PUBLICIDADE
Topo

Pivô da suspensão: como falta de manutenção traz risco de acidentes graves

Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

04/08/2020 04h00

O pivô de suspensão liga o chassi do carro ao conjunto de amortecedor, mola e manga de eixo. Ele possibilita o movimento rotacional e angular das rodas.

É uma peça esférica que trabalha para todos os lados e é bem justinha, não pode estar presa ou solta demais. Aliás, solta demais pode desencaixar do lugar ou quebrar, causando um acidente grave. Quem alerta sobre os perigos da negligência com os pivôs é o Jair Silva, gerente de qualidade da Nakata.

Não dá para recuperar pivô, viu! Quando ele está desgastado demais, precisa ser substituído. Isso é super importante.

Como sempre, é vital respeitar os períodos de verificação estipulados pelo fabricante. Mas, se você transita por ruas muito ruins, talvez seja bacana encurtar um pouco esses prazos. Ou se perceber batidas secas e ruídos agudos em curvas ou desníveis. Pode ser desgaste avançado dos pivôs e precisar de providências.

Quando é necessário trocar pivô, sempre vale a pena dar uma olhada em outros componentes da suspensão, como bandejas e bieletas, e é sempre muito importante verificar o alinhamento da direção.

Deixa nos comentários qual foi a última vez que você verificou a suspensão do seu carro e se ele está parecendo uma escola de samba quando passa em uma rua mais esburacada.