PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Infomoto

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Nova Ducati Multistrada é bigtrail com motor V4 e radares por R$ 145 mil

Modelo é primeira moto do mundo equipada com sistema de radar, controle de velocidade adaptativo e detecção de ponto cego - Divulgação
Modelo é primeira moto do mundo equipada com sistema de radar, controle de velocidade adaptativo e detecção de ponto cego Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Arthur Caldeira

Arthur Caldeira, jornalista e motociclista (necessariamente nessa ordem) fundador da Agência INFOMOTO. Mesmo cansado de ouvir que é "louco", anda de moto todos os dias no caótico trânsito de São Paulo.

Colunista do UOL

13/03/2022 04h00

A Ducati apresentou a nova Multistrada V4 para o mercado brasileiro nesta semana. A nova geração da bigtrail italiana chega ao País na versão V4S com o pacote "Travel & Radar", ou seja, malas laterais rígidas e sistema de radares de série, por R$ 144.990.

A Multistrada V4S é a primeira moto do mundo equipada com radares - um frontal e outro traseiro. Desenvolvido em parceria com a Bosch, o sistema de radar é capaz de fornecer informações sobre o ambiente circundante - evitando, assim, colisões com obstáculos ou outros veículos por meio de alertas ao piloto e controles eletrônicos avançados.

Cada radar tem dimensões compactas (70 x 60 x 28 mm, semelhante a uma câmera de ação moderna) e se integra perfeitamente à moto, pesando apenas 190 gramas.

Multistrada V4S - ACC - Divulgação - Divulgação
Controle de velocidade adaptativo ajusta aceleração e frenagem, para manter distância do veículo à frente
Imagem: Divulgação

O radar posicionado na frente do veículo controla o funcionamento do ACC (Adaptive Cruise Control), que ajusta automaticamente a distância de outros veículos ao andar a uma velocidade entre 30 e 160 km/h.

O radar traseiro é capaz de detectar veículos posicionados no chamado ponto cego, ou seja, a área não visível diretamente pelo piloto ou através do espelho retrovisor. O sistema BSD (Blind Spot Detection) também sinaliza a aproximação de veículos em alta velocidade por trás e alerta o condutor.

Derivado dos automóveis, o sistema de radar foi aprimorado e desenvolvido de acordo com a dinâmica de uma moto. Uma diferença está na limitação para acelerar e frear a fim de garantir que o piloto possa manter o controle da moto em qualquer situação.

MTS V4 - Blind Spot Detector - Divulgação - Divulgação
Detector de ponto cego acende luz no retrovisor, para alertar piloto sobre veículos vindo de trás
Imagem: Divulgação

Além do controle adaptativo de velocidade e do sistema de detecção do ponto cego, a Multistrada V4S conta com um completo pacote de assistência à pilotagem. Controle de tração, sistema antiwheeling, freios ABS otimizados para curvas, e quatro modos de pilotagem...

Tudo gerenciado por um sensor de medição inercial (Inertial Measurement Unit, IMU) de seis eixos também da Bosch. O IMU ainda controla o sistema de suspensões eletrônicas e semiativas da Marzocchi.

Bigtrail mais potente do mercado

A aventureira da Ducati também estreia um novo motor, de quatro cilindros em "V", derivado da esportiva Panigale, mas com 1.185 cm³ e comando de válvulas com sistema de retorno por molas. Dessa forma, a Multistrada deixa para trás o paradigma do comando "desmodrômico", tradicional da marca italiana, e prolonga os intervalos de manutenção do sistema de distribuição para 60.000 km, de acordo com a Ducati.

Motor Ducati Multistrada V4S - Divulgação - Divulgação
Motor V4 produz 170 cv de potência máxima a 10.500 rpm
Imagem: Divulgação

Com 170 cv de potência máxima a 10.500 rpm, a Multistrada V4S é, atualmente, a bigtrail mais potente do mercado. Pela sua configuração V4, o propulsor ainda oferece bom torque desde os baixos giros, até o máximo de 12,7 kgf.m a 8.750 rpm.

O câmbio tem seis velocidades e traz de série sistema quickshift bidirecional, ou seja, que permite subir ou reduzir as marchas sem o uso da embreagem. Item bastante útil para a proposta touring da moto, pois reduz o esforço de acionar o manete de embreagem em longas viagens. A transmissão final é feita por corrente.

Mudando paradigmas

Projetada para mudar os paradigmas da Ducati, a nova Multistrada também abandonou o monobraço traseiro, outra marca registrada da fabricante italiana. Na nova bigtrail V4, a balança traseira em alumínio usa a construção convencional, com braços duplos.

bigtrail ducati - Divulgação - Divulgação
Nova Multistrada V4S tem balança traseira com dois braços e suspensões eletrônicas para ter melhor desempenho no fora de estrada
Imagem: Divulgação

O quadro é monocoque, com o motor V4 fazendo parte da estrutura. O subquadro traseiro em treliça contribui para a redução de massa, o que resulta em um peso a seco de 218 kg - 244 kg em ordem de marcha, segundo a fabricante italiana. Afinal, o tanque de combustível tem capacidade para 22 litros, o suficiente para garantir autonomia em longas distâncias.

O conjunto de suspensões tem garfo dianteiro telescópico invertido da grife Marzocchi, com tubos de 50 mm de diâmetro e 170 mm de curso. Na traseira, o monoamortecedor tem 180 mm de curso. Ambos são totalmente ajustáveis eletronicamente.

Para garantir o bom desempenho off-road, a Multistrada V4 S que vem ao Brasil tem rodas raiadas, com raios "externos", e calçadas com pneus sem câmara, o que facilita o conserto em caso de furos. As rodas são de 19 polegadas, na dianteira, e 17, na traseira, e usam pneus Pirelli Scorpion Trail II, nas medidas 120/70 e 170/60, respectivamente.

Equipamentos e itens de conforto

Com a proposta de ser uma moto aventureira, feita para viajar, a Multistrada V4S não economiza em equipamentos de série e itens de conforto. A versão, que será vendida no Brasil, além de trazer malas laterais rígidas e cavalete central, tem ainda manoplas e bancos aquecidos.

Ducati MTS V4 farol - Divulgação - Divulgação
Para-brisa tem prático ajuste manual e faróis de LED são direcionais, ou seja, acompanham a inclinação da moto nas curvas
Imagem: Divulgação

O assento é bipartido e o piloto pode ajustá-lo em duas posições: uma mais baixa, com 840 mm de altura ao solo; e outra, mais alta, com 860 mm. Também é possível ajustar o guidão, para melhorar a ergonomia de acordo com a estatura do condutor. Destaque para o novo para-brisa, regulável manualmente, assim como a inclinação do painel.

Com tela TFT colorida de 6,5'', o painel é outra novidade da bigtrail italiana. Oferece conexão Bluetooth com smartphones, por meio do sistema Ducati Connect. Com o uso de alto-falantes ou intercomunicadores é possível ainda ouvir música ou atender chamadas enquanto pilota.

A Multistrada V4S tem faróis de full-LED, com cornering lights, isto é, faróis direcionais que acompanham a inclinação da moto nas curvas, para garantir mais segurança.

Concorrência feroz

Com a nova Multistrada V4, ainda mais na versão "S", que vem ao País, a Ducati quer incomodar suas concorrentes ferozes no segmento bigtrail. Potente, tecnológica e recheada de inovações, a Multistrada V4 quer disputar mercado com a BMW R 1250 GS e nova Triumph Tiger 1200, que deve chegar ao Brasil ainda neste primeiro semestre.

Nova Multistrada V4S - Divulgação - Divulgação
Ducati Multistrada V4S vem com malas laterais rígidas e cavalete central de série, entre outros equipamentos
Imagem: Divulgação

Com itens inéditos no segmento, a nova aventureira da Ducati também tem o preço mais alto entre as bigtrails. Com preço sugerido de R$ 144.990, a Multistrada V4S é mais cara do que a R 1250 GS Adventure, modelo top de linha da aventureira da BMW, vendida por R$ 124.500. A bigtrail italiana, entretanto, é mais potente e tecnológica do que sua rival alemã.