PUBLICIDADE
Topo

Cooperativa com 16 ciclistas vira opção para restaurantes entregarem comida

Equipe da Giro Sustentável, cooperativa que faz entregas de bicicleta em São Paulo - Divulgação/Giro Sustentável
Equipe da Giro Sustentável, cooperativa que faz entregas de bicicleta em São Paulo Imagem: Divulgação/Giro Sustentável
Diego Salgado

Repórter do UOL desde 2015, com passagens por Estadão e Portal 2014. Ciclista há 20 anos na cidade de São Paulo, já pedalou por 10 países e atravessou sozinho a América do Sul e a Europa. A Oceania é o próximo desafio.

23/06/2020 04h00

Dezesseis ciclistas, muita disposição e um ideal. Na busca por justiça, igualdade e sustentabilidade, uma cooperativa em São Paulo ganha corpo e se torna uma alternativa para restaurantes no serviço de entrega de comida de bicicleta.

A Giro Sustentável, criada no fim de 2016, também faz outros tipos de entregas, mas viu o serviço ligado ao ramo alimentício aumentar em meio à pandemia do novo coronavírus. A evolução acontece justamente quando aplicativos de comida são colocados em xeque pelos entregadores, que prometem uma greve para o próximo dia 1º, na busca por melhores condições de trabalho.

Na cooperativa com sede no centro de São Paulo, possibilitar um ambiente favorável ao ciclista é um preceito básico, como conta Barrão, 33 anos, um dos líderes da Giro Sustentável, no cargo de diretor financeiro.

Natural de Santa Luzia, cidade próxima a Belo Horizonte, Minas Gerais, Barrão chegou a São Paulo no fim de 2016, justamente quando a Giro Sustentável foi criada. Antes de ingressar na cooperativa como colaborador, o ciclista passou pelos maiores aplicativos do país. Ligado às entregas de bike há 11 anos, Barrão é a favor da greve.

"Vejo com bons olhos, porque os direitos desses entregadores tem diminuído, assim como as condições de trabalho e os salários", disse em entrevista à Coluna Pedala.

Na cooperativa, há um pagamento mínimo aos ciclistas, mesmo em meses em que há menos acordos com os restaurantes. Normalmente, os entregadores trabalham seis horas por dia. De acordo com Barrão, muitos deles moram fora da cidade de São Paulo. Dessa forma, criar esse limite é uma forma de tornar o dia menos cansativo.

"Nem todos moram por aqui no município. A gente colocou esse limite de seis horas para se justo. Assim a pessoa que mora mais longe fica mais descansada", explicou.

Cada um deles pedala em torno de 80 quilômetros por dia. Para se ter uma ideia, Barrão já atingiu a marca de 182 quilômetros quando prestava serviço aos aplicativos há pouco mais de três anos. Mesmo na condição de diretor financeiro hoje, Barrão desempenha a mesma função que os outros 15 colegas.

Uma outra medida adotada é a implantação de bagageiros com uma bolsa térmica. Assim, o ciclista pode pedalar com mais liberdade, sem o peso nas costas. A cooperativa faz entregas de segunda a sexta-feira, em três períodos, quando as entregas são comidas congeladas. No horário do almoço, acontece o delivery de pratos quentes.

Há três tipos de cobranças aos restaurantes conveniados. Eles pagam por hora, com mínimo de duas por ciclista enviado ao local. Há também retiradas, cujo valor é por volume. Por fim, o pagamento por quilômetro rodado. As entregas acontecem em todo o centro expandido de São Paulo, com algumas exceções para clientes que estão localizados fora dessa área.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.