Topo

Mobilidade


Grow obtém autorização e volta a operar patinetes elétricos em São Paulo

Patinete elétrico na cidade de São Paulo ainda terá regulamentação definitiva - Eduardo Knapp/Folhapress
Patinete elétrico na cidade de São Paulo ainda terá regulamentação definitiva
Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Alessandro Reis

De São Paulo (SP)

05/06/2019 16h34

Resumo da notícia

  • Serviço volta amanhã (6) com frota reduzida
  • Empresa estava desde sábado sem operar após apreensões
  • Grow, dona de Yellow e Grin, tenta reaver 1.700 patinetes confiscados

A Grow, dona das marcas Yellow e Grin, irá voltar a oferecer amanhã (6) o serviço de compartilhamento de patinetes elétricos na cidade de São Paulo -- que estava suspenso desde sábado passado (1º) na capital. A empresa informa que concluiu hoje (5) o processo de cadastramento na SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes), ficando legalmente habilitada a oferecer o aluguel dos veículos.

A Grow retirou seus patinetes de circulação no município após ter cerca de 1.700 unidades confiscadas pela Prefeitura entre quarta-feira (29), quando começou a fiscalização do serviço, e sexta (31) passada.

Retomada com frota reduzida

O volume apreendido corresponde a mais de 40% da frota da companhia no município -- hoje composta por aproximadamente 4.000 unidades, informou a UOL Carros Marcelo Loureiro, CEO da Grow -- a principal operadora de compartilhamento de patinetes elétricos da cidade. A companhia confirma que o volume recolhido pela Prefeitura ainda não foi devolvido, portanto, a retomada será com frota reduzida.

A Grow diz que mantém conversas com a administração municipal para tratar da devolução dos veículos.

Decreto

Na quarta-feira da semana passada, começou a valer na cidade de São Paulo decreto da Prefeitura estabelecendo regras básicas de uso dos patinetes, enquanto não sai a regulamentação definitiva -- que ficará pronta em até 30 dias, de acordo com a SMT. Com o início da validade do decreto, a secretaria começou a recolher os veículos das ruas, alegando que a Grow não possuía a autorização, agora concedida.

Inicialmente, esse decreto municipal previa a obrigatoriedade de uso de capacete, que deveria ser fornecido pelas empresas - porém, essa exigência foi derrubada na sexta-feira por decisão do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

As regras preveem proibição da circulação nas calçadas; circulação restrita a ciclovias, ciclofaixas ou ruas com limite de velocidade de até 40 km/h e velocidade máxima do patinete de 20 km/h; além de regras impostas às empresas, como promoção de campanhas educativas, fornecimento de equipamentos de segurança, confidencialidade dos dados dos usuários e recolhimento dos equipamentos estacionados em locais irregulares.

Consultadas, a Prefeitura e a SMT confirmaram que a Grow apresentou na segunda-feira (3) a documentação para solicitar o credenciamento para o compartilhamento de patinetes.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Justiça libera uso de patinete sem capacete

Band News

Mais Mobilidade