PUBLICIDADE
Topo

Paula Gama

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bocejos perigosos: até seu carro se preocupa quando você põe todos em risco

42% dos motoristas dizem que continuam dirigindo quando se sentem cansados  - Freepik
42% dos motoristas dizem que continuam dirigindo quando se sentem cansados Imagem: Freepik
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paula Gama

Jornalista especializada no mercado automotivo desde 2014, Paula Gama tem 28 anos e avalia diversos modelos no Brasil e no exterior. Nesta coluna, você terá opiniões sinceras sobre os lançamentos, cultura automotiva, tendências e análises de comportamento do consumidor.

Colunista do UOL

04/03/2022 04h00

Um terço dos acidentes de trânsito fatais começa com um bocejo. É o que conclui um estudo da "Securité Routiére", órgão francês de segurança rodoviária. Segundo a pesquisa, um em cada três acidentes fatais nas rodovias está associado à sonolência. Os dados mostram que 42% dos motoristas dizem que continuam dirigindo quando se sentem cansados e 28% dos caminhoneiros afirmam dormir menos de 6 horas por noite.

No Brasil, os dados também são alarmantes: em pesquisas realizadas no ano passado pelo SOS Estradas, cerca de 50% dos acidentes com caminhoneiros e motoristas de ônibus ocorreram sem o envolvimento de outro veículo. O que pode indicar sonolência ou falta de atenção do condutor.

A instituição explica que, após duas horas de direção contínua, todo condutor começa a perder reflexos. Após quatro horas, a perda de coordenação se assemelha a de alguém embriagado.

Outro fator que piora os índices é que em feriados e período de férias é muito comum o condutor trabalhar o dia todo e depois do expediente colocar a bagagem no automóvel e pegar horas de estrada com os amigos e familiares.

Segundo o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, existem vários estudos que demonstram que o cansaço é um fator de grande letalidade nas rodovias.

"Podemos estimar que 20% dos acidentes ocorrem com motoristas cansados e que respondem por 30% das mortes. Quem cochila ao volante, por exemplo, não reduz a velocidade numa colisão e como existe relação direta entre velocidade e gravidade das lesões, as consequências costumam ser mortais", afirmou.

Ele informa ainda que a maioria dos motoristas e motociclistas já admitiram ter cochilado pelo menos uma vez ao volante. Por isso, a instituição separou uma lista com 10 dicas para evitar acidentes envolvendo cansaço e fadiga ao volante.

  1. Nunca viaje cansado
  2. Na véspera da viagem procure dormir pelo menos 8h
  3. Evite dirigir mais que 8h por dia
  4. Planeje a viagem para evitar dirigir a noite
  5. Descanse pelo menos 15 minutos a cada 2h00 de direção
  6. Nas viagens, prefira sempre alimentos leves
  7. Evite viajar sozinho. Use o ônibus ao invés do carro
  8. Reveze com outro motorista a condução do veículo
  9. Pare sempre que sentir cansaço e durma sempre que puder
  10. Não beba álcool, nem use drogas ou medicamentos que afetem os sentidos

A lista faz parte de uma campanha que o SOS Estradas está iniciando, intitulada de "Cansaço Mata!". A iniciativa conta com o apoio de várias entidades, dentre elas a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais - FENAPRF , Fecombustíveis, Associação Brasileira de Caminhoneiros - Abcam e TR NSITO AMIGO, entidade de vítimas de acidentes.

Tecnologia contra o cansaço

O debate sobre o impacto do cansaço nos acidentes de trânsito já despertou a atenção das montadoras, que apostam em equipamentos que monitoram a condução do motorista e sinalizam quando há sinais de fadiga.

A Volkswagen tem um equipamento específico para monitorar o cansaço. A função de detecção de fadiga avisa quando há perda de concentração. Ele analisa parâmetros como o comportamento de direção, uso do pedal e aceleração lateral. Se o sistema achar que a concentração do motorista está diminuindo, ele emite um aviso visual e sonoro.

A Mercedes-Benz possui o chamado "Attention Assist" (Auxiliador de Atenção), que analisa cerca de 60 parâmetros de comportamento do carro, principalmente a posição do veículo nas faixas da rua. Quando esses dados ficam inalterados por mais de 20 minutos, o sensor avisa sobre o cansaço. Outras montadoras, como Jeep, Ford e Hyundai também possuem sistemas com a mesma proposta em alguns modelos.

Há outros equipamentos mais ofertados nos modelos atuais, com eficiência para ajudar na falta de atenção. O alerta de saída de faixa ou assistente de permanência em faixa possui câmeras no exterior do veículo. Quando o sistema entende que o motorista está passando da faixa de rolagem involuntariamente, emite alertas sonoros, luminosos ou sensoriais no volante, dependendo do modelo. Se necessário, o veículo corrige a trajetória.

O alerta de colisão frontal também é uma boa proposta. O motorista escolhe uma distância segura do carro da frente, e se aproximar mais do que o estabelecido, o carro vai apitar e emitir sinais de alerta. Em alguns casos, até reduz a velocidade. Os dois sistemas estão disponíveis no portfólio de várias marcas, como Chevrolet, Citroën, Jeep, Nissan, Peugeot e Volkswagen.