PUBLICIDADE
Topo

Acelerar o carro faz a bateria carregar mais rápido? Não é bem assim

Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

11/08/2020 04h00

Muita gente diz que acelerar o carro carrega a bateria mais rápido, mas não é bem assim. Isso é um hábito herdado de veículos antigos, que eram equipados com dínamos no lugar dos alternadores. Eles tinham a mesma função, de alimentar os sistemas elétricos e recarregar a bateria, mas eram bem mais simples.

Tanto o dínamo quanto o alternador são girados pelo motor do carro através de uma correia, mas o dínamo não era capaz de entregar corrente suficiente para os sistemas enquanto o motor estava em baixa rotação, caso da marcha lenta. Por isso a luz da bateria continuava acesa, indicando que não estava sendo carregada, e só apagava quando começávamos a acelerar.

Já o alternador produz corrente alternada, que não é adequada para carregar a bateria nem alimentar os sistemas elétricos e eletrônicos do automóvel. Por isso são mais complexos, possuindo, internamente, um sistema de retificação que converte a corrente alternada em contínua, entregando energia suficiente para os sistemas e para a carga da bateria, mesmo na marcha lenta.

Se seu carro tem um alternador, assim que a luz da bateria se apaga, você sabe que ele já está mandando carga para ela, não fazendo diferença se você acelera o carro ou não.

O responsável por controlar a energia produzida pelo alternador é o regulador de tensão, que, independentemente da rotação do motor, mantém a tensão dentro de uma faixa ideal para os sistemas - que varia entre 13,5 volts e 14,5 volts, chegando até a 15 volts em alguns veículos.

Mas se você ainda é das antigas e usa um carro equipado com dínamo, aí sim faz sentido acelerar o carro até ver a lâmpada da bateria apagar no painel.