dois motores elétricos de 131 cv e 158 cv)

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

*Viagem a convite da Anfavea

Mais Salão de Frankfurt