PUBLICIDADE
Topo

Paula Gama

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nem toda picape encara desafios da estrada e do campo; entenda a diferença

Suspensão da Ranger Black foi calibrada para rodar com mais conforto em perímetros urbanos - Foto: Ford | Divulgação
Suspensão da Ranger Black foi calibrada para rodar com mais conforto em perímetros urbanos Imagem: Foto: Ford | Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paula Gama

Jornalista especializada no mercado automotivo desde 2014, Paula Gama tem 28 anos e avalia diversos modelos no Brasil e no exterior. Nesta coluna, você terá opiniões sinceras sobre os lançamentos, cultura automotiva, tendências e análises de comportamento do consumidor.

Colunista do UOL

19/11/2021 11h00

Muitos enxergam uma picape como um veículo "todo-terreno", que encara o dia a dia de trabalho pesado na cidade e na fazenda. Em parte, o pensamento é verdade. Normalmente elas são feitas para serem resistentes e boas companheiras de viagem, mas algumas características diferenciam uma caminhonete da cidade ou da "roça".

A Ford provou muito bem essa realidade na sua estratégia com a Ranger Black e Storm. A primeira, completamente voltada para trajetos urbanos e trechos de estradas pavimentadas. Além do visual escurecido, ela conta com o mesmo santoantônio da versão Limited, estribos laterais e acabamento em couro nos bancos. Como acessório, a Ford desenvolveu uma capota rígida com acionamento elétrico.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

A versão é equipada com tração 4x2, transmissão automática e motor 2.2 diesel de 160 cv e 39,3 kgfm de torque. Apesar de ter uma capacidade de carga de mais de uma tonelada (1.168 kg), não seria capaz de encarar a lama e sair de um atoleiro, por exemplo. Esse trabalho seria mais adequado para a irmã Storm. O foco da Black - que custa R$ 210.290 - é ser uma opção competitiva para quem precisa de uma caçamba na cidade.

Na outra ponta da estratégia da Ford está a Ranger aventureira Storm. Com base na configuração XLS, ela vem equipada com tração 4x4, transmissão automática, diferencial traseiro blocante e motor Duratorq 3.2 turbodiesel de cinco cilindros que rende 200 cv de potência e 47,9 kgfm de torque, mais indicado para o trabalho pesado no campo. A versão custa R$ 241.790.

A Ranger Storm é totalmente voltada para o off-road, com tração 4x4 e diferencial traseiro blocante  - Divulgação/Ford - Divulgação/Ford
A Ranger Storm é totalmente voltada para o off-road, com tração 4x4 e diferencial traseiro blocante
Imagem: Divulgação/Ford

No visual, os diferenciais são grade dianteira, faixas no capô e nas laterais, alargadores de para-lamas, estribos, rodas e santantônio, todos na cor preta, com foco na esportividade. Já as lanternas traseiras com lentes escurecidas foram inspiradas na versão Wildtrak, que é comercializada no exterior.

O que verificar antes de comprar

Para verificar se a picape que você está comprando é mais indicada para o trabalho no campo ou na cidade verifique quatro aspectos.

Se a intenção é trabalho, é preciso que ele tenha força para tanto, por isso, mais atenção ao número de torque do que de potência - que não deixa de ser importante. Um motor na faixa de 40 kgfm de torque já atende bem para uma caminhonete média de trabalho e que vive na estrada.

A Ram 1500 é potente, mas carrega só 750 kg, incluindo os passageiros - Foto: Ram | Divulgação - Foto: Ram | Divulgação
A Ram 1500 é potente, mas carrega só 750 kg, incluindo os passageiros
Imagem: Foto: Ram | Divulgação

Outro detalhe: se for pegar a estrada com frequência, a versão diesel pode ser bem mais econômica em relação ao combustível - além de, via de regra, ser mais forte.

É comum que uma picape média tenha um tanque de 80 litros, exatamente para proporcionar uma autonomia interessante em viagens. No caso das picapes a diesel, ela é ainda maior, pois o combustível rende mais do que a gasolina e o etanol.

Outro ponto a se levar em consideração é a capacidade de carga. A Ram 1500, por exemplo, apesar de ter um motor potente, só carrega 750 quilos incluindo os passageiros. As outras picapes médias levam, em média, uma tonelada.

Conferindo esse detalhe, é hora de entender se será necessário ter tração. Um veículo com tração nas quatro rodas é mais seguro não só para transpor obstáculos em terrenos acidentados e instáveis, mas também para encarar os desafios das terríveis estradas brasileiras. A tração 4x4 deixa o veículo bem mais estável.

Por isso, se fosse comprar uma picape, eu não abriria mão de um sistema de tração, mesmo que tivesse que deixar de lado alguns acessórios de conforto e tecnologia para caber no orçamento. No meu entendimento, é melhor ter um veículo preparado para tudo do que um elefante branco adequado apenas para trabalho urbano.

Por último, um conselho de quem já passou maus bocados nas estradas baianas: não faça uma longa viagem ou vá para a fazenda com sua picape calçada em pneus de perfil baixo. A chance de cortá-los em uma pedra ou buraco no asfalto é enorme. Mas esse detalhe é bem mais simples de resolver do que todos os outros.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL