PUBLICIDADE
Topo

Coisa de Meninos Nada

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Vícios ao volante: veja dois exemplos que você deve ou não fazer ao dirigir

Conteúdo exclusivo para assinantes
Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

25/01/2022 04h00

Hoje separei dois comentários de leitores para discutir com vocês, pois são bem interessantes. Ambos surgiram no vídeo sobre pisar no acelerador antes de ligar o carro.

O primeiro foi do leitor Amilcar, que disse que tem um problema com a embreagem. Ele afirma que, quando avista uma lombada, por exemplo, já pisa na embreagem e vai assim até chegar nela - e não sabe se isso é bom ou ruim.

Bom, então vamos por partes. Primeiro que não é só isso, né? Se o Amilcar pisa na embreagem quando vê a lombada, eu imagino, e espero, que ele também pise no freio para ir diminuindo a velocidade do carro até chegar nela. Então, logo de cara, já posso garantir que o sistema de freios do carro está sofrendo mais do que deveria.

Agora, para o consumo de combustível, depende. Se o carro do Amilcar é antigo e ainda usa um carburador, ele está economizando combustível andando com o carro desengatado. Mas, se o carro usa injeção eletrônica, está gastando mais.

Já comentei com vocês que o carro com injeção eletrônica não lida bem com a "banguela". Aqui a sacada é trabalhar bem as marchas. Então, quanto mais tempo engatado, ir reduzindo as marchas conforme vai diminuindo a velocidade, vai fazer com que você otimize cada vez mais o consumo de combustível.

O duro é que quem está acostumado a desengatar o carro muito antes da lombada, do farol ou de qualquer obstáculo que seja, demora muito para se acostumar com o novo padrão. Entendo, mas garanto que o resultado é bem legal. Se vocês fizerem contas de consumo do antes e do depois, verão que dá bastante diferença.

Então, Amilcar, seja forte, meu querido. E treine para trocar mais as marchas e ficar menos tempo com o pé na embreagem. Teu bolso vai agradecer. Você vai abastecer menos e trocar menos pastilhas e discos de freios também. Daqui uns meses me conte o resultado.

O segundo comentário, de outro leitor, fala sobre pisar no acelerador o carro parado antes de desliga-lo.

Se não faz sentido pisar no acelerador antes de liga-lo, antes de desligar é que não consigo entender mesmo. Nem para os carros antigos consigo entender essa.

Já vi muito dono de carro com motores potentes com esse hábito. Em geral, a ideia é mostrar que chegaram, sabe? Dão duas ou três aceleradas para chamar a atenção da galera e, quando todo mundo está olhando, desligam o carro e saem dele. Questão de ego mesmo.

Agora, tecnicamente, não há motivos para isso. Aliás, pode sim é trazer prejuízos. Mais uma vez, em um carro com injeção eletrônica e aspirado, não acontecerá nada. Zero.

Mas se você tiver um carro com turbo, aí a coisa muda de figura. O turbo é uma peça muito delicada quando se refere a lubrificação. Enquanto o carro está ligado o turbo está devidamente lubrificado. Quando você para o carro e está na marcha lenta, prestes a desligá-lo, o turbo vai desacelerando e, quando você desliga o carro, ele já está quase parando.

Se você pisa no acelerador, aumentando o giro do motor, consequentemente aumenta a rotação do turbo. Aí vai e gira a chave para desligar o carro, interrompendo a lubrificação dele.

Alguns carros contam com acumuladores que mantém a lubrificação do turbo até que ele pare de girar, mesmo com o carro desligado, mas não é todo carro que tem isso. Se você não sabe qual a estratégia de lubrificação do turbocompressor do seu carro e faz uma brincadeira dessas a conta pode ficar bem alta.

Já em um carro antigo, carburado ainda, pode rolar dois cenários. Ou você lota o coletor de admissão de combustível e afoga o carro, e aí, se tentar ligar ele novamente, logo em seguida, não vai ter sucesso. Ou desperdiça todo esse combustível, que vai evaporar, se demorar muito tempo pra religar o possante.

Então o resumo da ópera é: a tal boa acelerada antes de desligar o carro, realmente, não faz sentido.

Mas vamos lá, sei que ainda tem um montão de vícios que vocês têm atrás do volante. Percam a vergonha e me contem tudo nos comentários.