PUBLICIDADE
Topo

Jorge Moraes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Todos contra a Toro: o que rivais preparam para combater a picape da Fiat

Jorge Moraes

Jornalista, Jorge Moraes trabalha com o segmento automotivo desde 1994. Presente nos principais salões internacionais, é editor do caderno de Carros no Diário de Pernambuco, diretor e apresentador do programa Auto Motor na Band, e âncora do programa CBN Motor na rádio CBN Recife.

Colunista do UOL

11/05/2021 17h44

O mercado de picapes está em alta no Brasil e ninguém chega perto da Fiat no segmento quando se fala em compactas e médio/compactas. Strada e Toro não enxergam os concorrentes pelo retrovisor e conseguem a proeza de figurar sempre entre os carros mais vendidos do país.

Mas essa liderança folgada tem seu preço: faz crescer o olho das marcas rivais. A Fiat pode preparar sua defesa, principalmente em relação ao segmento da Toro, pois um verdadeiro time de atacantes chegará ao mercado nacional nos próximos dois anos para tentar tirar pontos da equipe italiana.

A Chevrolet anunciou nesta semana que apronta um modelo inédito que vai complementar a linha de picapes da marca. A médio/compacta da GM chegará no próximo ano, segundo semestre, e usará a mesma plataforma de Onix e Tracker, como também a mecânica turbo 1.2 de 133 cv com o automático de seis velocidades.

"O modelo chegará para complementar a linha de picapes Chevrolet, além disso, vai estrear um conceito completamente inovador para a marca no segmento de veículos utilitários", explicou Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.

A Hyundai apelará aos santos para tentar vencer a picape da Fiat. A Santa Cruz já foi lançada nos Estados Unidos com medidas muito próximas da Toro. Entretanto, o design polêmico dos novos modelos da marca sul-coreana está presente no modelo e pode ser um entrave no mercado brasileiro.

Lá fora, terá opções de motores 2.5 aspirado de 190 cv e 24,5 kgfm de torque e o 2.5 turbo de fortes 275 cv e 42,9 kgfm de torque. A tração é integral e o câmbio de oito velocidades nas opções automática e automatizada de dupla embreagem. Mesmo ainda não confirmada oficialmente para o mercado brasileiro, a expectativa é que a Santa Cruz seja sim produzida por aqui já em 2022.

Quem primeiro mostrou armas poderosas para combater a Toro foi a Volkswagen com a Tarok no distante Salão do Automóvel de São Paulo em 2018. A picape apareceu como conceito e fez um alvoroço no evento.

Falava-se em lançamento em 2020, mas a pandemia e a crise econômica praticamente fizeram a anti-Toro da Volks desaparecer do radar. A montadora não descartou o lançamento da picape, mas o foco agora é todo na gama de SUVs, que não para de ganhar novos membros.

A Tarok usa a mesma plataforma MQB do T-Cross e tantos outros modelos VW, com o motor 250 TSI como o mais provável para estar sob o capô. Com a chegada de novos players no segmento, quem sabe a montadora alemã acelere os planos da Tarok ainda para o final de 2022 ou início de 2023.

Já a Ford recorre ao nome de um clássico em sua nova picape. A Maverick dividirá a plataforma com o Bronco Sport (que chega agora em maio ao Brasil) e a mecânica 1.5 Ecoboost de 180 cv. Terá um porte um pouco maior que a Toro, mas não chega a ser uma picape média. Deve sim mirar nos preços e nos clientes da italiana.

E antes que você pergunte, nós não esquecemos da Oroch. A picape da Renault segue no mercado, mas com números bem modestos de vendas. Foram pouco mais de 4 mil unidades vendidas neste ano, contra mais de 24 mil da Toro.

E também não esqueça que a Renault vai fazer a mesma modernização na sua picape, como fez no SUV Duster, por esse caminho, a Oroch tem chances de ganhar mais destaque nesse novo e cobiçado segmento do mercado brasileiro. Ah! Não esqueça de preparar o bolso porque do jeito que os preços estão?

*Colaboração de Bruno Vasconcelos à coluna

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL