PUBLICIDADE
Topo

Honda HR-V 2020

Preços, versões e tudo o que você precisa saber sobre o SUV compacto

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

08/08/2020 04h00

O HR-V foi um dos precursores da "nova onda" de SUVs compactos que tomou conta do mercado nacional.

Lançado em 2015, ele rapidamente se firmou como um dos campeões de venda da categoria, que na época contava com o também novato Jeep Renegade, Ford EcoSport, Renault Duster e o antigo Chevrolet Tracker.

O SUV traz a versatilidade do Fit (inclusive com o prático sistema de rebatimento do banco traseiro) com um porte mais imponente e linhas mais sedutoras do que o monovolume. Destaque para detalhes como as maçanetas traseiras embutidas ao lado das janelas, que criam o efeito visual de cupê.

Equipado com o motor 1.8 de até 140 cv e 17,5 kgfm (que era utilizado na nona geração do Civic), o HR-V foi o SUV compacto mais vendido entre os anos de 2015 e 2017.

Só que o feitiço acabou em 2018, quando o Hyundai Creta fechou o ano na liderança de vendas. Sem mudanças significativas no projeto (a última foi a oferta do motor 1.5 turbo na versão Touring, no ano passado) , o modelo da Honda perdeu fôlego e acabou ofuscado pela estreia de novos rivais, como o novo Chevrolet Tracker e VW T-Cross.

O que mudou na linha 2020?

Lançada em maio de 2019, a linha 2020 do HR-V trouxe a já citada versão Touring. Movida pelo mesmo motor 1.5 turbo do Civic, ela tem 173 cv e 22,4 kgfm, mas ficou devendo o pacote de assistências de condução Honda Sensing - que até hoje não é oferecido no SUV.

As demais versões ganharam equipamentos, mas, desde então, o HR-V permanece inalterado.

Como UOL Carros avaliou

Presente nas ruas desde 2015, o HR-V foi levemente reestilizado no fim de 2018. Apesar dos retoques sutis, o SUV ainda não sente tanto o peso da idade, mas já deixou de ser atraente aos olhos do consumidor há algum tempo - ainda mais com tantos lançamentos no segmento.

O motor 1.8 de até 139 cv com etanol impulsiona bem o modelo. A caixa CVT dá suavidade nas acelerações, mas penaliza os ouvidos com um som alto demais que invade a cabine sem cerimônia.

Por dentro, a qualidade do acabamento salta aos olhos, com material suave ao toque nos painéis de portas e no topo do painel. O desenho da cabine também sugere refinamento.

Bem espaçoso, o SUV traz o engenhoso sistema de bancos modulares do Fit. É possível levantar a base do banco traseiro para acomodar cargas mais altas ou rebater metade ou todo o encosto para levar objetos compridos. E ainda dá até para arranjar os bancos em uma configuração que quase resulta em uma cama para duas pessoas.

Além de mais sofisticada (com direito a um revestimento em couro claro que nem todos apreciam), a versão Touring oferece o bom motor 1.5 turbo do Civic.

O desempenho é bem superior às versões com motor 1.8, mas infelizmente ele está disponível apenas na configuração mais cara. Uma pena, já que seus rivais mais modernos (leia-se Tracker e T-Cross) trazem motorizações turbinadas em todas as configurações.



Dimensões: comprimento, 4,32 m; largura, 1,77 m; altura, 1,65 m; entre-eixos, 2,61 m

Porta-malas: 437 litros / 393 litros (apenas versão Touring)

Tanque: 51 litros

Versões:

LX 1.8 CVT:

Preço: R$ 98.100

Motor: 1.8, 16V, 4 cilindros em linha, flex

Câmbio: CVT

Potência: 140 cv / 139 cv a 6.300 rpm

Torque: 17,4 kgfm / 17,3 kgfm a 5.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,7 km/l / 8,6 km/l (etanol) - 11 km/l /12,3 km/l (gas.)

Itens de série: controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampas, piloto automático, ar-condicionado, direção elétrica, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, banco do motorista com ajuste de altura, central multimídia com tela de cinco polegadas, câmera de ré, volante multifuncional, rodas de liga leve de 17 polegadas, vidros e travas elétricas nas quatro portas, freio de estacionamento elétrico, ganchos para fixação de cadeirinhas Isofix, espelhos retrovisores elétricos, lanternas em LED, iluminação diurna em LED, computador de bordo e console central com revestimento em couro.

EX 1.8 CVT:

Preço: R$ 105.600

Motor: 1.8, 16V, 4 cilindros em linha, flex

Câmbio: CVT

Potência: 140 cv / 139 cv a 6.300 rpm

Torque: 17,4 kgfm / 17,3 kgfm a 5.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,7 km/l / 8,6 km/l (etanol) - 11 km/l /12,3 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão LX mais ar-condicionado digital, central multimídia com tela de sete polegadas e suporte a Android Auto e Apple CarPlay, volante revestido couro, faróis de neblina, espelhos retrovisores na cor do veículo e console central com acabamento superior em black piano.

EXL 1.8 CVT:

Preço: R$ 116.200

Motor: 1.8, 16V, 4 cilindros em linha, flex

Câmbio: CVT

Potência: 140 cv / 139 cv a 6.300 rpm

Torque: 17,4 kgfm / 17,3 kgfm a 5.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,7 km/l / 8,6 km/l (etanol) - 11 km/l /12,3 km/l (gas.)

Itens de série: mesmos itens da versão EX mais acendimento automático dos faróis, espelhos retrovisores com rebatimento elétrico, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, grade frontal com acabamento black piano e bancos revestidos em couro.

Touring 1.5 Turbo CVT:

Preço: R$ 141.300

Motor: 1.5, 16V, 4 cilindros em linha, turbo, gasolina

Câmbio: CVT

Potência: 173 cv a 5.500 rpm

Torque: 22,4 kgfm a 1.700 rpm

Consumo (urb./rod.): 11,4 km/l /12,6 km/l

Itens de série: mesmos itens da versão EXL mais teto-solar panorâmico, central multimídia com tela de sete polegadas e GPS integrado, faróis full LED, antena do tipo barbatana, destravamento das portas sem chave, partida do motor por botão, sensor de chuva, retrovisor fotocrômico e sistema LaneWatch (câmera no espelho retrovisor direito que transmite imagem para central multimídia).

Valores de revisão:

Preços variam de acordo com cada concessionária

Garantia:

3 anos

Concorrentes

Jeep Renegade

Motores: 1.8 16V flex (139 cv / 135 cv) e 2.0 turbodiesel (170 cv)

Versões: STD, Sport, Longitude, Limited e Trailhawk

Preços: de R$ 77.490 (STD) a R$ 152.990 (Trailhawk)

Pontos positivos: lista de itens de série e design

Pontos negativos: desempenho e consumo (versões flex)

Hyundai Creta

Motores: 1.6 16V flex (130 cv / 123 cv) e 2.0 16V (166 cv / 156 cv)

Versões: Attitude, Action, Smart, Pulse Plus e Prestige

Preços: de R$ 75.990 (Attitude) a R$ 108.990 (Prestige)

Pontos positivos: espaço interno e garantia

Pontos negativos: consumo (2.0) e design

VW T-Cross

Motores: 1.0 turboflex (128 cv / 116 cv) e 1.4 turboflex (150 cv)

Versões: Sense, 200 TSI, Comfortline e Highline

Preços: de R$ 91.660 (200 TSI) a R$ 120.600 (Highline)

Pontos positivos: desempenho e design

Pontos negativos: acabamento e porta-malas

Nissan Kicks

Motores: 114 cv a 5.600 rpm

Versões: S, SV e SL

Preços: de R$ 82.490 (S MT) a R$ 109.790 (SL Pack Tech)

Pontos positivos: design e estabilidade

Pontos negativos: autonomia e desempenho

Chevrolet Tracker

Motores: 1.0 turbo flex (116 cv) e 1.2 turbo flex (133 cv / 132 cv)

Versões: 1.0 turbo, 1.2 turbo, LT, LTZ, Premier

Preços: de R$ 87.490 (1.0 turbo) a R$ 119.490 (Premier)

Pontos positivos: desempenho e lista de itens de série

Pontos negativos: preço e espaço interno