PUBLICIDADE
Topo

Paula Gama

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pet no carro: como transportar seu bichinho com segurança e sem levar multa

Geber86/Getty Images
Imagem: Geber86/Getty Images
Paula Gama

Jornalista especializada no mercado automotivo desde 2014, Paula Gama tem 28 anos e avalia diversos modelos no Brasil e no exterior. Nesta coluna, você terá opiniões sinceras sobre os lançamentos, cultura automotiva, tendências e análises de comportamento do consumidor.

Colunista do UOL

04/06/2021 04h00

A vida ao lado de um animal de estimação pode ser muito mais leve, não é mesmo?

Metade das famílias brasileiras sabe do que estou falando quando digo isso, já que 50% dos lares têm pelo menos um pet. Trata-se de uma tendência que cresceu ainda mais com a pandemia. Levar o seu amigo para um passeio de carro pode ser incrível, mas é preciso tomar alguns cuidados, como usar os equipamentos certos para a espécie e porte, por exemplo.

A primeira imagem que vem à cabeça quando se fala em transporte de um cão em um automóvel é a do cachorro curtindo a brisa, pendurado na janela.

Ele provavelmente vai amar, mas isso é considerado uma infração de trânsito média, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. A prática também pode ressecar os olhos do seu amigo, gerando um problema de saúde sério com o passar dos anos.

O CTB (Código de Trânsito Brasileiro) também não permite transportar o animal no colo, solto no banco de trás, na carroceria de picapes ou no porta-malas. O último, inclusive, pode ser considerado crueldade e dar cadeia. Para carregar os bichinhos de forma segura e dentro da lei, é preciso preparar o seu carro com alguns equipamentos.

De olho nessa fatia de mercado, que foi um dos poucos que encerrou 2020 em crescimento, diga-se de passagem, os fabricantes de veículos apostam em linhas especiais para o transporte de animais em seus produtos.

Luis Felipe Teixeira, diretor Comercial de Peças e Acessórios da General Motors, que possui uma linha de acessórios de transporte para pets, explica que a multa não deve ser a única preocupação.

"É fundamental que o pet esteja adequadamente acomodado no carro, com toda a segurança, para evitar eventuais acidentes. Em caso de frenagem brusca, sempre há o risco de arremesso para a parte da frente do carro, o que pode causar lesões no próprio pet e também no motorista ou no carona."

Outra informação importante: de acordo com o Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), em uma colisão a 100 km/h, o peso dos ocupantes do veículo é multiplicado por 30. Isso significa que, se um cachorro de 4 kg for arremessado, o impacto será o mesmo que o de um objeto de 120 kg. Algo potencialmente fatal tanto para o animal quanto para os demais passageiros do carro.

Além de encontrar equipamentos especializados para o transporte de animais em petshops, algumas marcas de veículos possuem suas próprias linhas, como Chevrolet - que oferece a linha mais completa dentre as montadoras -, Nissan, Renault, Ford, Audi e Volvo.

A Hyundai possui uma parceria com a rede Petz, na qual os clientes têm descontos nos equipamentos de transporte de animais.

Conheça as diferentes opções:

Caixa de transporte

Caixa de transporte no carro cachorro - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

A caixa de transporte é uma boa opção para cães filhotes, animais mais assustados e gatos. Completamente fechada, ela pode ser apoiada no assento traseiro e protegida com cinto de segurança. Ela também pode ser utilizada em viagens de avião. Para gatos, é realmente a melhor opção, mas muitos cães podem se sentir enclausurados dentro dela, principalmente se não forem treinados para passar longos períodos em pequenos espaços.

Cadeirinha pet

Cadeirinha pet Ford - Divulgação/Ford - Divulgação/Ford
Imagem: Divulgação/Ford

É a opção mais recomendada por especialistas e também a que escolhi para Shelby, meu lulu da pomerânia.

Assim como as cadeirinhas infantis, elas ficam presas ao cinto de segurança, mas parecem cestinhas. O cãozinho fica mais confortável do que na caixa de transporte porque as cadeirinhas são abertas em cima.

Ele viaja com o dono em seu campo visual, o que traz mais conforto. Na cadeirinha, também há um cinto que prende a coleira. Ela é indicada para animais de até 10 kg. Há opções de tecido ou couro ecológico e escolhi a segunda por ser mais fácil de limpar.

Extensor de cinto de segurança

Ideal para cães de portes maiores, que não cabem na caixa de transporte ou na cadeirinha. O equipamento fica preso na coleira peitoral e no engate do cinto de segurança. Evita que o animal seja arremessado em um eventual acidente.

Rede de proteção dos bancos dianteiros

Rede proteção pets carro bancos dianteiros - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Um cuidado extra, evita que o pet pule ou que seja arremessado para o banco da frente em caso de frenagem brusca.

Capa de banco e porta-malas

Produzida com tecido aconchegante, maleável e impermeável, dá mais conforto ao pet e protege o banco do veículo.

Outras iniciativas de montadoras

Kicks for Pets - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Mais do que incentivar o transporte seguro, algumas marcas vão além quando se trata do universo pet. A Nissan, por exemplo, projetou um conceito para uma versão do Kicks completamente preparada para um peludo. Além dos objetos de proteção, tinha vários equipamentos para o bem-estar dos cães (foto acima). Infelizmente, nem todos chegaram aos concessionários.

Já a Hyundai é uma entusiasta do tema. Além de ter preparado espaços "pet friendly" em todas as suas concessionárias, apoia projetos que incentivam a convivência entre os animais e seus donos em espaços públicos, como restaurantes e hotéis.