PUBLICIDADE
Topo

Primeira Classe

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fiat x Chevrolet: qual marca terminará ano na frente no ranking de vendas?

Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

22/02/2021 04h00

Depois de tirar a Chevrolet da liderança do mercado de veículos em janeiro, a Fiat trilha seu caminho para obter novamente o primeiro lugar em fevereiro. O Onix, da concorrente, é líder, mas com vantagem pequena para o segundo colocado, Strada.

Além da picape, a Fiat tem outros dois carros na lista dos cinco mais vendidos. O Mobi é quarto colocado e o Argo, quinto. Entre a Strada e os dois hatches aparece o Hyundai HB20, que ocupa a terceira posição.

Os dados, apurados entre 1º e 18 de fevereiro, foram divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Fiat x Chevrolet

O Chevrolet Onix somou no período 6.528 emplacamentos. Já a Fiat Strada tem 5.726. A vantagem do hatch do Chevrolet é de 802 exemplares. Pode parecer ampla em alguns segmentos, mas não entre os carros mais vendidos do Brasil.

O HB20 tem 4.642. Dele, estão bem próximos o Fiat Mobi (4.386) e o Fiat Argo (4.172). O próximo Chevrolet a aparecer na lista ocupou a sexta posição no período. Trata-se do Onix Plus, com 4.025 unidades vendidas.

Considerando os modelos citados até agora, a Fiat tem 14.284 exemplares emplacados em fevereiro. A Chevrolet soma 10.553.

A fabricante do Onix contra-ataca com o Chevrolet Tracker, que registrou 3.257 unidades vendidas no período. Mas a Fiat tem uma excelente arma, e sem concorrentes diretos: a Toro. Mesmo prestes a mudar, a picape está vendendo muito bem. Até agora, foram 3.571 exemplares.

Com Tracker e Toro, os números sobem para 17.855 unidades para a Fiat e 13.790 para a Chevrolet. A marca norte-americana consegue descontar um pouco dessa vantagem com S10 e Montana. Nesse caso, vai a 15.502 veículos vendidos no período.

Só que a Fiorino também tem um papel muito importante na linha. Com o modelo, a Fiat salta para 19.382 exemplares no acumulado de fevereiro.

As chances de a Chevrolet retomar a ponta

A vida parece difícil para a Chevrolet em 2021, quando o assunto é liderança. Em 2015, a marca tirou a Fiat do primeiro lugar, e não mais o abandonou. Isso até o final de 2020.

Não dá para "acusar" a Chevrolet de ter linha pouco variada. Pelo contrário: a marca atua, com sucesso, nos três principais segmentos do Brasil: hatches, sedãs e SUVs compactos. Além disso, tem um SUV médio, o Equinox, e uma picape média, a S10.

Outros modelos da marca são a Trailblazer e a linha Cruze (hatch e sedã). São carros de baixo volume, que pouco influenciam na briga pela liderança. A Montana está em fim de carreira e, para este ano, está prevista sua sucessora. Agora, resta saber se será rival da Strada ou da Toro.

A Fiat tem sucesso em menos segmentos, mas amplo destaque em alguns dos que atuam. O Mobi é um carro de altos e baixos. Neste mês, está se saindo bem, possivelmente impulsionado por vendas diretas. Nada garante que mantenha esse desempenho em março.

O Argo é sucesso, mas não tanto quanto o Onix. O Cronos é um sedã que, pelo volume do segmento em que atua (o mesmo do Onix Plus), não é bem-sucedido em vendas. Picape média como a S10 a Fiat não tem, nem terá.

Mas a aposta na Toro foi certeira: derivada de plataforma de carro de passeio, a Toro é confortável, tem boas capacidades, espaço interno, versões a diesel e bom preço. É aquele carro para quem quer uma picape média como estilo de vida, mas ainda assim dá conta do trabalho rural, se ele não for muito pesado.

A Toro vende demais. E a Strada, agora com quatro portas na opção cabine dupla, vem ameaçando a liderança de mercado do Onix. Isso sem versão automática, que só chegará este ano (com câmbio CVT).

A Fiat não atua no segmento de SUVs compactos. A má notícia para a Chevrolet é que um carro desse segmento será o principal lançamento da marca italiana neste ano. E, se o novato fizer sucesso, a missão de retomar o primeiro lugar ficará ainda mais difícil para a americana.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL