PUBLICIDADE
Topo

Yamaha MT-03 muda para manter liderança do segmento de motos naked; assista

Arthur Caldeira

Arthur Caldeira, jornalista e motociclista (necessariamente nessa ordem) fundador da Agência INFOMOTO. Mesmo cansado de ouvir que é "louco", anda de moto todos os dias no caótico trânsito de São Paulo.

Colunista do UOL

06/09/2020 04h00

Desde que desembarcou no Brasil, em 2016, a Yamaha MT-03 liderou as vendas entre as motos naked. O modelo 2021, que chega às lojas agora em setembro, traz melhorias para enfrentar as concorrentes Honda CB 500F, Kawasaki Z 400 e KTM 390 Duke, e manter a liderança do segmento.

mt-03 abre - Stephan Solon/Yamaha - Stephan Solon/Yamaha
Além do visual novo, MT-03 ganhou suspensão invertida na dianteira e painel digital
Imagem: Stephan Solon/Yamaha

A Yamaha apostou em um design renovado, que remete aos modelos maiores da linha, como a MT-09, e certamente é um atrativo para o consumidor. Além de linhas mais modernas e um conjunto óptico de LED, a MT-03 2021 evoluiu em equipamentos e, principalmente, na parte ciclística.

Farol "Transformer"

As alterações visuais na nova MT-03 podem ser facilmente notadas, como as carenagens do tanque mais encorpadas, e o farol com desenho ousado que alguns dizem parecer um robô, enquanto outros apelidaram de "Jaspion" ou "Transformers".

Eu gostei, mas acho que a marca japonesa poderia ter encontrado um lugar melhor para fixar a buzina, que não combinou muito com o visual futurista. Destaque ainda para o novo painel, completo e digital, com uma tela generosa que facilita visualizar as informações.

farol mt-03 - Divulgação - Divulgação
Conjunto óptico com luzes DRL e canhão, todas de LED, é futurista; mas buzina não combina com o desenho
Imagem: Divulgação

Ao montar na moto, percebe-se que a posição de pilotagem também mudou: o guidão está mais elevado e a cobertura do tanque, estreita na parte traseira, permitindo um melhor encaixe das pernas. O resultado são costas eretas e uma posição de pilotagem que, na linguagem dos motociclistas, "encaixa" bem - ao menos para quem tem até 1,75 m - e transmite uma sensação de controle sobre a moto. Uma característica dos modelos da linha MT, vale ressaltar.

Já as pedaleiras ainda são recuadas e obrigam o piloto a flexionar muito os joelhos, o que pode incomodar aqueles que medem mais de 1,80 m. O assento em dois níveis e a posição são confortáveis para o uso urbano e viagens curtas, mas pode cansar em percursos longos. O que já era esperado, afinal a proposta não apenas desta, mas das nakeds em geral, é ser uma moto ágil para o dia-a-dia e divertida para um passeio com os amigos no final de semana.

Posição pilotagem - Stephan Solon/Yamaha - Stephan Solon/Yamaha
Pernas "encaixam" bem no novo tanque, mas pedaleiras recuadas podem cansar em longas viagens
Imagem: Stephan Solon/Yamaha

Boa de curva

Era uma quarta-feira, mas um rolé de moto com os amigos foi exatamente o que fizemos para avaliar a MT-03 2021. A convite da Yamaha, em um grupo de jornalistas, percorremos a Estrada dos Romeiros, no trecho que liga Bom Jesus do Pirapora a Itu, no interior do estado de São Paulo.

A estrada parque corta uma área de proteção ambiental às margens do Rio Tietê, já bem poluído na região, e serve de destino para muitos grupos de motociclistas no fim de semana. Linda e repleta de curvas, foi o cenário ideal para avaliar as novas suspensões da compacta naked.

mt-03 curvas - Stephan Solon/Yamaha - Stephan Solon/Yamaha
Novas suspensões deixaram a MT-03 mais ágil, na cidade, e precisa, nas curvas da Estrada dos Romeiros
Imagem: Stephan Solon/Yamaha

O garfo telescópico na dianteira não é uma escolha puramente estética. Esse tipo de suspensão reduz a massa suspensa na roda, o que ajuda na agilidade da moto, além de oferecer um amortecimento mais preciso.

Mesmo sem ajustes, os novos tubos de 37 mm de diâmetro com acerto de fábrica mostraram bom desempenho, transmitindo confiança nas curvas da estrada. Já na cidade, a sensação é que a MT-03 está mais leve, apesar do peso em ordem de marcha ter aumentado um quilo.

Os freios a disco nas duas rodas dão conta do recado de parar os 169 kg em ordem de marcha. Eficientes, não assustam e ainda contam com a segurança do sistema ABS. Em geral, o conjunto ciclístico evoluiu em relação à geração anterior.

Cilindrada não é tudo

O motor de dois cilindros paralelos não sofreu mudanças. Manteve a capacidade de 321 cm³, a menor entre as concorrentes. O que leva aqueles que compram moto por cilindrada a compará-la com modelos como a Honda CB 250F Twister ou a própria Fazer 250 da Yamaha. A comparação é descabida.

mt-03 de lado - Divulgação - Divulgação
Apesar de ter apenas 321 cm³, motor tem bom desempenho - 42 cv de potência - e câmbio de seis marchas
Imagem: Divulgação

Além de ser bicilíndrico, o motor da MT-03 tem refrigeração líquida e 42 cavalos de potência a 10.750 rpm, ou seja, um desempenho bem mais esportivo do que as motos de um cilindro e arrefecimento a ar de 250 e 300 cc.

Basta acelerar na saída do pedágio, trocando de marcha quando o shif-light do novo painel acende, a 7 mil giros, e sentir o bom torque de 3,0 kgf.m para notar que não dá para comparar com Fazer e Twister. Isso sem falar na velocidade máxima que supera 160 km/h e a transmissão de seis velocidades.

Mt-03 estrada - Stephan Solon/Yamaha - Stephan Solon/Yamaha
Desempenho do motor de dois cilindros é bem superior ao dos monocilíndricos de 250 cc, mas cobra no consumo, que gira entre 18 km/l e 22 km/l
Imagem: Stephan Solon/Yamaha

Claro que esse bom desempenho tem seu preço, cobrado na bomba de combustível. O consumo também é alto quando comparado aos modelos citados, girando em torno de 18 e 22 km/litro. O tanque manteve os 14 litros de capacidade.

Mas vale pagar tanto por uma 300 cc?

Essa é a pergunta que os consumidores mais se fazem, por conta do preço de R$ 25.490 (sem frete) - menos de R$ 1.000 a mais do que o modelo anterior. Não há uma resposta válida para todos. Depende.

Se você quer uma moto econômica, para usar como meio de locomoção para ir e voltar do trabalho, talvez não valha a pena. Tanto a Fazer, como a Twister, que custam entre R$ 16.000 e R$ 17.000, vão lhe atender melhor.

mt-03 mercado - Divulgação - Divulgação
Yamaha MT03 2021 chega às lojas com preço competitivo (R$ 25.490) perante às concorrentes e quatro anos de garantia
Imagem: Divulgação

Mas quem procura uma moto ágil e leve para usar no dia a dia, mas também gosta de fazer passeios no final de semana, a MT-03 é uma opção a ser considerada. Com acabamento superior e aspecto de moto maior, que chama a atenção nas ruas, a MT-03 tem bom desempenho na estrada e entrega diversão compatível com o preço cobrado.

As novidades certamente vão ajudá-la a manter o reinado entre as motos nakeds. Afinal, as concorrentes, embora tenham motores maiores, também ficaram mais caras, em função do dólar alto. A renovada Honda CB 500F, com 50,4 cv, chegou no começo deste ano e está sendo vendida por R$ 29.100; enquanto a Kawasaki Z 400, com 48 cv, lançada aqui no ano passado, custa R$ 26.990.

mt-03 fecha - Stephan Solon/Yamaha - Stephan Solon/Yamaha
Nova Yamaha MT-03 é boa opção para quem procura uma moto com acabamento superior, para rodar na cidade e se divertir na estrada
Imagem: Stephan Solon/Yamaha

A nova MT-03 chega às lojas em 15 de setembro em três opções de cores: o cinza fosco das fotos, com rodas fluorescentes; o famoso azul da Yamaha e uma versão preta. A novidade é que agora o modelo tem quatro anos de garantia (a maior da categoria), além de preço fixo nas sete primeiras revisões.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.