PUBLICIDADE
Topo

BMW X4 M40i: conheça SUV para quem não gosta de SUVs e que custa R$ 450 mil

Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colaboração para o UOL

14/02/2020 04h00

Afinal, qual é a função dos crossovers que estão ficando também conhecidos como SUVs cupês? O BMW X6 deu largada a esse novo segmento, que agora tem adeptos em diversas marcas. São carros baseados em utilitários, mas com um apelo visual mais esportivo. Essa aptidão pode ir muito além do visual, algo que o BMW X4 M40i deixa bem claro.

Essa versão, a de entrada da linha M do crossover - há ainda o X4 M e o X4 M Competition -, é literalmente o SUV para quem não gosta de SUV. Com preço sugerido de R$ 449.950, o modelo que tem motor seis-em-linha de 360 cv e acelera de 0 a 100 km/h em nada menos que 4,8 segundos vai agradar um perfil bem específico de cliente.

Para comprar um X4 M40i, o consumidor tem de ser mais fã de carros esportivos que de SUVs. Se preferir os utilitários, mas ainda assim quiser um motor forte e uma pegada esportiva, o melhor negócio é recorrer ao X3 M40i.

O que o X40 M40i tem de SUV

O X4 M40i é o carro para quem sonha em ter um esportivo mas, independentemente da razão, precisa das características versáteis de um SUV. E ele tem a maioria. É alto, mas menos que o X3.

Com coluna C rebaixada, visualmente parece um sedã-cupê, ou um cupê de quatro portas, de proporções altas. Algo com um Porsche Panamera transformado em utilitário esportivo. Apesar dessas características, é fácil acomodar as coisas ali no banco de trás. Exemplos: crianças e suas cadeirinhas e assentos de elevação.

O porta-malas tem 425 litros, de acordo com a BMW. Nele, dá para acomodar um bom volume de bagagem. Consegui colocar duas malas médias (23 kg), uma pequena (10 kg) e uma mala no estilo sacola grande cheia. Ainda sobrou espaço para mochilas e outros objetos menores.

Atrás há amplo espaço para as pernas de dois ocupantes (o entre-eixos é de 2,86 metros). No meio cabe uma criança, pois o console central é muito alto. Na ausência dela, os dois passageiros podem usar um console central retrátil, com porta-copos. Há saídas de ar-condicionado atrás, com ajustes digitais exclusivos para quem vai nessa parte do carro.

O que o X4 M40i tem de esportivo

O centro de gravidade do X4 M40i é mais baixo que os dos SUVs tradicionais, mas ainda assim mais alto que o de modelos como os sedãs e hatches. A posição de guiar também é um pouco mais baixa, o que vai agradar em cheio os fãs de esportivos sem deixar insatisfeitos os amantes de SUVs - afinal, está longe de ser grudada no assoalho.

Já a absorção de impactos em relação ao solo é bem inferior à dos confortáveis SUVs convencionais. Isso ocorre por duas razões. O primeiro é o fato de o carro ser mais baixo e próximo do chão.

Além disso, os modelos da divisão M, da BMW - o X4 M40i tem uma preparação bem leve -, têm ajuste de suspensão mais duro. Isso é feito para privilegiar a estabilidade e o bom desempenho em curvas, e o resultado é muito bem sucedido nessas situações.

A contrapartida é que o X4 M40i dá baques contra pisos imperfeitos. Não gera grande desconforto, mas pode assustar aqueles que esperam um SUV mais confortável, que parecem rodar sobre trilhos em qualquer situação.

Por causa do formato de sua carroceria e da coluna C rebaixada - bem mais que a de SUVs cupês de outras marcas, o X4 M40i deixa a desejar na visibilidade a partir do retrovisor interno. Ela é bem limitada.

Divisão M bate recorde de vendas

Apesar de o mercado de luxo ter registrado leve recuo em 2019, as vendas da divisão M da BMW foram as melhores de sua história no Brasil. Foram 770 unidades, 30% a mais que em 2018.

De acordo com o diretor de vendas da BMW, Roberto Carvalho, a alta foi gerada, entre outros fatores, por investimentos da marca em eventos exclusivos, que permitem ao potencial cliente ter contato com os carros. "O auge foi o M Experience, em Interlagos (em agosto). Reunimos cerca de 3 mil consumidores."

Na experiência, clientes e potenciais clientes puderam dirigir, durante um fim de semana, diversos modelos da linha M na pista do Autódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo. Eventos regionais feitos pela marca também entram na conta de Carvalho para o recorde.

"Fizemos uma experiência na pista do aeroporto de Salvador com cerca de 600 clientes da região", conta. "Nesse caso, o cliente não precisa ir até os carros. Nós vamos até eles."

Até quando o assunto é preparação esportiva os SUVs dominam a preferência do consumidor brasileiro. O modelo da divisão M mais vendido em 2019 foi o X3, com o X4 na segunda colocação.

Segundo Carvalho, haverá mais lançamentos da divisão no Brasil em 2020. "O objetivo é crescer dois dígitos", conta. Acaba de chegar o M135i, cujo preço é de R$ 269.950.

Também vem aí o cupê M235i. O M8 é outro que está no radar da BMW do Brasil.

Ausência no Salão do Automóvel

A BMW, que é líder de vendas no mercado de luxo, foi uma das primeiras a anunciar que ficará fora do Salão do Automóvel de 2020. "Não vamos mesmo participar. Não há volta nessa decisão", diz Carvalho.

Porém, de acordo com o executivo, isso não quer dizer que a BMW ficará de fora das edições seguintes do evento. Após 2020, a próxima será em 2022.
Segundo Carvalho, o resultado obtido por eventos exclusivos da BMW no ano passado é a razão da ausência. Assim, dá para esperar mais ações exclusivas da marca em 2020.

Nos últimos dias, diversas montadoras anunciaram que não vão participar do salão. Entre elas estão a líder do mercado, Chevrolet, a Toyota e sua subsidiária Lexus e a Hyundai. Marcas que já não estiveram na edição de 2018, como Volvo e Jaguar Land Rover, também confirmam sua ausência.