PUBLICIDADE
Topo

Primeira Classe

Por que a Strada tirou o Onix da liderança de vendas em setembro

Nova Fiat Strada - Divulgação
Nova Fiat Strada Imagem: Divulgação
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

02/10/2020 04h00

Pela segunda vez em 2020, o Onix perdeu a liderança de vendas mensal. Desta vez, o novo líder não é um SUV, e sim uma picape. Trata-se da Fiat Strada, cuja nova geração foi lançada no Brasil há três meses.

Veículo mais vendido em setembro, a Strada somou 11.873 emplacamentos, pequena vantagem ante o Onix, que teve 11.710 unidades vendidas. Mas por que a Strada avançou tanto no mercado brasileiro?

A Fiat ainda tenta entender de que carro a Strada está tirando mercado, para alcançar essa evolução. Certamente, não é da Toro, que em setembro somou 5.580 emplacamentos, ante os 4.824 de agosto.

A vida dos SUVs compactos, com os quais a Fiat esperava concorrer, também está tranquila. Em setembro, houve mudanças de posições entre eles (veja abaixo). No entanto, o ritmo de vendas da categoria continua em alta.

A análise mais realista é de que a alta da Strada esteja relacionada a uma demanda reprimida. O lançamento do carro foi amplamente antecipado. Deveria ter ocorrido em abril. Naquele mês, foram divulgadas diversas informações sobre o veículo tanto na imprensa quanto em redes sociais.

O atraso no lançamento ocorreu por causa da pandemia de covid-19. E, tanto em abril quanto em maio, houve forte queda no mercado de carros novos, que começou a se recuperar a partir de junho, pouco antes do lançamento da Strada.

Por isso, é muito provável que os interessados na Strada tenham postergado a compra para a chegada da nova geração, e a esteja adquirindo agora. Nesse caso, dentro alguns meses o ritmo de vendas da picape pode apresentar uma leve queda, embora a tendência é de que continue forte.

E, se o Onix não continuar se recuperando, a Strada pode sim surpreender e aparecer na liderança mensal em mais algum mês de 2020. Isso porque a demanda reprimida não parece ter ainda chegado ao fim - nas concessionárias, a picape ainda está com filas para a maioria das versões.

Independentemente disso, não dá para apostar na Strada como líder de vendas no fim do ano. Isso porque, com a vendas de setembro, a picape chega a cerca de 50 mil unidades acumuladas. O Onix, mesmo em baixa, já ultrapassa as 92 mil a três meses do encerramento de 2020.


Onix perde espaço

O primeiro lugar da Strada também está relacionado à queda de vendas dos modelos mais básicos. O segmento, do qual o Onix faz parte, não está se recuperando como os demais. O consumidor desses carros ainda sofre bastante com a crise econômica gerada pela pandemia em curso.

Antes da covid-19, o Onix chegava a ultrapassar as 20 mil unidades emplacadas por mês. Os mais de 11 mil exemplares vendidos em setembro já representam um avanço. São bem melhores que os cerca de 3,5 mil de abril, ou os 6 mil de junho. Mas ainda estão bem distantes da realidade do carro.

Foi também por causa dessa queda que, em julho, o Onix acabou sendo ultrapassado pelo Volkswagen T-Cross, que naquele mês somou 10.211 emplacamentos, ante os 9.716 do Chevrolet.

Um dos carros mais vendidos para locadoras, o Onix também vem sendo afetado pela crise nesse setor. As vendas voltaram a ser feitas mas, de acordo com fontes, ainda estão bem distantes do ritmo pré-pandemia.


Tracker na frente

Além da liderança de vendas inédita da Fiat Strada, o mês de setembro reservou outras surpresas para o mercado de carros zero-km no Brasil. Entre os destaques estão dois SUVs da Chevrolet, Tracker e Equinox.

O compacto ultrapassou o T-Cross e chegou ao primeiro lugar da categoria, com 6.403 emplacamentos. O segundo lugar ficou com o Jeep Renegade (5.748 unidades vendidas), que foi seguido pelo Huyndai Creta (5.402), na terceira posição.

A poucos dias do encerramento do mês, o T-Cross aparecia na quinta posição do segmento de SUVs compactos. Mas, então, conseguiu virar o jogo no finalzinho de setembro, para ocupar o quarto lugar, com 4.729 exemplares emplacados.

Com isso, jogou o Kicks para a quinta posição (4.025 emplacamentos). Já o Nivus, que vinha em um embalo melhor que o do irmão veterano, acabou não confirmando sua escalada. Nos últimos dias, foi ultrapassado pelo HR-V.

O Honda, sexto colocado, somou 3.314 unidades vendidas, pequena vantagem ante as 3.203 do Volkswagen Nivus, sétimo. Ford EcoSport, Renault Duster e Honda WR-V, nesta ordem, fecharam a lista dos dez SUVs mais vendidos em setembro.

SUVs médios

A outra surpresa do segmento de SUVs foi o Chevrolet Equinox. Em setembro, ele ficou bem próximo do Tiguan. Foram vendidas 739 unidades do Volkswagen, segundo colocado no segmento de SUVs médios, ante as 723 do Chevrolet. O líder, Jeep Compass, teve 6.042 emplacamentos.

A má notícia para o Equinox é que, a poucos dias do fechamento de setembro, o Chevrolet estava à frente do Volkswagen. O Tiguan conseguiu virar o jogo bem no encerramento do mês.

Os mais vendidos em setembro

1º Fiat Strada - 11.873
2º Chevrolet Onix - 11.710
3º Volkswagen Gol - 9.134
4º Hyundai HB20 - 8.565
5º Fiat Argo - 7.985
6º Chevrolet Onix Plus - 7.093
7º Chevrolet Tracker - 6.403
8º Jeep Compass - 6.042
9º Ford Ka - 5.956
10º Jeep Renegade - 5.749

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.