PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Primeira Classe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fiat Pulse: qual é a melhor versão do SUV que será líder pela 1ª vez

Marcos Camargo/UOL
Imagem: Marcos Camargo/UOL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

29/04/2022 04h00

Quando a Fiat lançou o Pulse, em outubro do ano passado, apostei que ele tinha chances de ser o SUV mais vendido do Brasil por causa da diversidade de versões, que a concorrência não oferece. Nas mais simples, os preços são muito próximos aos de hatches compactos topo de linha.

Por isso, o Pulse poderia ser aquela resposta a quem sonha com um SUV, mas ainda não tem dinheiro para dar aquele salto do hatch compacto para um carro dessa categoria. Em vez de investir em um Onix, Argo ou HB20 de topo, o consumidor passou a poder optar pelo utilitário-esportivo da Fiat.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Seis meses se passaram. O Pulse já chegou a figurar entre os cinco mais vendidos, mas jamais se aproximou da liderança do segmento. Sua briga direta tem sido com o principal concorrente, o Volkswagen Nivus, que assim como o Fiat tem um jeitão de hatch.

Há meses em que o Pulse fica na frente. Em outros, o Volkswagen vai melhor. Até agora. Em abril, o modelo da Fiat deve aparecer pela primeira vez na liderança do segmento de SUVs.

No momento, o carro tem mais de mil exemplares de vantagem para o segundo colocado, o Chevrolet Tracker. Nos poucos dias úteis que restam para o encerramento do mês, será difícil o Fiat perder a liderança.

Efeito Big Brother? É possível, já que o Pulse foi, mais uma vez, o carro da edição 2022 do reality show da Globo, que terminou na terça-feira (26). Por outro lado, pode ser também a diversidade de versões, que permite acesso ao carro de uma variedade maior de clientes.

O Pulse tem cinco versões, uma com câmbio manual e as demais com o novo CVT da Fiat - agora, também disponível na Strada (veja os preços do SUV no fim do texto). Qual é a melhor delas?

Início pelo topo

Quando lança um carro, uma montadora promove a estreia com a versão de topo. Quase sempre, elas estão em destaques nos eventos de lançamento, e são as primeiras a serem emprestadas para testes.

Não à toa: os modelos de topo sempre trazem toda a tecnologia que a montadora oferece em um veículo. No caso do Pulse, a Fiat conseguiu impressionar com a opção Impetus. Ela trouxe o mesmo sistema multimídia do Compass - inclusive, com a mesma tela flutuante.

Também se destaca pelos faróis full-LEDs antiofuscamento e o leitor de faixas com função de correção. Isso por um preço que, na época do lançamento, era inferior ao da concorrência.

Mais do que isso, o Pulse Impetus promoveu a estreia do motor 1.0 turbo da Stellantis (grupo que reúne marcas como Fiat e Jeep). É econômico? Não. Promove bom desempenho? Sim! Com ele, o carro dá um espetáculo de agilidade.

Além da Impetus, o 1.0 está nas versões Drive e Audace. As outras duas usam um velho conhecido, o 1.3 aspirado do Argo e do Cronos, entre outros. É até mais econômico, mas tira todo o ímpeto que é o destaque do carro.

Qual é a melhor versão?

Quem compra um Pulse com motor 1.3 pode até impressionar a vizinhança. Afinal, saiu de um hatch para um SUV, certo? Mas a realidade é um pouco diferente das aparências. Fato é que, nas opções com esse propulsor, o comprador não terá muito mais que um hatch compacto. E, dependendo da configuração, muito mal equipado.

Os Pulse Drive (1.3 manual, 1.3 CVT e 1.0 turbo CVT) não têm nem mesmo ajuste de profundidade para o volante. SUV que é SUV não pode abrir mão dessa comodidade, fundamental para a missão de encontrar a posição ideal de dirigir. A Audace, aliás, também não traz esse item. Apenas a Impetus o oferece.

Multimídia do Compass? Não tem. Traz um sistema bem mais simples, e sem internet a bordo ou mapa conectado ao trânsito. Sensor de faixa com função de correção? Não! Tecnologias de assistência não são o forte do Pulse Drive.

No Pulse, a Fiat deixou quase tudo o que torna esse carro especial para a versão de topo. Não é à toa que o intervalo de preços entre ela e a Audace é imenso. São R$ 125.590 pela Impetus e R$ 113.990 pelo catálogo abaixo.

Para quem quer viver a experiência Pulse, com tudo aquilo que torna o carro especial, a melhor versão é a Impetus. Pode parecer óbvio, já que aqui estamos falando da opção de topo. Mas não é: em muitos modelos, há um intervalo menor entre o topo e o catálogo imediatamente inferior. No Fiat, não.

Porém, pela diferença de preço, a versão com melhor custo-benefício é a Audace. Por quase R$ 12 mil a menos, traz sistemas de assistência à condução, como frenagem autônoma de emergência e leitor de faixas. Mas o multimídia é o das versões Drive e não há ajuste de profundidade da coluna da direção, nem painel virtual.

Já no caso das Drive 1.3, você será mais feliz com um Onix Premier turbo. A Drive 1.0 turbo, mal equipada, ao menos dará o cliente o desempenho do excelente 1.0 por R$ 6.500 a menos que a Audace (mas sem sistemas de assistência).

Preços do Fiat Pulse

Drive 1.3 manual - R$ 89.990
Drive 1.3 CVT - R$ 98.290
Drive 1.0 turbo CVT - R$ 107.490
Audace 1.0 turbo CVT - R$ 113.990
Impetus 1.0 turbo CVT - R$ 125.590

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.