Topo
OPINIÃO

Gambiarras automotivas: veja o que você muda no seu carro e traz problemas

só para assinantes
Thais Roland

Colunista do UOL

07/06/2022 11h00

Não é raro alguém me perguntar a respeito de adaptações no carro. Algumas absurdas, mas outras até interessantes. Aí vem a questão: adaptações em automóveis são sempre consideradas gambiarras, já que os ajustes não são de fábrica?

A resposta é muito simples: sim, sempre gambiarra, mas tem como fazer algumas de alto nível no seu carro.

Adaptações fazem parte da realidade no setor automotivo, especialmente para quem gosta do carro e quer deixá-lo mais confortável, por exemplo.

É comum vermos o pessoal trocando o sistema de som por um mais bacana. Essa alteração pode ficar realmente bem legal se o instalador tomar alguns cuidados, especialmente com a utilização do chicote elétrico do carro. Ver onde puxar um positivo, o preciosismo na hora de fazer uma emenda, tentar fazer uma adaptação que seja reversível...

Qualquer alteração no veículo tem que ter um projeto, pensar nos prós e contras e, principalmente, ter a consciência de que estamos alterando uma característica que pode impactar em outras partes do carro, que pode ser perigoso e que, com certeza, te fará perder qualquer garantia da parte da montadora.

Sobre som eu já tinha até comentado alguma coisa com vocês nesse vídeo aqui, em que o tema era "dúvidas sobre bateria".

Mas vemos um leque imenso de adaptações por aí. Aqui em casa, por exemplo, tenho uma DKW onde o antigo dono tinha adaptado um novo sistema de freios. Ele colocou o sistema de freios à disco, do Palio, no eixo dianteiro da Vemaguet e ficou muito bom. Foi uma adaptação para melhorar a segurança ao dirigir e foi feita com bastante cuidado.

É claro que, em carros mais modernos, adaptações de segurança são complicadas. Também mexerão em um monte de questões que podem acabar em um resultado ruim, mas ainda dá para fazer bastante coisas, como adaptar bancos traseiros para acomodar cadeirinhas de transporte de crianças com mais segurança, por exemplo.

O que não dá para admitir são alterações que vão completamente contra o bom senso, como a remoção da válvula termostática ou serrar as molas pra rebaixar o carro. Esse tipo de modificação é pura e simples irresponsabilidade.

No caso da válvula termostática temos até um ou outro indivíduo tentando dar explicações técnicas, todas furadas, como dizer que em regiões mais quentes ela não é necessária ou até que o carro vai trabalhar melhor sem ela. Por favor, não caiam nessa!

Tirar a válvula termostática do sistema fará o consumo de combustível aumentar e você estará correndo um risco enorme de superaquecimento do motor, especialmente nos cilindros mais distantes da válvula.

Cortar molas então, nem precisamos perder muito tempo, né? Vocês estarão alterando um comportamento importante da suspensão que pode resultar em um acidente sério. Sem contar o desconforto que essa modificação causará para quem anda nesse carro.

Agora eu vou dar uma opinião pessoal para fechar esse tema, opinião de quem já trabalhou com carros modernos e antigos. Para mim, modificações em carros antigos, para adequá-los às condições atuais de rodagem, fazem bastante sentido, a menos que estejamos falando de um carro de exposição.

Já para carros modernos vejo pouquíssimas adaptações aceitáveis. Com todo o rigor atual com relação a segurança, desempenho e consumo de combustível, só consigo enxergar mesmo as modificações relacionadas a conforto plausíveis.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Gambiarras automotivas: veja o que você muda no seu carro e traz problemas - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL