PUBLICIDADE
Topo

Pedala

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Pedalar no atual estágio da pandemia no Brasil? Veja quais cuidados tomar

Pedalar na pandemia exige cuidado redobrado, com distanciamento, máscara e equipamentos - Getty Images/iStockphoto
Pedalar na pandemia exige cuidado redobrado, com distanciamento, máscara e equipamentos Imagem: Getty Images/iStockphoto
Diego Salgado

Repórter do UOL desde 2015, com passagens por Estadão e Portal 2014. Ciclista há 20 anos na cidade de São Paulo, já pedalou por 10 países e atravessou sozinho a América do Sul e a Europa. A Oceania é o próximo desafio.

26/03/2021 13h20

O Brasil vive seus piores dias na pandemia, com números de casos e mortes elevados em meio ao iminente colapso do sistema de saúde. A maior cidade do país, diante disso, passou à fase roxa nos últimos dias, mais restritiva que a vermelha.

Apesar disso, a prática de exercícios ao ar livre está liberada, embora a recomendação atual seja sair de casa apenas em caso de necessidade. Isso acontece por dois motivos: para diminuir o contágio e também para evitar acidentes diante do cenário com hospitais lotados.

Para práticas esportivas, o ciclista precisa seguir o básico. Nunca pedalar em grupo e sempre sair de casa com máscara. Infelizmente, nem sempre as pessoas têm seguido tal cartilha. É comum ainda ver esportistas juntos e sem a devida precaução em relação à pandemia. Diante de tudo isso que o Brasil atravessa, isso é muito lamentável.

A bicicleta, vale lembrar, também é uma opção aos milhares de entregadores de comida. Nesse caso, há outro agravante. Além da frequente falta da máscara, muitos não utilizam equipamentos de proteção. Capacete é obrigação, sempre, assim como a iluminação na bike.

Na pandemia, o cuidado precisa ser redobrado, justamente por causa da alta ocupação dos leitos nos hospitais. Importante ressaltar que uma locomoção segura pela cidade inclui também o cumprimento das regras básicas do Código de Trânsito Brasileiro.

Ciclistas têm direitos e deveres. São simples: na ciclovia e ciclofaixas, a velocidade nunca pode ultrapassar 20 km/h. As ultrapassagens precisam ser feitas em segurança e com paciência, sem movimentos bruscos e com sinalização prévia.

Além disso, a calçada é lugar para pedestre. Os ciclistas devem zelar por eles até mesmo nas ciclovias e ciclofaixas. Espera-se o mesmo dos motoristas nos locais onde a locomoção das bicicletas se dá no asfalto.

Mais do que nunca é preciso ter harmonia no trânsito, com respeito, sensibilidade e gentileza. Todos sairão ganhando.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL