Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

Brexit pode custar R$ 341,5 mi por dia a indústria automotiva britânica

Divulgação
Fábrica da Land Rover em Solihull: Brexit ameaça quebrar indústria Imagem: Divulgação

Andrew Marc Nowel

Da Bloomberg

2019-06-25T13:15:56

25/06/2019 13h15

Resumo da notícia

  • Saída da União Europeia pode causar falta de peças nas fábricas
  • Prejuízo diário poderia chegar a 70 milhões de libras
  • Paralisações causaram queda de 45% na produção nacional em abril

A indústria automotiva britânica deverá perder 50 mil libras (R$ 243 mil) por minuto e 70 milhões de libras (R$ 341.5 milhões) por dia se o país sair da União Europeia sem um acordo que dê conta de facilitar a importação, com fábricas britânicas correndo o risco de ficar sem peças.

Quem alerta para a possibilidade de um colapso é a Sociedade de Montadoras e Comerciantes de Motores (SMMT) da Inglaterra em um comunicado divulgado nesta terça-feira (25).

Com Boris Johnson sendo o favorito para suceder a primeira-ministra Theresa May, a probabilidade de um Brexit completo aumentou. O ex-chanceler afirmou que retirará o país do bloco em 31 de outubro, com ou sem acordo para amenizar o processo.

"Não obter nenhum acordo continua sendo o perigo claro e presente", disse Mike Hawes, diretor executivo da SMMT, a executivos de negócios e do governo que participaram de uma reunião sobre a indústria automotiva em Londres. "O primeiro trabalho do próximo primeiro-ministro deve ser garantir um acordo que mantenha o comércio sem atrito. Nós não temos o luxo do tempo".

Por outro lado, um acordo favorável com a União Europeia pode gerar um aumento de 20 bilhões de libras (aproximdamente R$ 97,4 bilhões) para a indústria automotiva do Reino Unido, de acordo com a SMMT.

O setor automotivo da Grã-Bretanha está ameaçado, com fabricantes reduzindo operações no país. A Ford está planejando fechar uma fábrica de motores do Reino Unido como o último grande passo em uma revisão de suas operações europeias não lucrativas. A Honda está fechando uma fábrica em Swindon, perto de Londres, na qual emprega 3.500 pessoas, enquanto a Nissan não planeja mais construir o utilitário esportivo X-Trail em Sunderland, no norte da Inglaterra.

Paralisações planejadas após a data inicial do Brexit, em 29 de março, viram a produção durante abril despencar em 45% em relação ao ano anterior, mostram números da SMMT, enquanto a demanda do consumidor vem declinando continuamente em meio a grandes incertezas.

Mais Seu Automóvel