Topo

Testes e lançamentos


Volvo XC90 híbrido R-Design traz visual esportivo e cobra R$ 30 mil a mais

Nova versão de topo tem base da configuração Inscription com detalhes visuais exclusivos - Divulgação
Nova versão de topo tem base da configuração Inscription com detalhes visuais exclusivos
Imagem: Divulgação

Fernando Miragaya

Colaboração para UOL Carros, de Jundiaí (SP)

26/04/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Rodamos com o novo SUV topo de linha da marca sueca
  • Nova versão custa R$ 429.950 com mesmo recheio do XC90 Inscription
  • Motor 2.0 e propulsor elétrico rendem mais de 400 cv
  • Sistemas semiautônomos e segurança são destaque
  • Configuração R-Design traz rodas de 22 polegadas

Esse papo de eletrificação e carro autônomo, às vezes, cansa. Cansa mais é imaginar um futuro com carros previsíveis em um cenário de pasteurização. Para nosso alívio, as marcas sabem que podem (e devem) entregar veículos ecologicamente corretos e seguros, sem serem chatos. A Volvo é uma das que mais se esforça e o XC90 R-Design é outra busca certeira da marca sueca por emoção em sua linha.

A versão R-Design do SUV grande é a de apelo esportivo basicamente estético, que cobra R$ 429.950, R$ 30 mil a mais do que a antiga topo de linha Inscription. Mas isso não significa que essa configuração não tenha esportividade necessária e também a eficiência energética que a Volvo prega aos quatro ventos.

SUV grande da Volvo traz suspensão a ar para acelerar forte e oferecer rodar confortável, mesmo com rodas aro 22 - Fernando Miragaya/Colaboração para UOL Carros
SUV grande da Volvo traz suspensão a ar para acelerar forte e oferecer rodar confortável, mesmo com rodas aro 22
Imagem: Fernando Miragaya/Colaboração para UOL Carros

UOL Carros começou a avaliação por mais de 200 km no interior de São Paulo com o XC90 R-Design lembrando que o silêncio ao acionar o botão de partida do motor é normal para o despertar do motor elétrico traseiro de 87 cv. Ao pisar leve no acelerador, é possível manter o modelo de funcionamento mais ecológico por um bom tempo.

Múltiplas personalidades

Isso dentro do modo de condução Hybrid. Ao todo, o XC90 R-Design tem cinco opções de condução que atuam em vários aspectos do SUV: nas respostas do acelerador, do câmbio e na calibragem da suspensão pneumática. Mudamos para o modo Pure, que assegura esse silêncio do rodar apenas elétrico até 120 km/h.

Apesar do apelo ambiental, a condução 100% elétrica carece de appeal. Voltamos ao modo Hybrid e basta uma pisada mais determinada no acelerador para o XC90 mostrar sua faceta menos comportada. Do eixo dianteiro, o motor 2.0 Supercharger a gasolina traduz seus 320 cv de potência em arrancadas que fazem o jipão de 2,3 toneladas vencer o asfalto sem cerimônias.

SUV híbrido tem muito espaço interno e comodidades como abertura elétrica da tampa do porta-malas - Fernando Miragaya/Especial para UOL Carros
SUV híbrido tem muito espaço interno e comodidades como abertura elétrica da tampa do porta-malas
Imagem: Fernando Miragaya/Especial para UOL Carros

Apesar do ímpeto, a suavidade no rodar é o destaque do XC90. As passagens do câmbio automático de oito marchas são discretas e ágeis, motorista e passageiros estão imunes a quaisquer vibrações e o isolamento acústico é perfeito. A 110 km/h permitidos, o motor gira a 2.000 rpm e, em velocidade de cruzeiro, o motor elétrico de vez em quando dá o ar da graça.

Hora de soltar o animal escondido sob a comportada aura de marca nórdica comportada -- e bom para justificar os R$ 30 mil a mais pelos equipamentos e aparatos esportivos. Só ao acionar a opção Power o conta-giros sobe instantaneamente naqueles 110 km/h de 2.000 rpm para algo em torno de 2.300 rpm.

O ronco do motor a combustão fica mais forte e o 2.0 passa a trabalhar em giros mais altos. A reação da transmissão automática também muda, com tranquinhos para pontuar a pegada mais esportiva de condução. A suspensão pneumática e a direção elétrica mais firmes complementam o cenário arrojado -- nesse modo, o zero a 100 km/h é prometido em 5,6 segundos.

Segurança é fundamental

Falar de boa estabilidade e segurança de um Volvo parece redundância. Mas do alto do seu 1,77 m de altura e de quase 24 cm de vão livre do solo, o equilíbrio do XC90 é algo notável. A tração integral reforça a boa dinâmica na estrada, enquanto a direção transmite firmeza e precisão para as rodas. A qualidade de construção que se espera também se traduz em curvas corretas, mesmo ao abusar do acelerador -- em um SUV com 2,98 m de entre-eixos.

A bordo, câmera 360 graus e sensor de ponto cego que alerta e força o volante em caso de invasão indevida de pista são alguns dos itens de série. Além desses, há todos modos de condução semi-autônoma a que se tem acesso. É quando se volta à parte menos divertida da atual era automotiva, mas que se justifica em prol da segurança.

O controle cruzeiro ativo é a grande ajuda nesse sentido. Basta acionar um botão e determinar velocidade e distância para o veículo à frente que o XC90 acelera, freia e ainda facilita o esterçamento do volante para a direção que você deseja ir.

Em conjunto, pode atuar com o monitoramento de faixas, que lê as pistas e faz curvas sozinho -- só que as faixas têm de estar pintadas decentemente. Resta ao motorista segurar o instinto de não pegar na direção ou frear e deixar o bicho agir sozinho. Mas é preciso pôr as mãos no volante após alguns segundos, por motivo de segurança.

Para um veículo que custa quase R$ 430 mil, o nível de conforto é o que se espera. A suspensão pneumática ajustável é a cereja do bolo, com filtragem perfeita dos buracos, apesar da altura e dos rodões aro 22. Os bancos oferecem densidade que acomoda bem o corpo.
O assento traseiro leva três adultos facilmente.

O Volvo peca apenas em poucos detalhes, como a ausência de regulagem elétrica da coluna de direção. Mas é generoso no restante, com ar-condicionado quadrizona, head-up display, sistema multimídia Sensus com a tela de nove polegadas que parece um tablet, quadro de instrumentos configurável e o excelente som Bower & Wilkins com 19 alto-falantes.

Rival britânico

A Volvo elegeu o Range Rover Velar HSE como o rival do XC90 R-Design. O que torna o modelo escandinavo bem mais competitivo, já que a versão topo de linha do Land Rover passa dos R$ 487 mil e carece de alguns modos autônomos, como o sistema que lê e segue as faixas de rolamento.

A grande questão é que esse XC90 R-Design ainda é linha 2019. A gama 2020 chegará no segundo semestre com atualizações no estilo. Mas, como quem tem dinheiro, tem pressa, a marca aposta que a versão dará uma bela mãozinha às vendas do SUV. A expectativa é que passe das 800 unidades anuais para cerca de 1.200.

Ficha técnica

Motor: 2.0, 4 cilindros, gasolina, mais motor elétrico
Potência combinada: 407 cv
Torque combinado: 65 kgfm
Dimensões: 4,95 m de comp.; 2,98 m de entre-eixos
Porta-malas: 721 litros
Peso: 2.319 kg
Preço: R$ 429.950

Mais Testes e lançamentos