PUBLICIDADE
Topo

Paula Gama

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Homens ou mulheres: quem dirige com a postura mais adequada?

Dirigir em uma posição mais alta e com o encosto da poltrona na vertical privilegia a visibilidade  - Freepik
Dirigir em uma posição mais alta e com o encosto da poltrona na vertical privilegia a visibilidade Imagem: Freepik
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paula Gama

Jornalista especializada no mercado automotivo desde 2014, Paula Gama tem 28 anos e avalia diversos modelos no Brasil e no exterior. Nesta coluna, você terá opiniões sinceras sobre os lançamentos, cultura automotiva, tendências e análises de comportamento do consumidor.

Colunista do UOL

03/12/2021 11h00

Desde que os utilitários esportivos começaram a se popularizar no mercado, boa parte do público feminino se encantou pela postura mais elevada ao dirigir.

O que evidenciou uma diferença entre mulheres e homens ao volante: enquanto elas preferem uma posição mais alta e vertical, eles - principalmente os que apreciam uma condução mais esportiva - dirigem com a coluna mais horizontal, bem próximos ao assoalho. Afinal, quem está certo?

De acordo com Laerte Idal Sznelwar, médico e professor doutor em ergonomia da Escola Politécnica da USP e da Fundação Vanzolini, para encontrar a postura correta para dirigir é necessário unir alguns pontos em uma equação. O primeiro deles é apoiar-se de maneira adequada, sem correr o risco de pressionar uma veia, por exemplo.

"Quando estamos sentados, o correto é apoiar bem os ísquios (ossos mais baixos da pélvis) e a coluna lombar. As coxas, por exemplo, devem estar soltas para facilitar a utilização dos pedais", esclarece o especialista.

O segundo passo é, a partir do apoio correto, encontrar uma posição que proporcione o máximo de visibilidade possível. Nesse quesito, quem senta-se em frente ao volante em uma posição mais alta, como se estivesse em uma poltrona, sai ganhando.

"O motorista precisa prever acontecimentos, por isso, a visibilidade é um fator de extrema importância. O próximo passo é ter conforto para segurar no volante com as duas mãos e acesso fácil aos outros comandos e equipamentos, como a alavanca de câmbio", afirma o doutor em ergonomia.

As mãos devem ser apoiadas no volante com delicadeza, sem precisar esticar demais os braços, mas sem dobrá-los em excesso também. Elas devem ficar bem separadas, nunca unidas na base ou no topo do volante.

Respeitando esses quesitos, o especialista afirma que não há problema em apoiar um pouco mais a coluna no banco e dirigir um pouco mais 'deitado', como é a preferência de boa parte dos homens. "Se na hora de conduzir a pessoa conseguir se apoiar bem, tiver uma boa visão do trânsito e acessar os comandos necessários com facilidade, não há problema em optar por uma condução mais esportiva, um pouco mais deitada", explica.

Facilidade

Apesar de ser possível dirigir com segurança das duas formas, o especialista explica que motoristas com algumas condições físicas específicas - como idosos, pessoas obesas ou com alguma dificuldade de locomoção - podem ter dificuldade em veículos e bancos mais baixos, principalmente se o encosto estiver mais deitado. Para esses grupos, sentar-se de maneira mais vertical é mais interessante, pois proporciona entrada e saída mais fácil e maior acesso aos comandos.

Outro ponto deve ser levado em consideração: mesmo que o condutor encontre a posição perfeita ao volante, é preciso mudá-la em uma viagem muito longa.

"A melhor postura é aquela que eu posso mudar. O que significa que em períodos longos sentados na mesma posição não são favoráveis à saúde. Pode causar dores na lombar, dificuldade no retorno venoso ou até mesmo perda da vigilância, o que é muito perigoso no trânsito. Por isso, ao menor sinal de desconforto, é preciso parar o carro e esticar as pernas", alerta o professor Laerte.

Ajustando a posição

Encontrar a posição perfeita para dirigir não é possível em todo carro, principalmente para pessoas muito altas, muito baixas, acima do peso ou idosas. Por isso, antes de comprar ou trocar o seu carro, vale a pena fazer um teste drive pensando especificamente na posição ao volante.

Quanto mais ajustes - como de altura e profundidade do volante e altura do banco - o veículo oferecer, mais fácil será. Verifique se terá uma boa visão do trânsito, se consegue visualizar todos os espelhos retrovisores, ajustar a temperatura do ar-condicionado e acessar a alavanca de câmbio sem dificuldades. Ao menor sinal de dificuldades, melhor escolher outro modelo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL