PUBLICIDADE
Topo

Primeira Classe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

VW Polo e Nissan Kicks: carros que vivem seus piores momentos em 2022

Honda HR-V: fim de ciclo e vendas em baixa  - Divulgação
Honda HR-V: fim de ciclo e vendas em baixa Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

09/05/2022 04h00Atualizada em 12/05/2022 08h29

Em tempos de crise de produção causada pela falta de semicondutores, não dá mais para saber se um carro vende mal porque o cliente não o deseja ou se a razão é a falta de exemplares para entregar. Tome como exemplo o Jeep Renegade. Após a chegada da linha 2022, no início do ano, o modelo despencou no ranking de vendas.

Ex-líder do segmento, já foi ultrapassado, no acumulado dos quatro primeiros meses do ano, por Volkswagen T-Cross e Hyundai Creta. E isso só por causa de seu bom desempenho em janeiro e fevereiro, quando a versão antiga ainda estava à venda.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Quando olhamos para o resultado mensal de vendas, em abril muitos outros superaram o Renegade, a exemplo de Fiat Pulse e Chevrolet Tracker. Falta de interesse? Que nada! As filas de espera do Jeep estão chegando a 90 dias. É a marca que não tem unidades para entregar.

Bom para a concorrência, que vem conquistando clientes e participação de mercado. Mas nem todos os casos de decadência em vendas são como o do Renegade. Para alguns modelos, a queda tem outras razões.

No acumulado deste ano, duas quedas chamam a atenção: Nissan Kicks e Volkswagen Polo. A perda de participação é por diversas razões, que vão desde a proximidade do fim de ciclo de uma geração à acirrada concorrência.

Volkswagen Polo

A queda mais vertiginosa é a do Polo, carro que por muitos anos esteve na lista dos cinco mais vendidos e foi o Volkswagen mais emplacado do Brasil. Concorrência acirrada e mais moderna? Pouco provável. Afinal, dá para dizer que Onix, HB20 e Argo, modelos que vão bem no mercado, são muito melhores que o Polo? Não dá.

O Polo já vem em processo de queda desde 2020, e foi muito mal em 2021. Mas no acumulado dos quatro primeiros meses de 2022, encontra seu pior momento: ocupa a 60ª posição na lista dos modelos mais emplacados do Brasil.

A Volkswagen deixou o Polo de lado para priorizar os SUVs. Tanto que, na hora de decidir que produção paralisar por falta de peças, optou pela do hatch, que está suspensa.

Já os SUVs continuam sendo entregues. Hoje, o VW mais vendido é o T-Cross. Além disso, o Nivus, que todos imaginaram que poderia tirar clientes do SUV mais antigo da marca, acabou derrubando o hatch compacto.

O Polo está caro. Sua versão 1.0 turbo mais em conta, Comfortline, já se aproxima dos R$ 110 mil. Com isso, fica próximo ao Nivus, que é mais novo, tem visual atraente e pacote de tecnologias mais completo.

O fato de o Polo estar prestes a mudar, algo que pode ocorrer ainda em 2022, não contribui para alavancar as vendas do hatch.

Nissan Kicks

O modelo sempre se destacou pelo custo-benefício, e isso não é diferente agora. O Kicks oferecendo um pacote bem racional. O problema é a concorrência.

O segmento de SUVs é o que mais tem lançamentos no mercado. Mês a mês, chegam novos modelos ou gerações, além de versões atualizadas.

O Kicks também fez sua lição de casa e mudou em 2021, mas manteve um de seus pontos mais fracos, o motor 1.6 aspirado. Sem opção de propulsor turbo (uma febre na categoria) e com desempenho limitado, acaba não sendo a escolha de muitos clientes.

Porém, ainda vende muito bem. O que ele está fazendo nessa lista, então? É que o Kicks perdeu muita participação de mercado. O carro já chegou a brigar para liderança.

Em 2022, no entanto, é apenas o sexto colocado na lista de SUVs compactos mais vendidos. Novidades como Pulse e Nivus o ultrapassaram, Há tempos ele já perdeu força na briga particular que tinha com o Hyundai Creta, que agora está bem à frente.

Honda HR-V

A queda do HR-V também chama a atenção, mas o SUV não vive seu pior momento, como os modelos acima. O Honda já foi o SUV mais vendido do Brasil, mas vinha perdendo espaço desde que o segmento começou a receber mais integrantes - antes, havia apenas ele, o Renegade e o EcoSport.

O fato de a Honda nunca ter investido em vendas diretas sempre prejudicou o modelo na briga por participação de mercado.

Nos últimos anos, o HR-V variava entre a quinta e a sétima colocações do mercado. Agora, aparece na nona posição. Mas aqui, a razão não é um abandono ainda maior do público a um modelo que já estava bastante defasado ante a concorrência.

O HR-V, na verdade, saiu da linha discretamente no fim do ano passado. Entre as razões, há o fato de o motor não estar adequado às novas normas de emissões de poluentes, que passaram a valer no início de 2022.

Por isso, as vendas do HR-V registradas este ano são apenas do estoque dos exemplares 2021, produzidos até o ano passado. A nova geração chega em agosto.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Errata: o texto foi atualizado
O Honda HR-V saiu de linha no fim de 2021, diferentemente do que havia sido publicado. A informação foi corrigida.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL