PUBLICIDADE
Topo

Coisa de Meninos Nada

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Catalisador: para que serve e quando é necessário efetuar a troca

Conteúdo exclusivo para assinantes
Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

20/04/2021 04h00

O catalisador é a peça responsável por dar uma purificada nos gases que seu carro solta pelo escapamento - e precisa de atenção.

Estamos entrando no outono/inverno e, nessa época, os problemas com níveis de poluentes se agravam por causa dos dias mais secos, que dificultam a dispersão dos gases nocivos à nossa saúde.

A queima do combustível no seu carro gera uma parte importante desses gases, como os hidrocarbonetos, o monóxido de carbono e o óxido de nitrogênio. Mas ele não cospe 100% disso para atmosfera graças ao catalisador, que com algumas reações químicas transforma até 98% disso em vapor de água, gás carbônico e nitrogênio.

O tempo de vida mínimo da peça é regido pelo programa de controle de poluição do ar por veículos automotores, o Proconve. Pela PL6, de 2014, esse prazo é de 80 mil km. Já pela PL7, que entra em vigor em 2022, o período passa para 160 mil km.

Mas, para que essa vida útil seja válida, a saúde do motor precisa estar em dia. A qualidade do combustível que você usa, a troca de óleo dentro dos períodos recomendados e com as especificações recomendadas pelo fabricante, e a revisão do sistema de ignição, incluindo velas e cabos, são essenciais.

Essa não é uma peça barata e, quando precisa ser substituída, é comum vocês caírem na tentação do recondicionado, mas olha... Já vi muito golpe por aí com catalisador recondicionado. Já vi até catalisadores vazios instalados em carros. Opte sempre por um produto com o selo do Inmetro, certificado de garantia e boa procedência.

Se as questões ambientais não te convencem, lembre-se que as condições do catalisador também influenciarão no rendimento do seu carro e no consumo de combustível.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL