Topo

Testes e lançamentos


Novo Volkswagen Golf custou quase R$ 9 bilhões para chegar às ruas

Volkswagen Golf já teve mais de 35 milhões de unidades vendidas desde 1974; oitava geração (foto) aposta na conectividade - Divulgação
Volkswagen Golf já teve mais de 35 milhões de unidades vendidas desde 1974; oitava geração (foto) aposta na conectividade
Imagem: Divulgação

Em Frankfurt (Alemanha)

24/10/2019 11h57

A Volkswagen apresenta hoje a nova versão do Golf e confia no sucesso do modelo para financiar a cara mudança do grupo para outra era, a dos carros elétricos e dos SUVs.

A oitava geração do hatch médio da Volkswagen, que vendeu mais de 35 milhões de unidades desde 1974, será apresentada durante a tarde na sede da montadora em Wolfsburg, na Alemanha.

Um lançamento mais discreto que o de setembro, quando a empresa apresentou o VW ID.3, o primeiro modelo completamente elétrico da VW, que simboliza a aposta do grupo de 30 bilhões de euros em veículos com zero emissões.

Também não terá relação com a suntuosa apresentação do modelo anterior do Golf, há mais de sete anos em um museu de Berlim. Desde então, o setor de automóveis e a Volkswagen passaram por muitas mudanças.

Dieselgate

Em 2015 explodiu o escândalo dos motores a diesel manipulados, do qual a VW ainda tenta se recuperar. Além disso, os novos parâmetros europeus para emissões de CO2 obrigam as montadoras a entrar na era dos carros elétricos, em um momento de desaceleração, motivada pelas guerras comerciais.

O Golf, o segundo grande modelo da Volkswagen depois do Fusca, foi durante décadas um "símbolo do sucesso" da montadora. Agora sua principal missão é "gerar dinheiro", resume Stefan Bratzel, diretor do Centro de Gestão Automotor.

O CEO da empresa, Herbert Diess, insiste que o futuro do grupo não dependerá dos motores de combustão e que passará por mais de 70 modelos elétricos até 2028.

Mas "seria estúpido" suspender a produção do carro e abrir mão da centenas de milhares de vendas (832 mil em 2018, 13% da marca VW) que gera, afirma Ferdinand Dudenhöffer, diretor do CAR (Centro de Pesquisas Automotivas).

"A ascensão do ID.3 não será tão rápida", concorda Bratzel. "É necessário que o Golf garanta grande parte do volume por mais alguns anos ou, em caso contrário, a Volkswagen terá problemas".

Reutilizando a base técnica da geração anterior, a montadora reduziu à metade o investimento necessário para a produção, afirma Andreas Tostmann, diretor de VW.

Vai custar quase R$ 8,9 bilhões

Mesmo assim, o Golf 8 custará quase 2 bilhões de euros (cerca de R$ 8,9 bilhões na conversão direta). "O caráter completamente conectado, com assistentes de direção inteligentes, deve garantir seu êxito", afirma Ralf Brandstätter, diretor da marca VW.

Mas o desenvolvimento do software foi mais complexo do que o esperado: a VW teve que desistir de instalar várias funções eletrônicas para respeitar os prazos.

"O Golf também é simbólico pelas dificuldades da transição do grupo Volkswagen para o mundo digital", opina Bratzel.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Testes e lançamentos