PUBLICIDADE
Topo

Jorge Moraes

Novo Renault Captur turbo chega ao Brasil em julho com mais tecnologia

Jorge Moraes

Jornalista, Jorge Moraes trabalha com o segmento automotivo desde 1994. Presente nos principais salões internacionais, é editor do caderno de Carros no Diário de Pernambuco, diretor e apresentador do programa Auto Motor na Band, e âncora do programa CBN Motor na rádio CBN Recife.

Colunista do UOL

01/02/2021 10h26

A ofensiva francesa da Renault para entrar no mercado de SUVs compactos turbinados terá início em julho com a chegada do novo Captur. A segunda geração do crossover promete uma revolução mecânica da marca ao inaugurar no Brasil a motorização 1.3 turbo produzida em parceria com a Mercedes-Benz.

O visual externo terá mudanças limitadas ao conjunto óptico (de LED) e à grade frontal, como ocorreu na Rússia, onde o modelo foi apresentado em maio de 2020.

Vale ressaltar que a Renault trabalha com duas linhas do Captur no mundo: a francesa, que tem porte um pouco menor com a plataforma do novo Clio, e outra para países emergentes e do Leste Europeu, baseada no Dacia Duster, que é a vendida no Brasil.

Já no interior é onde veremos um novo Captur de fato. Assim como ocorreu na nova geração do Duster, o irmão mais refinado também mudará completamente.

A moderna central multimídia de 8 polegadas, com Android Auto e Apple Carplay, e o novo volante são os pontos de partida da mudança interna. O acabamento ganhará mais capricho tanto nos bancos como no console, e um visor digital invadirá o painel de instrumentos.

Renault Captur - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A mecânica turbo será um grande trunfo da Renault, pois fará do Captur um dos mais potentes SUVs compactos do mercado. O motor 1.3 turbo, que na Mercedes entrega 163 cv somente a gasolina, na Renault será flex e entregará 170 cv e 26 kgfm de torque. O câmbio será CVT, o que pode tirar um pouco da esportividade do modelo.

Mas potência não faltará para puxar o novo Captur. Será suficiente para disputar a liderança com Volkswagen T-Cross, Chevrolet Tracker e Jeep Renegade? Tudo dependerá da faixa de preço que a Renault vai praticar para as versões turbinadas.