Topo

Mobilidade


Carro compartilhado por aplicativo vira local para almoço e soneca no Japão

Serviço de compartilhamento de veículos elétricos; Japão tem alta densidade populacional e grande oferta de carros de aluguel - Divulgação
Serviço de compartilhamento de veículos elétricos; Japão tem alta densidade populacional e grande oferta de carros de aluguel
Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo (SP)

21/07/2019 11h34

Resumo da notícia

  • Falta de espaço e muita população levaram ao uso inesperado
  • Operadoras descobriram que muitos clientes não rodam com o veículo
  • Preço relativamente acessível e grande disponibilidade são atrativos
  • Empresas protestam, mas prática não é proibida no país

Criado para deslocamentos em trajetos urbanos, o serviço de compartilhamento de carros no Japão tem sido usado para outras finalidades. De acordo com reportagem do jornal "The Asahi Shimbun", a operadora Orix descobriu que uma parcela dos seus 230 mil usuários inscritos aluga os veículos sem rodar neles.

O mesmo tem acontecido com empresas como a Times24, maior operadora de compartilhamento veicular no país, com mais de 1,2 milhão de clientes. Intrigada, a companhia fez uma pesquisa com usuários e descobriu que alguns utilizam o veículo para outros fins, como tirar uma soneca, almoçar, guardar bagagens ou utilizar a cabine como escritório.

Em alguns casos, descobriu a companhia, clientes fazem uso do carro de aluguel até para recarregar o telefone celular.

Essa tendência tem crescido de forma constante: outra pesquisa, feita em 2018 pela NTT Docomo com 400 clientes, concluiu que um de cada oito usuários recorrem ao compartilhamento de veículos com outros fins que não sejam dirigir.

Um usuário entrevistado pelo jornal confirmou. "Aluguei um carro para comer uma refeição que adquiri em uma loja de conveniência, pois não encontrei outro lugar para almoçar", relatou um trabalhador de 31 anos que reside perto de Tóquio.

Ele, que não foi identificado, também recorre ao serviço quando não encontra um lugar para descansar durante o dia de trabalho. "Normalmente, o único local onde consigo tirar uma soneca enquanto visito clientes é um cyber café em frente ao metrô, mas alugar um veículo custa apenas umas centenas de ienes, quase o mesmo que o cyber café cobra", explica.

O acesso fácil é outro incentivo para japoneses recorrerem aos carros compartilhados como uma "residência temporária": eles podem ser reservados a qualquer momento por meio do telefone celular. Além disso, os veículos já estão estacionados - somente a Times24 tem mais de 12 mil vagas em todo o país.

No caso da empresa, o aluguel do veículo por 30 minutos sai por aproximadamente 400 ienes, o que corresponde a cerca de R$ 14 na conversão direta.

Operadoras não recomendam

Somado a isso está a pouca disponibilidade de locais para descansar ou fazer outras atividades fora de casa durante o dia, em um país pequeno e super populoso como o Japão. Hoje são mais de 127 milhões de habitantes e densidade demográfica é de 336,8 moradores para cada quilômetro quadrado.

O uso inusitado dos veículos não é proibido, porém não é algo desejado pelas operadoras de aluguel - elas recebem mais dinheiro de acordo com a quilometragem rodada. "Motoristas devem desligar o motor quando eles não estão dirigindo. Também não recomendamos que nossos clientes aluguem os carros para outros fins que não sejam o transporte", disse a Orix por meio de comunicado, de acordo com o "The Asahi Shimbun".

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Mobilidade