Topo

Mobilidade


Chefão da Ford reduz empolgação sobre carro autônomo

Ford Fusion em teste de sistema autônomo, ainda em 2017: Ford já investiu US$ 4 bilhões - Divulgação
Ford Fusion em teste de sistema autônomo, ainda em 2017: Ford já investiu US$ 4 bilhões
Imagem: Divulgação

Keith Naughton

12/04/2019 07h00

Muita badalação se acumulou sobre a rapidez com que os carros autônomos podem ganhar as ruas, mas eles acabarão mudando o mundo, disse o presidente-executivo da Ford, Jim Hackett. Em algum momento.

"Nós superestimamos a chegada de veículos autônomos", disse Hackett na terça-feira em um evento do "Detroit Economic Club". Enquanto o primeiro carro autônomo da Ford ainda está para chegar, em 2021, "suas aplicações serão limitadas, o que chamamos de geo-fenced [uso específico em algumas áreas, como em shoppings ou condomínios fechados], porque a questão é muito complexa".

Hackett, de 63 anos, está planejando uma reforma de US$ 11 bilhões da Ford, que envolve o fechamento de fábricas, o corte de milhares de empregos assalariados e a "aposentadoria" de sedãs tradicionais para se concentrar em SUVs e picapes de alto lucro.

Além de aumentar a rentabilidade, as medidas drásticas são sustentadas pelas fabricantes de carros de forma a garantir que elas mantêm o domínio da tecnologia de veículos autônomos diante de concorrentes dentro e fora da indústria automotiva.

"Quando chegarmos [à entrega de carros autônomos], isso vai mudar até a forma como o creme dental é entregue", disse Hackett no Ford Field, o estádio de futebol dos Detroit Lions, pertencente à família do presidente executivo Bill Ford. "As estruturas de logística e passeio e as cidades serão redesenhadas. Eu não vou estar no comando da Ford quando isso acontecer, mas eu vejo claramente".

A Ford recentemente ganhou elogios do presidente Donald Trump por investir US$ 900 milhões para construir carros elétricos e autônomos em Michigan e US$ 1 bilhão em duas fábricas em Chicago para construir SUVs Explorer. Hackett também está em conversações com a Volkswagen para desenvolver conjuntamente veículos elétricos e carros sem motorista. As duas montadoras já uniram forças para construir vans comerciais e caminhões.

"Quando trouxermos essa coisa para o mercado, ela será realmente poderosa", disse Hackett. "Provavelmente, haverá parceiros da aliança que ainda não anunciamos, que garantirão que não assumiremos todos os riscos financeiramente.

Jim Hackett, durante CES de 2018, quando anunciou diversificação da Ford - Jae C. Hong/AP
Jim Hackett, durante CES de 2018, quando anunciou diversificação da Ford
Imagem: Jae C. Hong/AP

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mobilidade