Topo

Testes e lançamentos


Testamos: Porsche 911 Carrera empolga como o Carrera S e ainda custa menos

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, de Stuttgart (Alemanha)

03/09/2019 14h55

Resumo da notícia

  • Versão "de entrada" do 911 é menos potente, mas não deve em emoção
  • Carro já tem preço definido para o Brasil: R$ 519 mil
  • Porsche espera que Carrera responda por 60% do mix de vendas do 911 no Brasil

UOL Carros dirigiu o "carrerinha" por cerca de 200 km no sul da Alemanha. O percurso misturou rodovias expressas, vicinais sinuosas e breves passagens urbanas, em pequenos vilarejos alemães.

As respostas do motor são ágeis e a transmissão, além de trocas rápidas, trabalha em boa harmonia. Na prática, pouco se percebe os 65 cv a menos na versão de entrada. Nem os que, como nós, já guiaram a versão mais forte. Na maior parte da utilização, o motorista não sentirá falta dos 450 cv — talvez, os mais experientes e na especificidade de retas mais longas de circuitos. O torque é apenas 8 kgfm menor do que no Carrera S (de 54 kgfm para 45,9).

O bom comportamento dinâmico, contornando curvas com estabilidade e precisão, é o mesmo dos outros 911 de nova geração. O gerenciamento eletrônico da suspensão é de série. No entanto, o Carrera de entrada não conta com o sistema que permite escolher modos de condução, por um botão no volante. De fábrica no S, o recurso pode ser colocado como opcional. Ele integra o pacote Sport Chrono, a R$ 13.500.

O "carrerinha" também perde escapamento esportivo e o freio de cerâmica, sempre presente nas fotos, é cobrado à parte em todas as versões.

Ainda assim, o desempenho semelhante ao do Carrera S mesmo custando R$ 100 mil a menos, o que torna o Carrera de entrada muito competitivo. Mesmo adicionando o Sport Chrono, algo que a maioria dos clientes faz. Por R$ 519 mil, a configuração chegará no Brasil custando menos do que na Alemanha, onde é tabelado a 104.655 euros (R$ 477,2 mil, em conversão direta).

Por esse preço, não há modelos que entreguem a mesma resposta e com o status do 911. Afinal, tirando o S no letreiro da tampa traseira, o visual é o mesmo que derruba queixos por onde passa.

Testes e lançamentos