Topo

Testes e lançamentos


Avaliação: Honda HR-V Touring Turbo vale os R$ 140 mil? Assista

Siga o UOL Carros no

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Sumaré (SP)

30/05/2019 15h00

Resumo da notícia

  • UOL Carros avalia a versão com Touring 2020
  • Modelo custa R$ 139.900
  • Evolução é gigante para linha HR-V inicial
  • Modelo tem melhor acabamento do segmento
  • Desempenho é bom, mas não o melhor
  • Preço assusta definitivamente

Faz três semanas que a Honda divulgou detalhes e preços da linha 2020 do HR-V, seu modelo "best seller" e queridinho do mercado de SUVs. Claro, houve avanço no nível de equipamentos de toda a linha, mas o que TODO MUNDO está falando desde então é sobre o preço da configuração Touring, que finalmente traz o motor turbo. Vale pagar R$ 140 mil por um utilitário esportivo compacto a gasolina e sem tração 4x4?

UOL Carros foi direto à fonte: embarcamos rumo à fábrica da Honda que produz o HR-V, em Sumaré (SP). Lá, ouvimos explicações de executivos e de engenheiros que participaram da construção e do acerto dessa nova configuração. E, claro, dirigimos o modelo para fazer a vídeo-análise que abre esse texto.

Mas a questão fica: um SUV de quase 4,33 metros de comprimento, com 2,61 m de entre-eixos, 393 litros de porta-malas (reduzido pelo sistema de escapamento mais parrudo por conta do motor mais forte) pode cobrar esse valor por usar um motor 1.5 turbo, de 173 cavalos e 22,4 kgfm, movido apenas a gasolina?

Já tomamos um susto com as versões especiais de lançamento do Volkswagen T-Cross, que duraram apenas o tempo de pré-venda e beiravam os R$ 130 mil, lá no final de fevereiro. Mas aqui subimos R$ 10 mil, valor que cobre o gasto de todo o período de revisões, mais parte do pagamento do IPVA de um modelo como este. Seria um novo padrão para o segmento? Seria o fim do sonho de ter um SUV que ande bem com valores em conta?

Suspensão refeita, nova eletrônica: HR-V Touring é ótimo de curvas (e seguro) - Murilo Góes/UOL
Suspensão refeita, nova eletrônica: HR-V Touring é ótimo de curvas (e seguro)
Imagem: Murilo Góes/UOL

O que o HR-V Turbo tem?

Antes, vamos repassar os valores da linha 2020 do HR-V:

+ LX 1.8 FlexOne: R$ 94.400
+ EX 1.8 FlexOne: R$ 101.700
+ EXL 1.8 FlexOne: R$ 111.900
+ Touring 1.5 Turbo: R$ 139.900

Para contra-argumentar algo como "O HR-V surgiu custando R$ 88 mil", a Honda diz que o modelo evoluiu em equipamentos em toda a gama, ao passo em que a versão Touring Turbo nunca existiu. Também aponta que a inflação real (custos diários, não índices) no período beira os 20%.

Em termos de equipamentos, a configuração turbinada tem: acabamento interno melhorado, com mais áreas suaves ao toque, pespontados e painéis em dois tons (exceção para carros prata); sensor de chave com partida do motor por botão; escapamento com ponteira dupla de inox; antena do tipo barbatana; sistema LaneWatch (câmera no retrovisor direito, que exibe imagem da lateral ao dar a seta ou ao apertar um botão); controles de tração e estabilidade; seis airbags; sistema AHA de torque vetorial (para maior estabilidade em curvas e mudanças de direção) além de suspensão revista (com nova barra estabilizadora dianteira e ajustes novos de amortecedores e molas); faróis e luzes internas Full LED; teto panorâmico; e central multimídia agora bem compatível com Android Auto e Apple CarPlay e Waze.

No entanto, o HR-V não tem o pacote de condução semiautônoma (Honda Sensing) e ainda perde espaço no porta-malas, como dito.

Interior bicolor, ótimas costuras, luzes de LED, partida no botão. Multimídia melhorou, mas som ainda é fraco - Murilo Góes/UOL
Interior bicolor, ótimas costuras, luzes de LED, partida no botão. Multimídia melhorou, mas som ainda é fraco
Imagem: Murilo Góes/UOL

Motor é do Civic?

Claro, a grande novidade é o motor 1.5 EarthDreams, 16 válvulas, DOHC, VVT-I (duplo comando de tempo de abertura de válvulas, seja na admissão ou na emissão), com turbo, injeção direta de gasolina e intercooler. Sim, temos um motor apenas a gasolina, feito totalmente no Japão -- o do Civic é montado aqui no Brasil, ainda que componentes venham do exterior.

São 173 cavalos a 5.500 rpm, com torque de 22,4 kgfm, de 1.700 a 5.500 rpm. Tudo gerenciado por um câmbio CVT, que já emulava marchas, mas agora tem uma espécie de "kickdown" para ampliar a faixa de giros rapidamente, quanto o motorista sabe que precisa de mais força -- retomadas, acelerações, ultrapassagens. Na prática, é menos indeciso... mas não tão mais silencioso que seus pares.

Por que não usar motor turboflex como o resto do mercado? A Honda diz que o potencial de compra (claro, na Linha HR-V) ainda é pequeno, o que não compensa o custo de desenvolvimento local. Uma pena... ainda mais quando vemos PSA (Peugeot e Citroën), Volkswagen, GM, Caoa Chery e até a FCA (Fiat e Jeep) indo por este caminho.

Ainda segundo a Honda, o novo HR-V Touring tem o motor turbo mais forte do mercado... de novo um argumento que carece de valores, pois temos modelos flex tão elásticos quanto (C4 Cactus e 2008 THP têm mesma potência), mais fortes (o T-Cross é o mais "torcudo" de todos) e mais bem gerenciados (com câmbios automáticos reais, suaves e silenciosos). E isso sem contar modelos com motor a diesel.

Honda não divulga desempenho, mas imprensa fala em 0-100 km/h nos 8,9 s e máxima de 210 km/h - Murilo Góes/UOL
Honda não divulga desempenho, mas imprensa fala em 0-100 km/h nos 8,9 s e máxima de 210 km/h
Imagem: Murilo Góes/UOL

HR-V Turbo vale o quanto cobra?

Apenas para alinhar, o HR-V Touring 2020 com motor turbo a gasolina custa tanto quanto a versão mais capaz do líder Jeep Renegade. Mas o Renegade Trailhawk é diesel, tem muito mais força (35,7 kgfm -- diferença equivalente ao torque de um motor 1.4 ou 1.6 aspirado), além de preparação específica para o off-road tanto na carroceria, quanto em suspensões.

Ou custa a faixa de preço de modelos do segmento superior, como Jeep Compass Flex intermediário (aliás, ele é mais barato: R$ 126 mil). Ou o Hyundai New Tucson (que também é ligeiramente mais barato, a R$ 137.900). Aliás, a Honda nomeia estes -- e não outros SUVs compactos -- como reais concorrentes do HR-V Touring.

Argumentação da fabricante japonesa é que o HR-V Touring oferece mais equipamento, ótimo espaço lateral (que evita que um passageiro esbarre em outro) e para cabeça que rivais. Mas que não cobra tanto no IPVA (que na verdade é proporcional ao custo do carro), nem nas revisões, nem na cesta de peças, nem no seguro (mas que custa cerca de R$ 5.600 para uma cobertura padrão) quanto os rivais médios-compactos. E que também "dá menos trabalho de dirigir e estacionar, por ter um porte com o qual o consumidor já está acostumado".

Segundo os executivos, o HR-V Touring Turbo não seria um SUV pequeno de primeira compra, mas sim um modelo de salto de patamar. Mas sem que o cliente saia da Honda para outra marca. De fato o HR-V Touring traz evolução GIGANTE para aquele HR-V que estreou em 2015 e destronou o Ford EcoSport. É um carro que agora se destaca completamente em nível de acabamento. E que tem bons recursos.

Mas a contra-argumentação mais lógica de salto seria de que o cliente de um HR-V anterior saltasse para o Honda CR-V, certo? Mas esse também tem valor salgado no Brasil: R$ 180 mil. Daí parece um bom negócio entregar R$ 140 mil. Só que não: basta olhar o que o resto do segmento oferece e perceber que há modelos parelhos custando quase o preço de um Renault Kwid a menos.

FICHA TÉCNICA

Honda HR-V Touring 2020
Motor: 1.5 16V, DOHC, VVT-I, turbo, gasolina, injeção direta e intercooler
Potência: 173 cavalos a 5.500 rpm
Torque: 22,4 kgfm, de 1.700 a 5.500 rpm
Dimensões: 4,329 m (comprimento), 2,61 m (entre-eixos), 1,60 m (altura)
Tanque: 51 litros
Peso: 1.300 kg
Porta-malas: 437 litros até EXL; 393 l no Touring
Preço: R$ 139.900
Seguro: R$ 5.600
Cinco estrelas de Latin NCAP

Testes e lançamentos