Topo

Carros


Carros

Rally Sertões é "rebatizado" e tem meta ambiciosa para a edição de 2022

Rally dos Sertões - Paulo Amaral/Colaboração para o UOL
Rally dos Sertões Imagem: Paulo Amaral/Colaboração para o UOL

Paulo Amaral

Colaboração para o UOL, de São Paulo (SP)*

23/08/2019 17h57

Depois de 26 anos de vida, o Rally dos Sertões foi rebatizado. Mas por um bom motivo. Em sua 27ª edição, a prova, que é uma das maiores do mundo na modalidade - e anseia se tornar a principal delas em 2022 -, será conhecida somente como "Sertões", e passará a englobar três dimensões: Esporte, Social e Turismo.

"O projeto social, na verdade, acompanha o Rally desde o início e nasceu da solidariedade da própria população nas áreas pelas quais a competição passa, mas se profissionalizou em 2013 e agora conta com parceiros de peso, como o Einstein (Albert, Hospital) e a Roche (um dos principais laboratórios farmacêuticos do País)", explicou Mário Andrada, diretor de Comunicação dos Sertões.

Em conversa com a reportagem às vésperas da largada do evento, marcada para o dia 25 de agosto, Andrada comentou que o Sertões, antes de ser uma competição esportiva, é uma grande operação de logística, pois movimenta 302 inscritos entre pilotos e navegadores, além de dois aviões (que sobrevoam as áreas de competição para garantir sinal de internet) e helicópteros, que fazem a segurança dos envolvidos.

O grande orgulho dos Sertões é o projeto social, batizado de SAS (Saúde e Alegria nos Sertões). Nesse ano, segundo Andrada, serão quatro as especialidades a serviço da população carente da região abrangida pela rota do Rally: oftalmopediatria, ginecologia, dermatologia e odontologia.

O diretor explicou que é feita uma triagem da população meses antes de o Rally ter início e, durante a prova, já é possível atender a todos os que foram mapeados durante o processo, além de outros que não foram detectados com antecedência.

"O nosso objetivo é zerar o déficit de óculos para as crianças até 2020 nessas cidades pelas quais vamos passar. Também teremos duas carretas totalmente equipadas atendendo nas cidades, focadas no mapeamento de câncer do colo do útero, câncer de pele e outras doenças".

As doenças mais graves, explicou Andrada, serão diagnosticadas e tratadas por meio de telemedicina, em ligação direta com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. "São mais de 50 voluntários, entre médicos, educadores e coordenadores, envolvidos no projeto", informou.

Concursos de redação, culinária e programa turístico também estão presentes

O Sertões 2019 também levará à população a chance de participar de concursos literários e de culinária. Mário Andrada revelou que quatro mil crianças se inscreveram em um Concurso de redação e que o vencedor terá a honra de levar o boné ao vencedor de uma das etapas.

O Concurso Culinário, batizado de "Sabores do Sertão", dará ao ganhador a chance de ver seu prato integrar o cardápio dos restaurantes da rede Divino Fogão, um dos patrocinadores do evento em 2019.

"Ter uma marca atrelada ao Rally dos Sertões é muito importante e esse concurso vai conectar a região aos nossos mais de 190 restaurantes", explicou Luiz Fernando Canizaris, Vice-Presidente de marketing da marca.

Quem estiver mais interessado em curtir o passeio com um viés turístico, também poderá fazer parte da festa, segundo o diretor da prova. Um pacote rotulado como "Saia do Sofá" permitirá aos felizardos que levem os carros que participaram do rally de volta para casa, percorrendo a mesma trilha dos competidores.

As recém-criadas "Expedições Sertões" também fazem parte da aba turística da prova e estão abertas durante todo o ano para os aventureiros que gostam de curtir a paisagem, mas preferem deixar o clima de competição para os profissionais.

"Estamos estimulando ainda a todos os envolvidos na prova, desde pilotos, mecânicos, engenheiros ou equipes de apoio, a fazerem vídeos mostrando as belezas da região e a participarem de um concurso, o Oscar dos Sertões", completou o diretor Mário Andrada.

Edição de 2022 tem meta ambiciosa

A festa dos Sertões em 2019 terá início em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e passará ainda pelas cidades de Costa Rica (MS), Barra do Garças (MT), São Miguel do Araguaia (GO), Porto Nacional (TO), São Félix Tocantins (TO), Bom Jesus do Piauí (PI), Cratéus (CE) e Aquiraz (CE). Serão percorridos, ao todo, 4.744 quilômetros.

Para 2022, segundo Mário Andrada, o projeto é ainda mais ambicioso. A ideia do diretor é ampliar o trajeto para englobar trilhas que liguem, literalmente, o Oiapoque, no Amapá, extremo norte do País, ao Chuí, município localizado no Rio Grande do Sul, na outra ponta do Brasil.

"Em 2022 comemoraremos 30 anos dos Sertões e 200 anos da Independência do Brasil. Queremos ser o maior rally do mundo", disse o diretor, que já sondou os ex-pilotos de Fórmula 1 Rubinho Barrichello e Fernando Alonso para fazerem parte da festa a partir de 2020.


* O repórter viajou a convite da organização do Rally dos Sertões

Mais Carros