PUBLICIDADE
Topo

Coisa de Meninos Nada

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Falha nos freios: o que você deve fazer quando seu carro não quer parar

Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

09/03/2021 04h00

Sei que todos estão ansiosos para saber sobre etanol aditivado e diesel, mas demos uma pequena quebrada na nossa série sobre combustíveis por causa desse evento importante nas redes sociais.

A leitora Drika me marcou em um vídeo da "Tribo Opaleira" no Facebook, que mostrava um Opala turbinado se estabacando em uma árvore porque perdeu o freio.

Não conferi se o vídeo é verdadeiro e vou me segurar para não dar sermão sobre modificação de carros. O importante mesmo é que esse causo me deu a oportunidade de falar sobre uma questão que sempre surge nos workshops de manutenção preventiva.

O que fazer em uma emergência dessas, em que o freio do carro falha de repente?

Não tem essa balela de não entrar em pânico quando acontece uma coisa assim. Qualquer ser normal, que não tem um treinamento específico, entrará em pânico se perder os freios. Por isso, tenha em mente o que fazer. Se você pensar nisso antes de ligar o carro, quando acontecer, seu cérebro acionará o mecanismo de emergência automaticamente.

Se o freio do pedal falhar, esqueça que existe pedal: ele não vai mais te ajudar. Tem muita gente que recomenda que a primeira coisa a fazer é bombar o freio, ou seja, pisar várias vezes no pedal para ver se o freio volta. Isso você já fará instintivamente. Pisou uma vez e não freou, você vai dar umas pisadas desesperadas no pedal mesmo. É automático. Se perceber que não funcionou, não insista nisso, vá direto para solução efetiva, que é desacelerar o carro se aproveitando do freio motor.

Obviamente tire o pé do acelerador e, a partir daí, vá descendo as marchas do carro, gradativamente, conforme a velocidade for diminuindo também. Quando você chegar à primeira marcha o carro já estará bem mais lento e você conseguirá pensar em uma solução menos desastrosa para pará-lo completamente.

Freio de mão, além de mito, é perigoso. A eficácia do freio de mão é baixíssima. Ele foi feito só para manter o carro parado e, mesmo assim, deixamos o carro engatado ao estacionar em ladeira justamente porque o freio de mão segura muito mal o carro.

Puxar o freio de mão não vai parar o carro na ausência do freio de serviço (o do pedal) e ainda pode fazer você dar um cavalo de pau em uma situação péssima. Isso pode resultar em um belo acidente, mais grave do que apenas a falha do freio.

Depois que você usou a solução eficaz de ir diminuindo as marchas, chegará uma hora que não tem mais marchas para descer e o carro continua andando. Só a partir daí pode valer usar o freio de mão ou tentar utilizar a maravilha do atrito para terminar de parar o carro. A guia da calçada serve, o barranco do canto da pista? qualquer coisa é melhor do que uma árvore, um poste ou outro carro.

Falando assim parece complicado, né? Dá até a impressão de que não vai funcionar, de que precisa de muito espaço para parar o carro desse jeito, mas tudo depende da velocidade que você está quando a emergência acontece. Esse é um motivo mais que suficiente para você andar sempre dentro dos limites de velocidade.

Então vamos adiante. Dentro das cidades o limite de velocidade é bem baixo, então o procedimento funcionará bem. Mesmo nas estradas você, em geral, tem espaço de sobra para usar a estratégia, então não há problema.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL