Topo

Testes e lançamentos


Testamos: Fiat Argo Trekking é opção menor e mais acessível a SUVs urbanos

Vitor Matsubara, Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

16/07/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Visual do hatch combina estilo aventureiro com itens esportivos
  • Motor Firefly 1.3 tem boas respostas e é bem econômico
  • Suspensão elevada deixa Argo com a maior altura livre do solo

Os primeiros veículos aventureiros surgiram no Brasil em 1999. A ideia de levar o estilo off-road a modelos comuns foi muito bem recebida pelo mercado, a ponto até de as fabricantes levarem a receita para o resto do mundo. A invasão de SUVs, porém, jogou o segmento para segundo plano até alguns anos atrás, quando os aventureiros entraram em uma nova fase.

O Argo Trekking faz parte desta leva de novos hatches aventureiros, que inclui ainda Chevrolet Onix Activ, Ford Ka Freestyle e o já veterano Renault Stepway - este último prestes a mudar. O modelo da Fiat (justamente a precursora do segmento com a Palio Weekend Adventure) investe na receita tradicional com vários adesivos e apliques de plástico pela carroceria.

Esportivo ou aventureiro?

Mesmo assim, o estilo é um de seus pontos fortes. O aerofólio traseiro bem pronunciado e o teto pintado de preto dá um toque de esportividade para o hatch. Os logotipos pintados de preto combinam com a proposta aventureira do carro, embora o adesivo colado no capô seja de gosto um pouco duvidoso. Essa combinação de esportividade e aventura, aliás, deve ser seguido pelos futuros aventureiros, que já dispensam acessórios com visual agressivo demais.

O visual é mais discreto por dentro, incluindo bancos com revestimento exclusivo e cabine com revestimento na cor preta. Acabamento é de boa qualidade: apesar do excesso de plástico, há materiais de texturas variadas e as peças são bem encaixadas. A posição de dirigir é levemente deslocada para a direita (como acontecia nos projetos mais antigos) e o espaço interno é razoável no banco de trás.

O Argo Trekking custa R$ 59.990 sem opcionais - e vem bem completo. Sai de fábrica com central multimídia com tela tátil de sete polegadas e suporte a Android Auto e Apple CarPlay, vidros elétricos, computador de bordo, direção elétrica, ar-condicionado, tela de TFT de 3,5 polegadas entre os mostradores do painel, retrovisores elétricos com função tilt-down e coluna de direção com regulagem de altura. A versão avaliada trazia todos os opcionais: rodas de liga leve de 15 polegadas (R$ 1.590) e câmera de ré (R$ 700), totalizando R$ 63.080.

Anda bem e consome pouco

A dirigibilidade continua boa como nas versões "comuns" do Argo. O motor Firefly 1.3 de 109 cv/101 cv e torque de 14,2 kgfm/13,7 kgfm tem disposição em baixas rotações e entrega respostas rápidas quando solicitado. Apenas o câmbio manual de cinco marchas poderia ter engates mais precisos. A maior virtude do hatch, é a economia de combustível: números do Inmetro indicam 8,7 km/l na cidade e 10 km/l na estrada quando abastecido com etanol. Se a escolha for pela gasolina, os índices são de 12,6 km/l e 14,7 km/l nos ciclos urbano e rodoviário.

A suspensão elevada faz o Argo ter a maior distância livre do solo da categoria (21 cm). Aí está uma das principais qualidades do hatch: a capacidade de transpor obstáculos como buracos e valetas é superior aos rivais, graças à maior altura. Ao volante, a sensação é de estar dirigindo um SUV compacto, especialmente por estar mais longe do chão - característica muito apreciada por quem curte utilitários esportivos. Já os pneus de uso misto 205/60 R15 são um pouco mais ruidosos do que os compostos feitos apenas para asfalto.

É claro que modelos como o Argo Trekking surfam na onda dos SUVs para cativar clientes. Mas o hatch da Fiat pode se gabar de ter um pacote diferente da maioria dos rivais (assim como o Ka Freestyle), oferecendo diferenciais que vão além de um visual mais parrudo. Talvez esteja aí o caminho que as fabricantes podem seguir para evitar a extinção dos aventureiros.

Ficha técnica: Fiat Argo Trekking

Motor: 1.3 flex, 4 cilindros em linha, dianteiro, transversal

Potência: 109 cv / 101 cv

Torque: 14,2 kgfm / 13,7 kgfm a 6.250 rpm

Câmbio: manual de cinco marchas

Aceleração de 0 a 100 km/h: 10,8 s

Velocidade máxima: 173 km/h

Dimensões: 4,00 m de comprimento, 1,56 metro de altura, 1,72 metro de largura e 2,52 m de entre-eixos

Porta-malas: 300 litros

Preço: R$ 58.990

Mais Testes e lançamentos